Evento na Fiesp abre a 8ª Semana Nacional da Conciliação

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Um café da manhã marcou a abertura da 8ª Semana Nacional da Conciliação, na manhã desta segunda-feira (02/12), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Na capital paulista, a semana acontecerá no Parque da Água Branca. Nesta segunda-feira (02/12), das 13 às 17 horas. Nos dias 3, 4, 5 e 6 de dezembro, das 10 às 17 horas.  No sábado (07/12), das 10 às 14 horas.

O evento, que reuniu especialistas e autoridades, também foi palco da assinatura do Manual de Conciliação da Justiça Federal da 3ª Região.

“A semana da conciliação é uma das iniciativas mais importantes que existem dentro da esfera judicial”, afirmou Newton de Lucca, desembargador federal e presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3).

“Durante esta semana um número impressionante de conciliações acontece”, disse Lucca. “Conciliar é importante e vantajoso para todos os envolvidos”, completou.

Sanches (à esquerda) e Lucca: incentivo à conciliação, com vantagem para todos os envolvidos. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Sanches (à esquerda) e Lucca na Fiesp: ações de incentivo à conciliação. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Para o desembargador federal, o ideal é a pacificação dos conflitos, evitá-los de todas as formas. ”Um acordo em nível pré-processual economiza para a sociedade um número alto de processos. Acordos são sempre uma contribuição para termos mais paz na sociedade”, concluiu.

Manual de Conciliação

O Manual de Conciliação de Justiça Federal da 3ª Região foi assinado durante o café da manhã. “O manual consolida e documenta uma prática. Mesmo que haja substituição de servidor, o profissional saberá como proceder. O manual sana dúvidas didaticamente”, resumiu Daldice Santana, desembargadora federal, coordenadora do gabinete da Conciliação da Justiça Federal da 3ª Região.

Para Lucca, o manual contribuirá para os profissionais da área, pois é um ponto minucioso de apoio para os conciliadores.  “Servirá como um roteiro de trabalho para todos os profissionais”, completou.

Para o presidente do Conselho Superior de Assuntos Jurídicos e Legislativos (Conjur) da Fiesp, Sydney Sanches,  a conciliação é “muito frutífera” para as partes envolvidas. Entretanto, assim como a mediação, essa prática “precisa ser mais difundida na cultura judicial brasileira”.