Iniciativas Sustentáveis: Bosch – Atraindo a Diversidade

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189743

Por Karen Pegorari Silveira

O setor de auto peças no Brasil, tradicionalmente, foi marcado pela significativa presença masculina e a crença de que área de engenharia não era para as mulheres. Mas recentemente empresas começaram a investir em programas que mostram para as estudantes e profissionais da área que elas podem sim desenvolver uma carreira sólida e crescer neste segmento. Há alguns anos o Brasil formava apenas 9% de engenheiras, enquanto hoje este número já chegou a 14%.

A Bosch, por exemplo, criou o programa women at bosch, que tem o objetivo de ampliar o número de mulheres tanto nas áreas técnicas trabalhando com pesquisas de desenvolvimento, como em posições de liderança. O programa foi criado por uma demanda da matriz na Alemanha. Em 2007, globalmente, foi o marco zero do programa e começou a ganhar mais repercussão no Brasil a partir de 2011.

A gerente de Recursos Humanos da Bosch, Paula Pessoa, diz que quando falam em Diversidade na Bosch, não abordam apenas a questão de gênero e sim, gênero, gerações, cultura e internacionalidade. “O pilar de gênero foi o primeiro que começamos a trabalhar em 2011 no Brasil. Diversidade é um dos valores da Bosch. Para nós ter uma equipe diversa, permite ter mais força para inovação, mais chance de orientação para o cliente, uma empresa mais atrativa para trazer pessoas que queriam trabalhar aqui e mais atrativa para o mercado. No fim do dia, conseguimos ampliar o resultado do negócio”, diz Paula.

Uma pesquisa realizada pela empresa recentemente, mostrou que o seu quadro de colaboradores está com aproximadamente 3% mais participação de mulheres em cargos de liderança do que outras empresas do setor.

A gerente Paula conta que também têm feito ações dentro das universidades. “Nós mostramos às mulheres como é trabalhar em áreas técnicas e que essa não é mais uma profissão rigorosamente masculina. “Precisamos mudar o mindset aqui dentro da empresa também, para que equipes masculinas aceitem de fato mais mulheres e vejam que isso é benéfico no dia a dia. Temos vários treinamentos com times de gestão para trazer em pauta essa reflexão da diversidade e as vantagens e desafios que a ela traz”, diz.

Para atrair mais profissionais, a empresa oferece política de jornada flexível, home office ou contrato part-time (meio período). Este último, muito atrativo para as mães que querem continuar investindo em suas carreiras mas também precisam dedicar mais tempo aos filhos. Há também o programa de mentoring para mulheres, que identifica as profissionais com potencial dentro da empresa e que possam ocupar cargos de liderança no futuro. Este programa tem a finalidade de prepará-las para que, de fato, elas cheguem a exercer tais funções e as auxilia com relação a conflitos entre carreira e vida pessoal, ajudando-as a conciliar as duas áreas.

A equidade salarial também é algo perseguido na Bosch. Em seu quadro atual não há divergência salarial entre homens e mulheres pelo fato de gênero. Em alguns casos apenas, porém sem números divulgados pela empresa, há diferenças relacionadas a tempo de casa e outras variáveis que não são gênero.

Desde que estas ações foram implementadas, houve aumento gradativo da participação de mulheres em posições de liderança e a empresa expõe a meta de crescer cerca de 6% a quantidade de mulheres em posições gerenciais até 2018. Segundo Paula Pessoa, o número de profissionais mulheres em seu banco de potencial hoje está na casa dos 40%. Já 45% dos seus estagiários são mulheres e, destas, 19% estão nas áreas técnicas, sendo que há 3 ou 4 anos essas estudantes nem chegavam a se candidatar. Esta ampliação também se deve ao programa Junior Management Program, desenvolvido para profissionais que já estão no mercado e possam chegar aos cargos de liderança dentro da Bosch de 6 a 8 anos. Hoje 40% dos profissionais do mercado que entraram na empresa através deste programa são mulheres.

Para a Bosch, a diversidade é uma grande vantagem competitiva. “Acreditamos que é somente com um time diverso, não somente em gênero, que poderemos ser mais inovadores, mais ágeis e com melhores resultados nos negócios. Para nós, a diversidade traz oportunidades”, relata a gerente de RH Paula Pessoa.

Sobre a Bosch

Há mais de 60 anos no mercado nacional, o grupo Bosch emprega no país cerca de 9300 colaboradores e registrou, em 2014, um faturamento líquido de R$ 4.2 bilhões com produtos e serviços automotivos para montadoras e para o mercado de reposição, ferramentas elétricas, sistemas de segurança, termotecnologia, máquinas de embalagem e tecnologias industriais.