‘É preciso desonerar os alimentos’, defendem Paulo Skaf e Paulo Teixeira na Folha

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540127439

O presidente da Fiesp/Ciesp, Paulo Skaf, e o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP)

O peso dos tributos no preço da comida no Brasil é o tema de artigo publicado pelo jornal Folha de S. Paulo deste domingo (29/07), com a assinatura conjunta do presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), Paulo Skaf, e do deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores (SP), Paulo Teixeira.

O texto “É preciso desonerar os alimentos” foi publicado na seção Tendências e Debates, página 3 da Folha, e defende o projeto de lei 3.154/2012, de autoria de Teixeira.


Em reunião na Fiesp, Paulo Teixeira aponta caminhos para a Reforma Política

Elcio Cabral, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540127439

Paulo Teixeira participa de evento na Fiesp

O Conselho Superior de Estudos Avançados (Consea) da Fiesp recebeu nesta segunda-feira (21) o deputado federal paulista Paulo Teixeira, na sede da entidade. Ele debateu o tema “Reforma Política, Possível” na segunda reunião do ano do Consea.

O líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados elogiou o sistema político brasileiro, que afirmou ter grandes virtudes: “A democracia foi fruto de uma conquista da sociedade que lutou contra um regime de exceção”.

O deputado se disse a favor do voto obrigatório, mas classificou a imposição no Brasil como “frouxa”, por facilitar a justificação de ausência. “O voto obrigatório é muito importante para a democracia, mas 25% da população não votou nas últimas eleições”, destacou.

Outra virtude assinalada por Teixeira é o fato de a democracia nacional ser proporcional: “Nós conseguimos ter no Congresso Nacional todas as forças políticas representadas na nossa sociedade, da extrema esquerda à extrema direita.”

Deficiências do sistema

Para o deputado federal, o primeiro tema a ser tratado é a substituição do financiamento privado pelo público. “Promessas de negócios têm sido a fonte da corrupção no Brasil. As pessoas acabam obtendo financiamento mediante a permuta e a promessa de negócio no Estado”, enfatizou Paulo Teixeira, e completou: “Se você for olhar a lista dos doadores [de campanha], via de regra é exatamente a lista dos contratados da área pública.”

O segundo problema, para o líder do PT, é que o sistema político no Brasil é “personalista, calcado em pessoas, e não em ideias”. O terceiro: o excesso de partidos políticos. “É preciso romper com a dinâmica de criação de partidos”, concluiu.

Próxima reunião

O presidente do Consea, Ruy Martins Altenfelder Silva, informou que o tema do próximo encontro será o mesmo. Para o debate, foi convidado o senador Francisco Dornelles.