Organizadores do File destacam estímulo à arte digital promovido pelo evento

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Em 2000, Paula Perissinoto e Ricardo Barreto criaram o primeiro Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, o File. O evento chega agora à sua 14ª edição, que começa nesta terça-feira, dia 23/07, mantendo seu principal objetivo: promover, divulgar e estimular a produção estética digital no Brasil.

Hoje, o evento faz parte da agenda cultural não só de São Paulo mas do País, reunindo trabalhos de várias partes do mundo e com as mais diferentes linguagens. De acordo com os organizadores, esse ano, eles receberam mais de mil propostas por meio de edital internacional, vindos de cerca de 30 países.

“A linguagem digital se tornou parte da sociedade contemporânea, está no nosso dia a dia”, diz Paula. “Nada mais natural que os artistas façam uso dessas ferramentas para se expressar”.

Paula: linguagem digital mais acessível. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Paula: linguagem digital mais acessível, parte da sociedade contemporânea. Foto: Julia Moraes/Fiesp


Para ela, houve um grande avanço de todos os aspectos da arte digital, desde que o File começou. “O File é um produto cultural que está evoluindo ao longo do tempo, acompanhando a proposta de evolução contínua do universo digital”, afirma a organizadora.

Paula destaca ainda o crescimento do público do evento. “Desde 2004, temos o apoio do Sesi-SP, o que contribuiu muito para a democratização da arte digital”, diz. “O fato de ser realizado na Paulista, na frente de uma estação de metrô e totalmente gratuito, torna o File mais acessível. Isso representa uma inclusão digital e cultural muito importante.”

Sob vários ângulos

Ricardo Barreto reforça ainda o diferencial da arte digital. “A gente tenta mostrar vários aspectos da arte digital, sob vários ângulos”, explica. “Quem visitar a área de animação, por exemplo, vai ter uma visão do que está acontecendo no mundo em relação a isso”, diz. “E entender como a animação está relacionada com os games, com a música eletrônica, com o cinema”, afirma.

Ricardo: arte digital sob vários ângulos. Foto: Julia Moraes/Divulgação

Ricardo: arte digital sob vários ângulos em discussão nos trabalhos do File 2013. Foto: Julia Moraes/Divulgação


O File estará aberto ao público de 23 de julho a 1º de setembro, em diversos espaços do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Avenida Paulista, 1313). Veja a programação completa no site do evento: http://www.sesisp.org.br/cultura/exposicao/file-14-edicao.html.