Diretor da Fiesp fala sobre a importância da Contribuição Sindical patronal

Agência Indusnet Fiesp

Paulo Henrique Schoueri. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Na sexta-feira (23/01), o diretor titular da Central de Serviços (Cser) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Henrique Schoueri, concedeu entrevista à rádio Band, sobre a importância do recolhimento da Contribuição Sindical patronal. A data-limite para recolher essa contribuição sem multa é o dia 31/01.

O tributo é uma obrigatoriedade para as empresas, conforme artigos 578/591 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Ele faz parte da lista de documentos exigidos pelo Ministério do Trabalho.

Schoueri explicou que o sindicato patronal é o maior defensor dos interesses coletivos das empresas que representam porque conhece o segmento, acompanha as leis, normas e interfere junto aos poderes municipais, estaduais e federal.

“A contribuição sindical, para muitas entidades, é a única fonte de receita para vários sindicatos patronais. E o sindicato patronal é o maior representante da empresa no cenário municipal, estadual e federal e quem normalmente defende dentro da própria Federação das Indústrias a posição do seu sindicato”, disse Schoueri.

Segundo ele, a contribuição sindical – paga em apenas uma parcela anual – é uma importante fonte de recursos das entidades que garantem benefícios e maior competitividade para as empresas.

“Com essa enxurrada de leis que vêm saindo e oneram o custo das empresas, é importante estar bem representado e o sindicato tem custos que precisam ser supridos. Então, uma pequena parcela da contribuição de cada um no final soma e dá sustentabilidade ao sindicato para representar as empresas junto aos governos”, completou Schoueri.

Campanha

Para ampliar a divulgação sobre o assunto, a Fiesp promove nesta semana uma campanha com anúncios em rádio. No final do ano passado, a entidade já havia publicado anúncios em jornais.

Saiba como foi o ‘Dia do Empresário da Indústria’, evento da Central da Serviços da Fiesp

Da Cser, Agência Indusnet Fiesp

Araçatuba, município a aproximadamente 520 quilômetros da capital, foi sede de mais um evento do “Dia do Empresário da Indústria”.

A iniciativa, promovida pela Central de Serviços (Cser) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), com apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), contou com a parceria do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui (Sinbi), reunindo empresários das principais cidades da região.

Paulo Henrique Schoueri: empresário é mais forte a partir do momento que se une. Foto: Cser

 

De acordo com o diretor titular da Cser, Paulo Henrique Schoueri, um dos objetivos da ação é estimular o associativismo e mostrar que os empresários são mais fortes a partir do momento em que se unem.

“As empresas têm que ser atendidas e o sindicatos precisam usar tudo o que a Fiesp disponibiliza”, disse Schoueri ao explicar rapidamente o que cada departamento da entidade pode oferecer aos sindicatos.

Na sequência, a diretora do Centro de Atividade do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) de Araçatuba, Salete Surani, apresentou o que a unidade proporciona aos funcionários da indústria. “O grande ganho nosso é divulgar todos os serviços do Sesi-SP, que são tanto para funcionários como para a família do funcionário da indústria.”

Misael Pinheiro, coordenador pedagógico da unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) em Araçatuba, exibiu vídeos que explicam o trabalho da escola, ressaltando que o interesse da instituição é manter a competitividade da indústria brasileira. Além dos cursos permanentes, Pinheiro mostrou como funciona o trabalho das unidades móveis do Senai-SP e os demais projetos educacionais.

Um vídeo institucional apresentou um pouco do trabalho do Sinbi, e o presidente Antenor Marques destacou o lançamento da campanha “Indique um Sonho”, que visa levar pessoas com deficiência para o mercado de trabalho.

Para o presidente do Sinbi, a grande vantagem desse tipo de evento é a possibilidade de aproximação com os empresários que estão um pouco mais distantes.

Nelson Giardino, Paulo Henrique Shoueri e Antenor Marques da Silva Filho. Foto: Cser

 

“Esse trabalho que a Cser vem fazendo de estimular o associativismo é extremamente importante e vem de encontro com o trabalho que nós do Sinbi fazemos de longa data e que vem dando resultado”.

Cenário da economia brasileira em 2014

O evento foi finalizado com a palestra “Perspectivas Econômicas 2014”, conduzida pelo gerente do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, Guilherme Moreira.

Segundo ele, depois de um 2013 de recuperação, 2014 não apresenta um cenário otimista. “O grande problema é que o empresário está com a sensação de que este ano não será exuberante. Esta queda de confiança é o principal fator que emperra o desenvolvimento. Se acreditarmos que o cenário não está bom, com certeza não faremos investimentos”, explicou.

Na análise de Moreira, o otimismo pode ser recuperado a partir do momento em que se troca o modelo de importações e se prioriza a produção nacional. “É preciso investir na qualidade a fim de aumentar a competitividade do empresário nacional da fábrica para fora, visto que da fábrica para dentro ele é competitivo e está melhor ou igual a qualquer outro”, afirma.

O vice-presidente setorial do Sinbi, Samir Nakad, falou sobre os benefícios oferecidos pelo Sesi-SP e pelo Senai-SP, ressaltando a necessidade da valorização daquilo que saí do próprio bolso. “A importância é que um evento como esse abre nossa mente para informações não lembradas no dia a dia.”

O vice-presidente Nelson Giardino destacou o papel da parceria  entre Fiesp e sindicatos como apoio à indústria. “É um evento que aproxima o Sindicato e a Fiesp, que por sua vez tem muito recurso para apoiar o empresário, assim como o Sinbi faz com a Universidade Corporativa, ou seja, traz a informação e mostra o que está acontecendo de novo”.

Depois das palestras, os participantes se reuniram em um coquetel e aproveitaram para trocar ideias. “Acho que as informações precisam ser repassadas sempre, pois muita coisa vai caindo no esquecimento na correria do dia a dia. Isso fortalece e nós aprendemos”, ressaltou a associada do Sinbi Elizabete Buono.

Outro empresário, Marcos Noale, aprovou o evento. “É interessante para ampliar nosso conhecimento sobre tudo que o Sesi-SP, o Senai-SP e a Fiesp proporcionam.”

João Carlos da Silva, destacou a palestra econômica. “Foi uma explanação breve, mas muito realista do nosso mercado.”

Empresários da região de Campinas conhecem serviços da Fiesp, Sesi-SP e Senai-SP

Agência Indusnet Fiesp, com informações da CSER

Empresários conheceram os serviços oferecidos pelos departamentos da Fiesp. Foto: CSER

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) realizou na quinta-feira da semana passada (22/08), em Campinas, “O Dia do Empresário da Indústria da Região de Campinas”, encontro para os novos associados das entidades sindicais participantes.

A apresentação, organizada pela Central de Serviços (CSER) da Fiesp, com o apoio da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), contou com a presença de presidentes de sindicatos e de representantes de aproximadamente 100 empresas.

De acordo com o diretor da CSER/Fiesp, Paulo Henrique Schoueri, o evento teve por objetivo aproximar ainda mais os industriais da região de Campinas das atividades da entidade. “Aproveitamos para mostrar os serviços que a Fiesp possui e que estão à disposição de todas as empresas do Estado por meio de seus sindicatos.”

Os representantes do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) de Campinas também mostraram o que as entidades oferecem aos empresários.

Paulo Sérgio Casati, diretor do Centro de Atividades Prof.ª Maria Braz de Sesi-SP, no bairro das Amoreiras, contou um pouco da trajetória do local e apresentou os serviços oferecidos, principalmente na área da educação e de qualidade de vida.

Pedro Humberto Contieri Filho, diretor da escola Roberto Mange, do Senai-SP, destacou que a instituição de ensino profissionalizante tem por missão estar junto da indústria na qualificação da mão de obra. Outro ponto destacado por ele foi a questão da inovação. “O Senai-SP está buscando essa inovação dentro e fora do país”.

Após as apresentações locais, Paulo Henrique Schoueri fez uma rápida apresentação sobre os departamentos da Fiesp: a própria CSER, que se comunica com todas as áreas da federação; o Departamento Sindical (Desin), que assessora sindicatos filiados nas áreas jurídica sindical e trabalhista; o Departamento Jurídico (Dejur), que trabalha na análise das legislações e pleitos jurídicos; o Departamento de Meio Ambiente (DMA), que orienta em questões ambientais; o Departamento de Ação Regional (Depar), que representa os sindicatos junto ao Sesi-SP e Senai-SP; o Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon), que faz análises econômicas, índices de empregos e abastece sindicatos com esses estudos; o Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec), um dos departamentos que mais oferece produtos e serviços aos sindicatos; o Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi), que realiza em outubro um grande congresso e o Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex), que cuida de mercado exterior.

Encerrando o evento, Jorge Rocco, do Departamento de Meio Ambiente, fez uma apresentação sobre a Política de Resíduos Sólidos e a necessidade de sindicatos orientarem as empresas para a importância de se adequar ao que determina a legislação. “Essa legislação vai refletir no setor produtivo por trazer mudanças no olhar do setor industrial”, disse ele.

Após as apresentações, a agenda prosseguiu em um jantar de confraternização.