Secretários do Esporte do Estado e do município de São Paulo destacam na Fiesp importância da iniciativa privada

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

A Fiesp está aqui para ser uma caixa de ressonância de suas ações, disse Mario Frugiuele nesta quarta-feira (22/2), ao abrir a reunião do Comitê da Cadeia Produtiva do Desporto da Fiesp (Code), do qual é coordenador. Frugiuele se referia aos secretários do Esporte Paulo Gustavo Maiurino (Estado de São Paulo) e Jorge Damião de Almeida (município de São Paulo).

Nosso maior desafio é arrumar a casa, disse Maiurino, “e nossa única opção é buscar a parceria da iniciativa privada” para incentivar o esporte. Temos tentado tornar mais democrático o acesso ao esporte, disse Maiurino. “Com criatividade devemos conseguir.”

Há cerca de 40 dias no cargo, o secretário Damião Almeida afirma que está em gestação uma revolução no esporte. A meta é preparar São Paulo para o futuro. A proposta tem quatro pilares, discutidos com atletas, empresários de diversas áreas e funcionários.

O conceito é São Paulo cidade ativa, discutindo a importância da atividade física para a vida da população. Indicadores de saúde fizeram acender um sinal de alerta, disse Almeida. Gastar melhor, fazendo mais e melhor, é o lema. “Vou perseguir a palavra parceria.”

É preciso haver uma sensibilização da população em relação à atividade física e ao esporte, disse Frugiuele, ressaltando o papel da comunicação – especialmente das novas tecnologias, como aplicativos.

Reunião do Code, da Fiesp, com a participação de Paulo Maiurino e Jorge Damião. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Reunião do Code, da Fiesp, com a participação de Paulo Maiurino e Jorge Damião. Foto: Everton Amaro/Fiesp