Negócio com chineses é 60% pautado por relacionamento, segundo escritório de advocacia especializado

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540316792

José Ricardo dos Santos Luz Júnior: 'Demora para fechar negócio com chineses desestimula o empresário'. Foto: Everton Amaro

Parceiros comerciais chineses são muito ágeis em desfazer negócio. No entanto, para celebrar um acordo, é necessário tempo e dedicação em um relacionamento interpessoal, destacou nesta terça-feira (06/11) o consultor José Ricardo dos Santos Luz Júnior, sócio da Duarte Garcia, Caselli Guimarães e Terra Advogados.

“Detalhes são imprescindíveis para celebrar o negócio: são 60% relacionamento e 40% contrato”, disse Luz Júnior, ao participar do seminário Mercado Foco China, realizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O objetivo do encontro é explorar estratégias e soluções para empresas brasileiras que desejam exportar para a China, ou ampliar a sua presença naquele mercado. Um dos obstáculos para fechar negócio com chineses, na avaliação do advogado, é a demora, que acaba desestimulando o empresário.

“Por que muito dos contratos celebrados entre chineses e brasileiros não são respeitados? Quando a gente leva em consideração o custo para prestação judicial e o tempo disso, muitos empresários brasileiros se sentem frustrados, porque é inviável”, afirmou José Ricardo Luz Júnior.