Congresso da Micro e Pequena Indústria debate novos cenários

Patrícia Ribeiro, Agência Indusnet Fiesp

Sua empresa sabe lidar com mudanças? O cliente e o mercado estão no foco da sua estratégia? Que rumo está tomando seu negócio? Essas e outras questões serão debatidas no dia 23 de maio, durante a 11ª edição do Congresso da Micro e Pequena Indústria, realizado pela Fiesp e pelo Ciesp.

O evento, que acontece das 8h30 às 18h, no Hotel Renaissance, na capital paulista, apresenta novos rumos e oportunidades para o crescimento das empresas, analisando temas de grande importância no cenário atual, tais como: modelos alternativos de negócio, economia colaborativa, internacionalização, novas formas de relacionamento com fornecedores e clientes, mídias digitais, entre outros.

“É fundamental que as empresas entendam as mudanças e se adaptem ao mercado para alcançar bons resultados. O Congresso é uma excelente alternativa para ampliar essa visão e praticar novas tendências de negócios “, afirma o diretor do Departamento da Micro, Pequena e Média Empresa da Fiesp (Dempi), Milton Bogus.

Com uma vasta programação, o Congresso terá abertura às 8h. Na sequência será realizada a palestra inicial, com a contextualização do tema: “Descobrindo Rumos para seu Negócio”, que será proferida pelo diretor de Conteúdo da Academia da Estratégia, empresa especializada em educação corporativa, Alessandro Saade.

Das 10h20 ao meio-dia serão discutidos, no primeiro painel, os “Modelos de Negócios: Inovando e Engajando as Pessoas”, com temas como: conceito de modelo de negócio; processo de desenvolvimento; formas de aplicações; como gerar novas ideias; modelos de negócios inovadores e design Think e Re Think.

No período da tarde, o segundo painel terá como tema: “Comércio Exterior, Acessando o Mercado Externo”, no qual serão apresentados caminhos e exemplos práticos de como buscar ferramentas para atingir novos mercados. Já o terceiro painel terá como tema “Comunicação: Potencialize esta Ferramenta nos seus Negócios”, que irá discutir como as ferramentas digitais podem fortalecer os negócios e potencializar as estratégias de comunicação interna e externa.

Encerrando o Congresso, o filósofo e escritor Mario Sergio Cortella fará palestra com o tema “Da Oportunidade ao Êxito: Mudar é Complicado? Acomodar é Perecer”.

O é anual, realizado no Mês da Indústria, em maio, e dirigido a empresários de diversos segmentos. É uma grande oportunidade para networking, troca de experiências entre profissionais e contato com diversas instituições parceiras do Dempi.

Atividades paralelas 

Em paralelo aos painéis, o Congresso contará também com outras atividades, como a Sala de Crédito, um ambiente para o empresário se relacionar com diversas instituições financeiras parceiras, e o Modelo de Negócios, ação realizada em parceria com o Sebrae-SP e com o Senai-SP que apresenta a ferramenta Canvas, que permite esboçar e desenvolver um negócio com base em proposta de valor, segmentos de clientes, canais, relacionamento, fontes de receitas, recursos principais, atividades, parcerias-chave e estrutura de custos.

Já o MPI Exportador concentra, no mesmo espaço, a possibilidade de atendimento por diversas empresas e instituições essenciais nesse processo de acessar o mercado externo.

Os congressistas poderão participar também a Sala de Experiências Digitais, um espaço voltado a orientar as micro e pequenas empresas na utilização dos veículos de comunicação digital para agregar valor aos seus negócios.

Histórico do Congresso

Desde 2006, a Fiesp realiza o Congresso da Micro e Pequena Indústria, inicialmente em outubro, mês da micro e pequena empresa. Ele sempre teve o objetivo de apresentar temas e ferramentas que apoiem a gestão e a melhoria dos negócios das empresas deste segmento.

Ao longo destes 10 anos de realização, o Congresso MPI recebeu mais de 14 mil participantes debatendo diversos temas relevantes para gestão das micro e pequenas indústrias, tais como alternativas de crédito, legislação tributária e trabalhista, inovação, mídias digitais, gestão de pessoas, produtividade, internacionalização, acesso a mercados, entre outros.

Serviço
11º Congresso da Micro e Pequena Indústria.
Quando: 
23 de maio (segunda-feira), das 8h30 às 18h
Onde: Hotel Renaissance
Endereço: Alameda Jaú, 1.620, São Paulo (SP)
Inscrições: http://hotsite.fiesp.com.br/mpi/2016

Boletim Mensal do Emprego das MPMI

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389O Boletim Mensal do Emprego das Micro, Pequenas e Médias Indústrias(MPMI) é responsável por avaliar a evolução da mão de obra das MPMI do Estado de São Paulo.

Os dados são apresentados por porte e exclusivamente para os setores de construção e indústria de transformação.

“Para o ano de 2017, acreditamos que o mercado de trabalho continue eliminando postos de trabalho no primeiro semestre, principalmente nos primeiros meses quando tipicamente é registrado uma aceleração das demissões nos postos de trabalhos temporários. Contudo no segundo momento esperamos que haja uma melhora no mercado de trabalho no médio e longo prazo.”

 Milton A. Bogus, Diretor titular do DEMPI 


Para visualizar ou baixar o boletim mais recente em seu computador, acesse o menu ao lado.

Periodicidade: Mensal


Retrospectiva 2014 – Fiesp investiu em serviços à Micro, Pequena e Média Indústria

Guilherme Abati e Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

O Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria da Fiesp (Dempi) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) prosseguiu, em 2014, lutando para a melhoria da condição do setor.

Com objetivo de apresentar estratégias e perspectivas para o setor, o departamento realizou dois grandes eventos ao longo do ano.

O IX Congresso da Micro e Pequena Indústria, com o tema “Produzir Mais e Melhor”, teve 1.400 participantes. já o Seminário da Micro e Pequena Indústria “Vender Mais e Melhor”, em outubro, contou com 600 participantes.

Também foram realizados eventos regionais em três diretorias regionais do Ciesp, em Marília, Rio Claro e Sorocaba, atendendo 470 participantes.

Somente em 2014 foram organizadas nove salas de crédito, com 318 atendimentos e 130 participantes no seminário finanças e financiamento.

Em parcerias com as universidades e institutos, a Fiesp promoveu 22 palestras e workshops, capacitando 1062 participantes de micro, pequenas e médias empresas da capital e interior. Também foram realizados seminários com visita a laboratórios em que foram apresentadas soluções de apoio às micro, pequenas e médias indústrias, capacitando 64 participantes da capital e interior

No prêmio “Água: Ideias Inovadoras, Soluções Sustentáveis”, o Dempi/Fiesp atuou em parceria com o Departamento de Meio Ambiente (DMA) da entidade, promovendo seminários aos alunos de 11 instituições de ensino parceiras, visando apresentar e incentivar a participação no projeto. Foram 1.250 alunos capacitados e mais de 330 projetos recebidos.

O Dempi/Fiesp também atuou em diversos fóruns na esfera federal, estadual e municipal. Um deles foi o Fórum Permanente da Micro e Pequena Empresa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Outro foi na Frente Parlamentar em Defesa das Micro Empresas e Empresas de Pequeno Porte, dos Microempreendedores Individuais E Das Cooperativas, na Câmara Municipal de São Paulo.  E ainda nas reuniões da Agência De Desenvolvimento do Estado de São Paulo, entre outros.

O Dempi/Fiesp também intensificou os atendimentos setoriais com participação em Feiras e Palestras nos Sindicatos. Foram sete feiras de seis sindicatos (Sindipan, Sinpan, Sindigraf, Sindijóias, Sindratar, Sinbevidros), totalizando 43 palestras, 1.316 participantes, 25 parceiros e 220 atendimentos.

Também foram feita mais de 20 palestras setoriais dentro das sedes dos sindicatos de cinco sindicatos, reunindo 946 participantes convidados pelas entidades. As palestras foram ministradas por profissionais da própria Fiesp, do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e de universidades.


NOTÍCIAS DE DESTAQUE EM 2014


NOVEMBRO

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Seminário na Fiesp reuniu representantes das principais instituições financeiras e de crédito do país. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Em novembro, o Dempi/Fiesp realizou um seminário em que reuniu representantes do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Agência Desenvolve SP e de quatro bancos. Eles apresentaram as linhas de crédito oferecidas às Micro, Pequena e Médias Empresas (MPMEs), explicando os objetivos de cada uma, seja para compra de equipamentos ou para capital de giro. >> Leia mais

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Dariane Castanheira, pesquisadora do Proced da FIA-USP: "Existem recursos financeiros disponibilizados por instituições de crédito e de fomento". Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

No mesmo evento foi apresentado o resultado de uma pesquisa feita com 359 empresas sobre dificuldades de acesso das micro e pequenas empresa a crédito. Segundo a professora e consultora Dariane Castanheira, pesquisadora do ProCED (Programa de Capacitação de Empresas e Desenvolvimento) da Fundação Instituto de Administração (FIA), não é verdade que falta acesso a crédito para micro e pequenas empresas (MPEs). “O grande mito é que falta crédito. A linha de crédito está lá. As taxas de juros são altas, se comparar com a rentabilidade que um novo negócio traz, mas é um mito falar que elas são altas comparando com a média do mercado. Há taxas abaixo da média.” >> Leia mais


OUTUBRO

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

A Fiesp e o Ciesp realizaram o Seminário da Micro e Pequena Indústria (MPI). Durante o evento, foram realizadas palestras com diversas especialistas da área de vendas, estratégias e inovação. Nomes como como Martha Gabriel, Paulo Henrique Donassolo, Afonso Braga, Flávio Nusbaum, Samy Dana, Adir Ribeiro, Alexandre Caetano e Ernesto Costa Santos.  >> Veja infográfico


Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Milton Bogus: “Precisamos investir constantemente na inovação e na gestão visando o crescimento da micro para a pequena, da pequena para a média e desta para a grande”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Na abertura, o diretor titular do Dempi/Fiesp, Milton Bogus, destacou as ações desenvolvidas pelo Dempi/Fiesp para levar propostas e soluções aderentes à realidade das empresas e a atuação das entidades junto ao poder federal, estadual e o poder legislativo, para buscar a melhoria do ambiente, com bons resultados como a aprovação da revisão da lei geral das MPs. Destacou ainda a necessidade de inovação, para estar conectado com o mercado de forma global. “Precisamos investir constantemente na inovação e na gestão visando o crescimento da micro para a pequena, da pequena para a média e desta para a grande.”  >> Leia mais 

Já Rafael Cervone, vice-presidente da Ciesp, destacou a necessidade de simplificar o dia a dia das empresas e de melhorar o ambiente de negócios. “Nunca vi um ambiente de negócios tão hostil ao empreendedorismo”, lamentou. >> Leia mais


SETEMBRO

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Presidente da Fiesp, Benjamin Steinbruch (ao centro), com alunos que representaram os grupos vencedores de 11 universidades participantes do prêmio “Água Ideias Inovadoras - Soluções Sustentáveis”. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

A Fiesp e o Ciesp anunciaram no dia 22/09 os projetos vencedores do prêmio “Água Ideias Inovadoras – Soluções Sustentáveis”, iniciativa criada para estimular as melhores contribuições e propostas inovadoras para a solução de problemas relacionados ao uso e tratamento da água pela indústria.

Participaram do concurso as comunidade acadêmicas de 11 instituições de ensino: Centro Universitário da Faculdade Engenharia Industrial (FEI), Universidade Anhembi Morumbi, Universidade Cruzeiro do Sul, Universidade de Santo Amaro, Universidade Presbiteriana Mackenzie, Universidade de Ribeirão Preto, Universidade São Judas Tadeu, Faculdades Integradas Rio Branco, Escola de Negócios Trevisan, Faculdades Metropolitanas Unidas e Faculdade Sumaré. >> Leia mais

Em setembro, mais uma edição da Sala de Crédito foi realizada. O objetivo da iniciativa do Dempi é de informar e orientar os empresários sobre linhas de financiamento de longo prazo e facilitar o acesso ao crédito para as micro, pequenas e médias indústrias. Tudo isso com uma orientação estratégica em demandas de financiamento para a aquisição de máquinas e equipamentos, construção ou reforma de instalações, bem como em projetos de pesquisas e desenvolvimento, exportação, projetos de sustentabilidade e também para obter capital de giro e compra de matéria-prima. >> Leia mais


JULHO

Em julho, a Fiesp promoveu mais uma edição da Sala de Crédito, na sede da entidade. >> Leia mais


JUNHO

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Empresários na Sala de Crédito organizada pelo Dempi: pelo desenvolvimento das empresas. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

O Dempi/Fiesp realizou mais uma edição da sua Sala de Crédito. Segundo Flávio Vital, assessor de Projetos de Pequena e Média Indústria do Dempi/Fiesp, a equipe do departamento, durante a realização das salas de crédito, ajuda as empresas a “estabelecerem estratégias para ajudar em seu desenvolvimento, conseguindo falar com os representantes dos bancos presentes de maneira eficaz”. >> Leia mais

Entre 24 a 27 de junho, no Expo Center Norte, o Dempi/Fiesp participou da 30ª Feira Internacional de Produtos e Serviços para a Alimentação Fora do Lar com palestras gratuitas com um  ciclo de palestras gratuitas organizadas em seu estande. >> Leia mais

MAIO

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Afif Domingos: “Vamos baixar o prazo de abertura para no máximo cinco dias”. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Em maio, o ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, participou da abertura do 9º Congresso da Micro e Pequena Indústria (MPI) da Fiesp do e Ciesp. Na ocasião, ele apresentou o projeto de um portal único para a abertura e fechamento de empresas. “O portal fará a unificação em um balão único por meio das juntas comerciais. Vamos baixar o prazo de abertura para no máximo cinco dias em média. O fechamento [da empresa] será na hora”. >> Leia mais

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Skaf na abertura do MPI: “O caminho é simplificar, baratear”. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

No evento, o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, disse que apesar de o governo estar caminho correto de simplificar processos e baratear os custos para a micro e pequena indústria, algumas instituições públicas ficaram paradas na década de 1980. “O caminho é simplificar, baratear. Mas os governos, em certo ponto, ainda me lembram a década de 1980, enquanto a sociedade está em 2014. Há uma mentalidade, uma deficiência de inovação tecnológica que acaba atrapalhando, sem falar na falta de seriedade de algumas pessoas quando se fala em repartições que deveriam simplificar.” >> Leia mais

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

ogus: posicionamento e melhorias para os pequenos e médios empresários. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O diretor titular do Dempi/Fiesp, Milton Bogus, fez o encerramento, afirmando  que a entidade tem a preocupação de levar mais informação para os empresários. “O pequeno empresário quer saber mais, quer saber como ele se posiciona, o que ele deve fazer e quais são as melhorias que ele pode ter”, afirmou Bogus, que ressaltou a presença maciça do público, o que garantiu o sucesso do evento. >> Leia mais


ABRIL

Por meio do Programa Interação Universidade Empresa, o Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)  organizou dois debates, um na Universidade Presbiteriana Mackenzie e outro na Universidade Anhembi Morumbi, na capital paulista. As duas iniciativas  tiveram como objetivo incentivar a capacitação das micro e pequenas empresas, seus empresários e colaboradores da indústria de modo geral. >> Leia mais

MARÇO

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Na Sala de Crédito da Fiesp, empresários recebem atendimento personalizado de instituições financeiras. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Em março, o departamento realizou a primeira Sala de Crédito de 2014. O objetivo da sala é oferecer aos pequenos e médios empresários a oportunidade de conhecer as melhores taxas disponíveis, aprender a solicitar financiamento com juros mais baixos e esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto. Gerentes e especialistas de crédito de instituições financeiras, como Banco Santander, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES e da agência de fomento do governo do estado de São Paulo, da Desenvolve SP, estiveram presentes e prestaram atendimento exclusivo aos participantes. >> Leia mais

Setor da panificação precisa continuar a se aperfeiçoar, afirma diretor da Fiesp

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) marca presença na edição 2014 da Feira Internacional de Panificação, Confeitaria e Varejo Independente de Alimentos (Fipan), iniciada nesta terça-feira (15/07), no Expo Center Norte, em São Paulo.

A instituição disponibiliza aos visitantes da feira um estande com atendimento financeiro ao micro e pequeno empresário, além da realização de palestras e oficinas gratuitas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Antero José Pereira (terceiro da esquerda para a direita), presidente do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de São Paulo (Sindipan), durante a abertura do evento. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Para o diretor do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da entidade, Augusto Dalman Boccia, o setor de panificação do Brasil é tradicional e tem um forte espaço na economia, passando por uma expansão nas últimas décadas, mas “precisa continuar se atualizando, sempre buscando inovação, tecnologia e novas práticas.”

“O mercado da panificação, apesar dos bons resultados, precisa de maior sinergia, para que o segmento possa crescer mais e atender seus objetivos”, disse.

>> Na Fipan 2014, Senai-SP quer mostrar importância da qualificação profissional na panificação
>>  Fiesp leva para a Fipan 2014 atendimento de crédito e ciclo de palestras gratuitas
>> Sesi-SP e Senai-SP têm oficinas gratuitas na Fipan 2014

A necessidade de inovação do setor, segundo o dirigente, é atendida com a realização da Fipan 2014, maior feira do setor na América Latina e a quinta maior do mundo. Para ele, a feira acerta ao dar bastante atenção à formação profissional. “Muitas empresas criaram espaço dedicados a educação, formação profissional, com capacitação, oficinas, palestras”, disse o diretor.

Com o objetivo de apoiar toda a necessidade do micro e pequeno empresário da indústria da panificação, o Dempi participa de vários eventos similares à Fipan 2014. “Os resultados têm sido ótimos, com aperfeiçoamento do relacionamento com os empresários da área”, afirmou Boccia.

Além de uma extensa programação com palestras e oficinas, o estande da Fiesp disponibiliza aos visitantes da feira um atendimento financeiro especial. “Temos uma espécie de sala de crédito, com pessoas especializadas para informar as pessoas que queiram expandir seus negócios sobre as mais variadas linhas de crédito disponíveis.”

Marketing digital para pequena e média indústria será debatido em congresso da Fiesp

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Martha fará palestra no VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria: “Falta investir na capacitação das equipes”. Foto: Divulgação

Martha fará palestra no VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria: “Falta investir na capacitação das equipes”. Foto: Divulgação

Os pequenos e médios empreendedores têm muito o que avançar quando o assunto é marketing digital. A recomendação é de uma expert no assunto: a consultora Martha Gabriel, uma das palestrantes do VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria: mercado – novas atitudes, novos negócios. O encontro, a ser realizado nesta quinta-feira (10/10), no Hotel Renaissance, na capital paulista, é uma iniciativa do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da  Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Em sua apresentação, prevista para as 14h do dia 10, no painel sobre mídias digitais, Martha vai convidar os empreendedores a refletirem sobre questões como a necessidade de investir em marketing digital, ou seja, descobrir as possibilidades que a internet e as redes sociais oferecem. “Antes os empresários não acreditavam nessas ferramentas”, diz Martha. “Agora todos sabem que o digital é importante, mas falta investir na capacitação das equipes”, explica.

Segundo a consultora, serão debatidos no congresso pontos como a aproximação das empresas dos consumidores, como trabalhar o marketing digital da melhor forma no dia a dia, casos bem sucedidos na área e tendências, entre outros tópicos. “E isso com foco nas micro, pequenas e médias indústrias”, afirma.

Entre as histórias de sucesso nesse campo que Martha já acompanhou em seu trabalho está o exemplo de uma pequena empresa fornecedora de cestas de café da manhã que, com investimentos mensais de R$ 200 em links patrocinados na internet, conseguiu garantir “agenda cheia”. “Muitas empresas parecem maiores do que são a partir de ações bem feitas de marketing digital”, diz. “Ganha pontos quem sabe usar essas ferramentas”, orienta.

Martha Gabriel é coordenadora e professora do curso de MBA em Marketing da HSM Educação, além de autora de livros na área, como o recém-lançado “Marketing na Era Digital”.

Serviço

VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria: mercado – novas atitudes, novos negócios
Data e horário: 10 de Outubro, às 8h30
Local: Hotel Renaissance (Alameda Jaú, 1.620)
Acesse a programação: www.fiesp.com.br/congressompis

Empresas preparadas para gerir gases de efeito estufa terão vantagens competitivas, afirma diretor da Fiesp em seminário

Ariett Gouveia e Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Foi realizado nesta quarta-feira (04/09), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o seminário “Gestão dos gases de efeito estufa: um novo mercado para pequenas e médias empresas”.  O encontro foi mediado por Mario Hirose, diretor da divisão de Mudanças Climáticas do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da instituição.


Hirose abriu o seminário realizado na Fiesp

Hirose abriu o seminário realizado na Fiesp. Foto: Julia Moraes/Fiesp


Durante seu discurso, Hirose ressaltou a importância do tema.  “A Fiesp  sabe que questões relacionadas à gestão dos gases de efeito estufa são de extrema importância para a competitividade de um novo mercado que está surgindo”, afirmou.

Segundo Hirose, já em 2014 muitas empresas vão exigir a contabilização dos efeitos dos gases estufa por parte de empresas fornecedoras. “Sendo assim, as empresas preparadas para essa demanda serão diferenciadas e terão vantagens competitivas”.

De acordo com o diretor do departamento, países como China e Estados Unidos começam, nesse momento, a dar mais atenção a esse tema, que “está muito próxima de toda a cadeia produtiva da indústria”.

Para ele, todas as cadeias produtivas precisam estar preparadas para o novo mercado que está nascendo. “A gestão do gás é uma das ações estratégicas das grandes empresas. Entretanto, sua implantação e difusão é ainda um desafio para as empresas de menor porte”, afirmou.

Hirose falou também sobre as ações realizadas DMA/Fiesp. “Preparar os empresários e empresas para uma atuação melhor na questão ambiental é um dos focos. A questão ambiental é uma questão de sobrevivência e competitividade para algumas empresas”.

Ao participar do seminário, Marco Antonio dos Reis, diretor titular adjunto do Departamento de Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Fiesp, explicou a atuação do departamento.

“Noventa e nove por cento  das indústrias, das 100 mil que existem no Estado de São Paulo, são pequenas e médias. Trabalhamos para representar esse setor tão importante da economia. Capacitamos empresas e sindicatos. Realizamos salas de crédito e, anualmente, fazemos o Congresso das Pequenas e Médias Indústrias, que acontece dia 10 de outubro”, disse.

Em seguida, Júlio Jemio, consultor do projeto da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) de fomento e gestão dos gases de efeito estufa, explicou o funcionamento do projeto. “O projeto do ABNT/BID visa conscientizar as pequenas e micro empresas sobre a importância da gestão consciente dos gases de efeito estufa.”

Jemio: projeto do ABNT/BID visa conscientizar pequenas e micro empresas. Foto: Julia Moraes.

Jemio: projeto do ABNT/BID visa conscientizar pequenas e micro empresas. Foto: Julia Moraes.


Jemio detalhou objetivos da empreitada: “preparar a ABNT para ser o primeiro organismo para a validação e verificação de gases de efeito estufas na indústria brasileira, disseminar informações e conhecimentos do projeto e, por fim, desenvolver a implantação do Programa de Gestão dos Gases do Efeito Estufa em pequena e média empresa”.

No fechamento do encontro, Stefan Jacques David, consultor de sustentabilidade e meio ambiente da Abividro e gerente de negócios da MGM Innova, trouxe um pouco da sua experiência nas duas instituições para alertar os empresários sobre a necessidade de “fazer a lição de casa” com relação às emissões de carbono. “Muitos disseram que as mudanças climáticas eram balela, interesses de determinado país, mas isso é passado, ficou para trás. Não se discute mais isso, é irreversível. A questão, agora, é como se preparar para o cenário regulatório e para a competição internacional, em que o carbono já faz parte”, declarou.

“Se eu quiser me preparar para o futuro, eu preciso aprender a gerenciar as emissões de carbono. Não adianta só pensar em eficiência energética e melhoria de processos. Se não trabalhar na gestão do carbono, provavelmente, vai ter problemas”, concluiu.

Departamento de Micro, Pequena e Média Indústria da Fiesp promove ciclos de palestras gratuitas na Fipan 2013

Agência Indusnet Fiesp 

O Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp),  participará, em parceria com o Sindicato de Panificação e Confeitaria de São Paulo (Sindipan), da Feira Internacional de Panificação, Confeitaria e do Varejo Independente de Alimentos (Fipan 2013), que acontece entre os dias 22 a 25 de julho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

A participação do Dempi se dará por meio do “Ciclo de Palestras Gratuitas” e o “Atendimento Empresarial” para o público do setor. Durante toda a feira, serão realizadas 15 palestras com temas diversos na área de gestão empresarial e focados para o setor de panificação.

Confira abaixo a grade de palestras e clique aqui para ver a programação completa.

CICLO DE PALESTRAS GRATUITAS


Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389
clique para ampliar a imagem


Dempi retoma série de palestras em universidades paulistas

Agência Indusnet Fiesp 

O Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Fiesp retomou em abril o programa de palestras em instituições de ensino superior na Capital. Os encontros são resultados do convênio assinado pelo departamento com 20 universidades.

A primeira palestra da nova série ocorreu no dia 29/4, na Fundação Vanzolini, e abordou o tema “Indicadores de Desempenho em Recursos Humanos”. Na quarta-feira (5/5), a Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB) realizou com o Dempi o evento “Aprendendo a Vender”.

Agora será a vez da Fundação Santo André (FSA) ceder espaço à palestra sobre “Liderança e Gestão de Pessoas”, agendada para quarta-feira (12), às 19h30. O palestrante Luiz Carlos Montanari falará sobre a conscientização da mudança do papel do gestor, transição do papel de contribuidor individual para gestor e líder de equipes e a introdução de mudanças no ambiente de trabalho.

Por último, na sexta-feira (14), às 8h, serão apresentadas ferramentas de apoio às micro, pequenas e médias empresas, no IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas). A palestra “Como o IPT pode ajudar a sua empresa” mostrará o funcionamento de programas de apoio, como Prumo, Progex e Gespro.

As palestras são gratuitas e as inscrições podem ser feitas no site da Fiesp (http://www.fiesp.com.br). Mais informações estão disponíveis pelos telefones (11) 3549-4232/4446/4453.

Leilões de dólares favorecem pequenas empresas, afirma presidente do BC

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540027389

Henrique Meirelles

O governo brasileiro decidiu aumentar o raio de alcance das medidas destinadas ao financiamento das exportações. A previsão é leiloar U$ 20 bilhões “sem direcionamento” para irrigar a base do sistema financeiro nacional, por meio de bancos menores, conforme revelou nesta segunda-feira (13) o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

“Aumentamos a abrangência dos recursos direcionados para o comércio exterior. Isso permitiu que fosse feita a captação de recursos no Brasil para emprestar a qualquer empresa com demanda por crédito”, declarou Meirelles, durante a abertura do Fórum do Impacto da Crise na Micro, Pequena e Média Indústria, realizado na sede da Fiesp e do Ciesp.

Já foi repassado US$ 1,3 bilhão para bancos de pequeno e médio portes, segmento responsável pela maior parte dos financiamentos concedidos às micro, pequenas e médias empresas (MPMEs).

De acordo com Meirelles, as medidas visam ao restabelecimento do crédito. “Há um plano do governo e uma ação forte dos bancos públicos para garantir leilões de dólares a bancos pequenos e oferta [de crédito] crescente”, revelou.

Competitividade

O presidente do BC anunciou que o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) passa por reformulações para facilitar a captação de recursos por bancos de menor porte. Entre as mudanças:

  • Ampliação da garantia para depósitos a prazo para até R$ 20 milhões, estando todos os depósitos do sistema (não somente ‘a prazo’) de até R$ 60 mil assegurados;
  • Aumento do prazo de devolução para até 60 meses pelos bancos;
  • Valor máximo de R$ 5 milhões por instituição financeira.Segundo Henrique Meirelles, as medidas estão permitindo a captação de recursos que são repassados às MPMEs. “A ideia é irrigar a base do sistema com os leilões de dólares sem direcionamento e fazer com que o crédito seja restabelecido no País muito antes do que no exterior”, garantiu.SelicMeirelles reconheceu que a autoridade monetária é moderada ao promover cortes na Selic. “Não há dúvida de que o Brasil tem uma taxa básica muito alta, mas que vem caindo nos últimos anos”, considerou. “Uma economia que cresce 9,3% [na demanda interna] não é uma economia que tem um Banco Central conservador.”

    De acordo com o presidente do BC, o Comitê de Política Monetária (Copom) tem como perspectiva reduzir os juros no longo prazo para não desestabilizar a economia. “É importante garantir o crescimento sustentado, com juros reais e taxas nominais mais baixas no futuro, sem que isso possa desequilibrar a inflação”, sinalizou.