Presidente do Lide Economia propõe criação de conselho de gestão fiscal por MP

 Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

No que diz respeito a crescimento econômico, o governo não está na direção errada, mas é necessário acelerar o ritmo para devolver competitividade à indústria brasileira, afirmou nesta quarta-feira (04/07) o economista e presidente do Lide Economia, Paulo Rabello de Castro.

“O ministro [da Fazenda, Guido Mantega] já está baixando os juros. Já conseguimos um realinhamento cambial. O que falta? Falta realmente um choque de produtividade”, alertou Rabello, ao participar do Seminário Econômico Fiesp e Lide – “Agenda Brasil, Proposta para o Avanço Acelerado do País”, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544610825

Paulo Rabello de Castro entrega propostas ao ministro Guido Mantega

Para o economista, a ineficiência do setor público está entre as principais causas da improdutividade brasileira. Segundo estudo apresentado nesta manhã pelo Lide a empresários, se a baixa produtividade da economia brasileira persistir, o país estará “arrecadando perda anual de R$ 1,3 trilhão em 2022”.

“Nós sabemos que uma parte importante dessa improdutividade está na ineficiência do próprio setor público. Portanto, temos uma proposta muito objetiva que eu gostaria que fosse convertida em Medida Provisória, se possível”, disse Rabello, sugerindo a implementação de um conselho de gestão fiscal. “Temos que apressar o passo com uma Medida Provisória porque é relevante e urgente que tenhamos um conselho de gestão fiscal. Seria um instrumento adequado.”

Outro assunto destacado pelo economista foi a simplificação fiscal. Rabello reforçou o pedido, feito há poucos meses a Mantega, para retomar uma proposta de único imposto na circulação de mercadorias e serviços, apresentada pelo próprio ministro da Fazenda em 2008.

“Essa proposta precisa ser retomada. Há uma dificuldade de aprovação, hoje, no Congresso Nacional, mas nós gostaríamos de dizer ao ministro que estamos aqui para protestar pelo apressamento do passo na votação de um projeto que realmente simplifique o país”, afirmou Rabello. “Seria bom se fosse pago um tributo só pela circulação de mercadorias e serviços. Eu acho que é isso que o contribuinte brasileiro merece”, concluiu.

Proposta para o Avanço

Durante a abertura do Seminário Econômico Fiesp e Lide, Paulo Rabello de Castro apresentou uma agenda elaborada pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) com levantamentos conjunturais e propostas para estimular o crescimento econômico do país.

A “Agenda Brasil, Proposta para o Avanço Acelerado do País” lista cinco realinhamentos para aumento da produtividade e criação de riqueza: “Aumento da Eficiência no Setor Público”, “Transformar Juros em Infraestrutura Local”, “Eficiência Fiscal Competitiva”, “Socialização da Riqueza Nacional” e o “Tripé – Educação, Inovação e Sustentabilidade”.

“Que o senhor submeta à presidente Dilma Rousseff a possibilidade de termos uma espécie de agenda em curso com a sociedade brasileira. Obviamente, o governo já tem uma agenda de compromisso. Então seria uma agenda própria com a sociedade, capaz de acompanhar a implementação desses realinhamentos”, sugeriu Rabello ao ministro Guido Mantega.