Conselho de Inovação da Fiesp debate desafios para a competitividade da indústria

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Os membros do Conselho Superior de Inovação e Competitividade (Conic) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) se reuniram, na manhã desta sexta-feira (06/12), para avaliar os desafios da indústria com relação à competitividade no mercado internacional.

Durante o encontro, o gerente do Departamento de Competitividade (Decomtec) da Fiesp, Renato Corona, apresentou os números do Índice de Competitividade elaborado pelo departamento e divulgado em novembro deste ano.

Segundo o indicador de 2013, o Brasil está no fim da lista mundial de competitividade. Em um ranking de 43 países, o país ocupa a 37º no que diz respeito à inovação e à competitividade.

Corona reiterou que a falta de produtividade da indústria brasileira compromete a competitividade do Brasil no cenário externo.

“É sempre bom lembrar o quanto a indústria é importante porque os maiores momentos de crescimento econômico foram puxados pela indústria. Ela favorece a capacitação e a projeção de carreira melhor do que todos os outros setores da economia”, defendeu Corona.  “Quando a produtividade da indústria cresce, a economia cresce”, completou.

Corona também fez um balanço das ações do Decomtec para estimular a inovação e a competitividade nas empresas de São Paulo.

Corona: “Quando a produtividade da indústria cresce, a produtividade da economia cresce”. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Corona: “Quando a produtividade da indústria cresce, a economia cresce”. Foto: Beto Moussalli/Fiesp


Segundo ele, foram atendidas pelo departamento, em conjunto com outras áreas da Fiesp, ao menos 330 empresas por meio do programa Núcleo de Apoio de Gestão à Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás (Nagi) em seis regiões: São Paulo, Sertãozinho, Vale do Paraíba, Ribeirão Preto, Campinas e Mogi das Cruzes.

“Tivemos 107 empresas capacitadas nestes treinamentos, sendo que os módulos de capacitação receberam nota ‘ótima’ por parte de 82 % dos empresários”, afirmou.

O gerente do Decomtec também destacou o Projeto de Extensão e Inovação da Indústria Fiesp, Ciesp e Senai, no qual 410 empresas foram mobilizadas em 12 regiões no interior e na Grande São Paulo em torno do tema inovação tecnológica.

Segundo Corona, “146 empresas foram capacitadas na gestão de inovação e na elaboração de projetos de inovação e como buscar financiamento”.

Financiamento

Também participou do encontro o superintendente da Área de Fomento e Novos Negócios da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Paulo Resende. Ele apresentou os resultados do modelo de financiamento 30 Dias, lançado em setembro de 2013.

Resende: ao menos R$ 12 bilhões em demanda por investimentos em inovação. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Resende: ao menos R$ 12 bilhões em demanda por investimentos em inovação. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

De acordo com Resende, foram calculados ao menos R$ 12 bilhões em demanda por investimentos em inovação. “Aprovamos R$ 3 bilhões em projetos que estão em fase de contratação”, disse. “Outros R$ 6 bilhões estão rodando na máquina para receber a resposta os próximos dias”, afirmou o superintendente.

A reunião do Conselho Superior de Inovação e Competitividade da Fiesp foi dirigida pelo seu presidente, Rodrigo Rocha Loures.