Escola Senai Suiço-Brasileira homenageia Paulo Ernesto Tolle

Djalma Lima, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545001820

Vera Tolle, filha do advogado e educador Paulo Tolle, agradece a homenagem, na presença do presidente da Fiesp/Senai-SP, Paulo Skaf (2º da dir. p/ esq.), diretores, professores e alunos da escola Suíço-Brasileira



Alunos e professores reuniram-se nesta sexta-feira (28) com o presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, para prestar homenagem póstuma ao professor Paulo Ernesto Tolle, que se tornou patrono da Escola Senai Suíço-Brasileira, em Santo Amaro, capital.

A iniciativa é um reconhecimento à trajetória do professor e advogado paulista que mesclou sua formação original com a vocação de educador, criou instituições renomadas e contribuiu para o aperfeiçoamento do ensino no pais, inclusive no Senai paulista.

“Paulo Tolle dizia que era preciso pensar nas pessoas e no país. Podemos considerar uma escola como um templo sagrado, porque é através do conhecimento que as pessoas têm oportunidades iguais de vida”, ressaltou Paulo Skaf, durante o evento.

A filha do advogado e educador, Vera Tolle, agradeceu a homenagem e contou que a Suíço-Brasileira era a escola do coração dele. “Meu pai costumava chamar os alunos de ‘os meninos’. Fazia questão de escolher muito bem o nome dos patronos de todas escolas porque queria que servissem de modelos para os alunos.”

Paulo Tolle

Paulo Ernesto Tolle nasceu em São Paulo, no dia 26 de setembro de 1918, no fim da 1ª Guerra Mundial, e faleceu em 12 de agosto de 2010. Era filho de engenheiro mecânico e agrônomo alemão casado com brasileira, filha de pai português.

Como advogado, Tolle idealizou leis que abriram espaço para o desenvolvimento do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), onde foi professor por anos. Também ajudou a fundar o Centro Técnico de Aeronáutica (CTA), com o Coronel Casimiro Montenegro Filho. Foi também secretário municipal e estadual de Educação de São Paulo.

Lecionou na Faculdade de Direito e Educação da Universidade de Berkeley, na Califórnia, nos EUA, em 1966, quando atravessou os EUA, passando por diversos centros de ensino técnico. A experiência adquirida nesse período foi trazida para o Brasil e o conceito dos centros norte-americanos deu origem à primeira Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec).

Em 1970 foi nomeado Diretor do Departamento Regional do Senai, em São Paulo, cargo em que permaneceu até 30 de abril de 1992. Durante essas duas décadas, o Senai cresceu, expandiu sua rede escolar, criou a maioria das escolas técnicas, mantendo sempre alto padrão de qualidade e atendimento que o distinguiram como agência de educação para o trabalho.