Outubro Rosa: Sesi-SP leva informação sobre saúde da mulher para todo o estado

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Para alertar sobre a importância da prevenção da doença, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) promove uma série de palestras sobre o câncer de mama e outras doenças que atingem as mulheres, realizados nos Centros de Atividades (CAT). Nesta quarta-feira (22/10), a apresentação foi realizada no Sesi-SP do Catumbi, na zona leste da capital.

Veralucia Machado Nígula, gestora do Diagnóstico de Saúde e Estilo de Vida: “Cerca de 95% dos casos de câncer de mama detectados precocemente tem cura”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Com uma plateia formada de funcionários, alunos, pais e moradores da região, a enfermeira do trabalho e gestora do Diagnóstico de Saúde e Estilo de Vida, Veralucia Machado Nígula, falou sobre HPV, importância do Papanicolau, da mamografia e outros exames, a história do Outubro Rosa, além dos fatores de risco e tratamento de câncer de colo do útero e de mama.

“O Outubro Rosa existe para que as pessoas se conscientizem que é preciso ir ao médico para obter um diagnóstico a tempo. Cerca de 95% dos casos de câncer de mama detectados precocemente tem cura”, alertou a especialista.

Atenta aos cuidados necessários, Maria de Lourdes Santiago, de 75 anos, elogiou a iniciativa do Sesi-SP. “A palestra foi ótima. Fico contente que hoje a informação é muito melhor do que antigamente. Hoje em dia, toda mulher e todo homem têm condições de se prevenir e se tratar”, disse a aposentada que busca estar sempre em dia com os exames preventivos.

Muitos adolescentes – alunos do Sesi-SP Catumbi – aproveitaram a palestra para esclarecer dúvidas. “Na palestra, descobri que homem também pode desenvolver câncer de mama”, comentou Henrique Robert Alves dos Santos, de 15 anos. Para Danievelyn Cristina Pereira Barbosa, de 18 anos, a prevenção foi o mais relevante. “É muito importante receber orientação para fazer os exames médicos e também o autoexame.”

Alunos do CAT: informações úteis para prevenção e cuidados com a saúde. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Com um caso de câncer na família, Ingrid Aparecida Martins Félix dos Santos, de 17 anos, gostou de participar da palestra. “Minha mãe teve câncer de colo de útero e teve até que fazer cirurgia. Por isso, achei importante saber que tenho que fazer exame mesmo não tendo a idade de risco para a doença. Também achei interessante saber que as chances de cura são de 95% se a pessoa descobrir logo.”

Moradora da região, Berlândia Pereira dos Santos, de 26 anos, aproveitou a oportunidade para saber mais sobre a saúde. “Gosto de ficar por dentro das coisas e por isso vim. E amei a palestra. Procuro cuidar da minha saúde, pratico atividade física, mas faz uns dois anos que não vou ao médico. A palestra até me incentivou a marcar consulta na ginecologista para fazer os exames.”

Berlândia dos Santos: palestra serve como incentivo para marcar consulta e fazer os exames. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp