Segundo vice-presidente da Fiesp destaca Acordo de Paris em artigo no UOL

Agência Indusnet Fiesp

O segundo vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, publicou, nesta sexta-feira (04/11), artigo na seção de opinião do portal UOL, artigo sobre a entrada em vigor do Acordo de Paris, um tratado das Nações Unidas sobre as mudanças do clima, com medidas de redução da emissão de dióxido de carbono a partir de 2020. O acordo foi negociado em Paris, na França, e aprovado em 2015.

Em seu texto, Ometto destaca o fato de que a indústria sustentável será vital para a economia daqui por diante:

“Há tempos a Fiesp, que representa quase 50% do PIB industrial brasileiro, vem atuando nos debates mundiais sobre o aquecimento global, culminando com a criação do seu Comitê de Mudança do Clima, em 2009. Nesse contexto, a contribuição decisiva da indústria para a redução das emissões de gases de efeito estufa ganha escala a partir da entrada em vigor do novo acordo, com a necessária contrapartida de transferência de tecnologia entre países desenvolvidos e em desenvolvimento”.

Além disso, a Fiesp publicou anúncio sobre o acordo em jornais como a Folha de S. Paulo. Vale a pena conferir ainda o site Clima em Debate, da federação, que a acompanha as novidades sobre o tema.

Para ler o artigo de Ometto no UOL, só clicar aqui.

Em artigo, Ometto avalia oportunidades para biocombustíveis com a COP 21

Agência Indusnet Fiesp,

O recente anúncio feito pelo Brasil de que as fontes renováveis de energia devem alcançar até 33% da matriz energética pode incentivar a produção de biocombustíveis, energia solar, eólica e a geração a partir da biomassa. Enquanto isso, a aproximação da Conferência da ONU sobre Mudanças do Clima (COP 21), em dezembro na França, deve fortalecer ainda mais o debate sobre o tema e incentivar soluções para a produção desses recursos, defendeu o vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto.

Em artigo publicado pelo UOL, Ometto afirmou que o incentivo à produção de biocombustíveis e energias renováveis é ” algo importante para o nosso país, que tem grande potencial nesse sentido e reduz-se a pressão por térmicas a diesel e carvão”.

Clique aqui e leia o texto na íntegra.

 

Estado de S. Paulo publica artigo de vice-presidente da Fiesp sobre clima

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo, João Guilherme Sabino Ometto, vice-presidente da Fiesp e coordenador do Comitê de Mudança do Clima da entidade, reflete sobre a necessidade de o Brasil apresentar contribuições ousadas e flexíveis quanto à redução de emissões, mas que sejam compatíveis com nossa realidade socioeconômica.

Clique aqui para ler o artigo.

Foto: Governador da Geórgia (EUA) visita Fiesp e fala sobre oportunidades de negócios

O governador do Estado da Geórgia (EUA), Nathan Deal, visitou nesta terça-feira (16/6) a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Deal falou sobre oportunidades nas áreas de agronegócio, bebidas, educação e saúde e ressaltou que Brasil e Geórgia têm muito em comum. Segundo o governador, um trunfo de seu Estado é a área da educação. Em sua delegação estavam representantes dos colégios técnicos do Estado e o chefe do Conselho de Regentes, órgão diretor das universidades da Geórgia. Deal foi recebido por Guilherme Ometto, vice-presidente da Fiesp, que lembrou que Brasil e Geórgia têm relacionamento de longa data. “Tenho certeza de que hoje teremos oportunidade de explorar novos segmentos e abrir um caminho ainda mais amplo para o futuro”, disse Ometto.

Governador da Geórgia (EUA), Nathan Deal, durante visita à Fiesp. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Visita do governador da Geórgia (EUA), Nathan Deal, à Fiesp. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Foto: Ometto participa de jantar em comemoração aos 80 anos do Simefre

Agência Indusnet Fiesp

Ometto em breve pronunciamento no evento. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

O segundo vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), João Guilherme Sabino Ometto, participou na noite de quinta-feira (13/11) de jantar em comemoração aos 80 anos do Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (Simefre).

Na ocasião, Ometto representou o presidente da entidade, Paulo Skaf, e foi recebido pelo presidente do Simefre, José Antonio Fernandes Martins.

O evento reuniu aproximadamente 350 pessoas entre autoridades, diretoria do Simefre e associados.

Ometto e senhora com o presidente do Simefre, José Antonio Fernandes Martins. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Foto: presidente da Sociedade de Fomento Fabril do Chile visita a Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

Vice-presidente da Fiesp, Ometto, e o presidente da Sofofa, Hermann Von Mühlebrock. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

O segundo vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), João Guilherme Sabino Ometto, recebeu na manhã desta terça-feira (30/09) o presidente da Sociedade de Fomento Fabril do Chile (Sofofa), Hermann Von Mühlebrock.

O encontro na sede da Fiesp também contou com a presença do embaixador do Chile no Brasil, Fernando Schimidt, e do secretário-geral da Sofofa, Jorge Ortúzar.

Diretoria da Fiesp parabeniza participantes da Olimpíada do Conhecimento

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Os 83 alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) que participaram da Olimpíada do Conhecimento, em setembro, foram recebidos com aplausos, nesta segunda-feira (29/09), pelo vice-presidente, João Guilherme Sabino Ometto, e por diretores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Alunos com diretores da Fiesp ao fundo. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

No encontro, o diretor técnico do Senai-SP, Ricardo Terra, destacou o desempenho da delegação paulista, que ficou em primeiro lugar na competição, com 21 medalhas de ouro, dez de prata e cinco de bronze, além de sete diplomas de excelência.

“Isso demonstra a assertividade dos investimentos feitos por essa casa. A vinda desses jovens é para agradecer o apoio da Fiesp”, afirmou Terra durante reunião ordinária da diretoria da entidade.

De acordo com Terra, os paulistas estão classificados para a disputa de 33 das 41 modalidades em que o Brasil participará no WorldSkills, em 2015, em São Paulo.

>> Senai-SP é o campeão da Olimpíada do Conhecimento 2014, com 21 medalhas de ouro
>> Veja a lista de medalhistas do Senai-SP na Olimpíada do Conhecimento

Procurador geral de Justiça do Estado de São Paulo é homenageado na Fiesp

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

O procurador geral de Justiça do Estado de São Paulo, Marcio Fernando Elias Rosa, foi homenageado, na noite desta segunda-feira (09/06), com um jantar na sede da Federação e do Centro das Indústrias de São Paulo (Fiesp e Ciesp), na capital paulista. Participaram do evento o presidente em exercício da Fiesp, Benjamin Steinbruch, o segundo vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, e o presidente do Conselho Superior de Assuntos Jurídicos e Legislativos (Conjur) da federação, Sydney Sanches, entre outros nomes.

Em seu pronunciamento de boas-vindas ao homenageado, Sanches fez questão de destacar o seu apreço e o da diretoria da Fiesp pelo Ministério Público. “Digo com toda a alegria que nunca tive um desentendimento com qualquer membro do MP”, afirmou.

Sanches: admiração pelo trabalho do MP. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Sanches: admiração pelo trabalho do MP. Foto: Everton Amaro/Fiesp

De acordo com ele, o procurador geral de Justiça de São Paulo ingressou no MP em 1986 e desde 2009 atua como procurador. Mestre e doutor em Direito pela PUC – SP, é autor de diversos livros jurídicos e artigos na área, além de sua atuação como professor.

Decado do MP presente ao jantar, José Roberto Dealis Tucunduva também registrou a sua admiração por Rosa. “Ele sempre trouxe ideias relevantes para o desenvolvimento institucional”, disse.

O mesmo compromisso

Para o homenageado da noite, foi “uma honra participar de um evento dessa natureza”. “Sei que esse encontro se deve a um excesso de generosidade daqueles que o idealizaram”, disse Rosa. “Mas acredito que pode e deve ser dado o devido merecimento a todos aqueles que fizeram e fazem o MP, aos que colaboram para que a instituição seja o que é, uma grande instituição que atua em favor da cidadania e da promoção da Justiça”.

Segundo Rosa, a Fiesp e o MP têm “o mesmo compromisso”. “É a ideia de criar uma rede informal de apoio à cidadania”, explicou. “Que todos estejam juntos para a ideia do bem comum. E que o Brasil se desenvolva de forma justa”.

Rosa: em favor da cidadania e da promoção da Justiça. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Rosa (ao microfone), com Ometto e Steinbruch ao centro, ao fundo: em favor da cidadania e da promoção da Justiça. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Mais de 11% das áreas de pastagens brasileiras estão em estágio degradado

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Mais de 11% das áreas de pastagens visitadas pelas equipes do Rally da Pecuária,  expedição de especialistas que analisa a qualidade das pastagens a da produção pecuária na maior parte dos estados do país,  apresentaram estágio avançado de degradação ou estão degradadas, o que significa uma necessidade de intervenção para reforma ainda este ano ou nos próximos 24 meses. A afirmação foi feita,  na noite desta quarta-feira (04/06), pelo  sócio e coordenador de Pecuária da consultoria Agroconsult, responsável pela iniciativa, Maurício Nogueira.

Segundo Nogueira, que participou do encerramento do Rally da Pecuária na Federação das Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), 9,4% das áreas de pastagens do país estão semidegradadas enquanto 2,3% estão degradadas.

“Se eu extrapolar esse resultado para a área de pastagem brasileira, estou falando de 5 milhões de hectares que teriam de ser refeitos esse ano”, explicou ele.   “E há mais 14 milhões que, em 20 a 24 meses, estariam degradadas”, avaliou.

Nogueira: necessidade de ação em até 24 meses em algumas áreas. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Maurício Nogueira, coordenador da Agroconsult, durante encerramento do Rally da Pecuária na Fiesp. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Um pasto que não volta mais 

Ao participar da cerimônia de encerramento, o sócio-diretor da Agroconsult, André Pessoa, esclareceu que o conceito de degradação aplicado durante as amostragens é de um pasto que não volta mais. “Acabou. Tem de ser reformado. E aqueles pastos em estágio avançado de degradação podem caminhar para degradados em muito pouco tempo”.

Também presente, o diretor do Departamento de Agronegócio (Deagro) da Fiesp, Benedito da Silva Ferreira, reiterou a urgência em rever a utilização de áreas dedicadas à pastagem.

“Fala-se muito da possibilidade de avançarmos de forma expressiva a produção agrícola em áreas de pastagens, mas a pergunta fundamental é:  como está o nível de degradação desses pastos? Será que uma pecuária muito bem produzida é capaz de entregar resultados econômicos parecidos com os de uma lavoura de soja, por exemplo?”, questionou o diretor da Fiesp.

Ferreira: pecuária equivalente à produtividade dos grãos. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ferreira: pecuária equivalente à produtividade dos grãos. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Segundo Nogueira, a expedição deste ano verificou um incremento acima do esperado de plantação de grãos em áreas anteriormente usadas para pastagens em regiões como o sul do Pará. “Estamos vendo muito mais soja em regiões nas quais nem esperávamos que fossem plantar tão cedo. Na medida em que a gente passava pela estrada, víamos muito milho safrinha plantado com bastante toco de lado na cerca, mostrando que aquilo era pasto até o ano passado ou retrasado”, contou o coordenador da Agroconsult.

Infraestrutura

O Rally da Pecuária percorreu 55 mil quilômetros pelo país e, segundo Nogueira, mais de 40% das estradas apresentaram deficiências de infraestrutura.

“Muitas vezes a gente se deparava com estrutura precária. Infelizmente, por questões de logística e custo, não conseguimos ir em regiões do Rio Grande do Sul com muitos rebanhos, regiões do Acre e no nordeste do Pará, mas no futuro pretendemos ir”, contou.

O presidente em exercício da Fiesp, Benjamin Steinbruch, acompanhou parte da apresentação dos resultados do Rally da Safra. Além dos entraves de logística, ele mencionou o preço da arroba, que na véspera ficou estável, em R$ 120 à vista, segundo a Scot Consultoria. “O preço está bom, mas poderia estar melhor. Está razoável”, disse.

Steinbruch: preço razoável da arroba. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Steinbruch: preço razoável da arroba. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Produção

Segundo a Agroconsult, a produção de carne bovina do Brasil deve registrar um incremento de 4% este ano, para 10,65 milhões de toneladas (equivalente carcaça).

Nogueira ponderou, no entanto, que as demandas local e externa devem ser suficientes para absorver esse crescimento. “Mesmo assim a demanda vai ser suficiente para manter os preços nos patamares mais elevados que estamos vivendo”, acrescentou.

O Rally da Safra entregou 415 questionários, realizou 76 entrevistas completas com produtores e promoveu 12 eventos regionais. A expedição que atingiu pelo menos 1.100 pecuaristas se encerrou na noite desta quarta-feira (04/06), na sede da Fiesp.

Feito bandeirantes

Ometto: informações para melhorar a competitividade da carne brasileira. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ometto: informações para melhorar a competitividade da carne brasileira. Foto: Everton Amaro/Fiesp

De acordo com segundo vice-presidente da entidade, João Guilherme Sabino Ometto, ao menos 30% dos sindicatos da Fiesp são ligados à cadeia do Agronegócio.

“Queremos prestigiar o trabalho que os profissionais da Agroconsult têm feito, saindo como verdadeiros bandeirantes entrando pelo Brasil e trazendo todas as informações para melhorar a competitividade da carne, o abastecimento e a segurança alimentar do país”, disse Ometto.

Foto: Ministro das Relações Exteriores da Bélgica visita sede da Fiesp

Agência Indusnet Fiesp 

O Ministro das Relações Exteriores da Bélgica, Didier Reynders, visitou a sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na quarta-feira (03/04), onde foi recebido pelo 2º vice-presidente da entidade, João Guilherme Sabino Ometto.

Reynders veio acompanhado por empresários de seu país para identificar oportunidades de negócios e cooperação com o Brasil.

João Guilherme Sabino Ometto, 2º vice-presidente da Fiesp; e Didier Reynders, Ministro das Relações Exteriores da Bélgica. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Comércio exterior: líderes do governo da Irlanda do Norte visitam Fiesp

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

Visando promover a Irlanda do Norte como um destino relevante para investimentos, o primeiro-ministro e o vice-primeiro-ministro da Irlanda do Norte, Peter D. Robinson e Martin McGuinness, respectivamente, visitaram na manhã desta terça-feira (12/03) a sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

“O Brasil é um país fascinante que acreditamos ter muito a acrescentar para o resto do mundo”, afirmou McGuinness.

Vice-primeiro-ministro e primeiro-ministro da Irlanda do Norte, Martin McGuinness e Peter D. Robinson, respectivamente, duante encontro na Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O vice-primeiro-ministro ressaltou que a viagem oficial tem a finalidade de estreitar os laços comerciais entre os dois países e de discutir o panorama de negócios em São Paulo, visando identificar áreas de interesse para a missão empresarial multissetorial que virá ao Brasil em maio de 2013.

Outros objetivos da comitiva são o de ampliar o conhecimento sobre a cultura, o sistema educacional e o turismo no país e informar a sociedade brasileira sobre a história recente na Irlanda do Norte, com ênfase nas recentes transformações ocorridas por conta do estabelecimento do processo de paz na região.

Da esquerda para a direita: Newton de Melo, Embaixador Adhemar Bahadian, João Guilherme Sabino Ometto e Antônio Bessa.

O 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, disse acreditar que o Brasil tem um caráter multicultural e que, por isso, está sempre de braços abertos para trabalhar junto com outros países. “Vocês são um exemplo para o mundo”, afirmou Ometto, em referência ao processo de pacificação da Irlanda do Norte.

Também estavam presentes na reunião os diretores-titulares-adjuntos do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, Antônio Bessa; Newton de Melo e Mario Marconini; e o coordenador das atividades dos Conselhos Superiores Temáticos da Fiesp, Embaixador Adhemar Bahadian.

Em visita à Fiesp, premiê da Nova Zelândia busca fortalecer laços comerciais com Brasil

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) recebeu na manhã desta segunda-feira (11/03), em sua sede, o primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key. O encontro teve a finalidade de apresentar as potencialidades do país na relação bilateral com o Brasil, especialmente nos setores de agronegócio, máquinas agrícolas e tecnologia.

Em sua primeira visita ao Brasil, o premiê disse buscar investimentos e parcerias. “É bastante claro que as relações entre Brasil e Nova Zelândia são muito estreitas e nossa intenção aqui é de aumentar isso”, afirmou Key, que veio ao Brasil com uma comitiva de 48 empresários para uma rodada de negócios.

John Key, primeiro-ministro da Nova Zelândia, durante discurso em visita à Fiesp. Foto: Helcio Nagamine

De acordo com o 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, o encontro representou uma excelente oportunidade para estreitar os laços comerciais entre os dois países. “O Brasil, que atualmente é a sexta maior economia do mundo, não está nem um pouco satisfeito em ser o 47º principal parceiro comercial da Nova Zelândia”, comentou Ometto.

>> Brasil precisa aumentar corrente de comércio com Nova Zelândia, afirma 2º vice-presidente da Fiesp

>> Primeiro-ministro da Nova Zelândia recebe medalha Ordem do Mérito Industrial

 

Um dos temas de relevância durante o encontro foi o comércio de manufaturados e parcerias que envolvem tecnologia e educação. Segundo o primeiro-ministro neozelandês, seu país tem a oportunidade de investir no Brasil com tecnologia e know-how.

“Vemos grandes chances em ter o Brasil como parceiro comercial”, afirmou ao destacar algumas áreas de interesse, como esporte, turismo e educação. “Temos dois mil estudantes brasileiros na Nova Zelândia e queremos dar mais oportunidades para esses jovens”, explicou.

Key afirmou que as empresas que buscarem parcerias comerciais com a Nova Zelândia terão excelentes oportunidades. “Nosso país é muito amigável e muito fácil de fazer negócios, pois somos transparentes, não temos corrupção, temos boa infraestrutura e uma economia aberta.”

O primeiro-ministro da Nova Zelândia reconheceu que o Brasil é um país líder na América Latina. “Já é tempo de enxergar grandes oportunidades no Brasil, um país de rápido crescimento”.

Na sequência da programação, John Key tem encontro com a presidente da República, Dilma Rousseff.

Brasil deve fortalecer investimentos na Holanda, afirma Ometto em visita do Príncipe de Orange à Fiesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Príncipe de Orange, Willem-Alexander, e o 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto. Foto: Helcio Nagamine

Em meio ao cenário de instabilidade econômica na Europa, os investimentos brasileiros nos Países Baixos devem ser fortalecidos, afirmou nesta quarta-feira (21/11) o 2º vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), João Guilherme Sabino Ometto, em encontro com delegação empresarial do Reino dos Países Baixos.

“No que depender de nossa vontade e esforço, a corrente de comércio do Brasil com os países baixos tem condições de acelerar a expansão que vem apresentando nos últimos anos”, afirmou Ometto.

Liderada pelo herdeiro do Reino dos Países Baixos, o Príncipe de Orange Willem-Alexander, uma delegação da Holanda desembarcou no Brasil na segunda-feira (19/11) com o objetivo de fortalecer as relações comerciais com o Brasil em setores como a agricultura.

A Holanda, disse Willem-Alexander no evento, é o segundo maior exportador agrícola do mundo graças à “constante inovação”.

Os compromissos incluem um encontro com o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, e a participação em seminário sobre indústria alimentar no campus da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto.

Ordem do Mérito Industrial

Placa que marca a abertura oficial do “BE- Basic Hub” em Campinas. Foto: Julia Moraes.

Na Fiesp, o príncipe de Orange Willem Alexander foi condecorado com uma medalha Ordem do Mérito Industrial e participou de assinatura de acordos com instituições e universidades para pesquisa e desenvolvimento na área de biotecnologia. Representantes do Comitê da Cadeia Produtiva de Biotecnologia (Combio) da Fiesp assinaram uma carta de colaboração no setor com a fundação internacional BE-Basic.

“Os acordos e protocolos que assinamos aqui, envolvendo universidade e importantes instituições, são novas formas que se abrem para a competitividade dos dois países”, afirmou Ometto.

O Brasil é o principal parceiro comercial da Holanda na América Latina. Em 2011, o comércio entre as duas nações registrou US$ 15,9 bilhões, o que representa aumento de 32,6% em relação ao ano anterior. A Holanda é o quarto maior parceiro de exportações das empresas brasileiras e um dos principais investidores estrangeiros no país.

Ometto, Willem-Alexander e e o 1º diretor secretário da Fiesp, Nicolau Jacob Neto. Foto: Julia Moraes

Ometto ressalta importância do interior paulista na economia do País

Agência Indusnet Fiesp,

O potencial econômico do interior de São Paulo e sua importância para a economia do estado e do País foram destacados pelo empresário João Guilherme Sabino Ometto, presidente em exercício Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), durante a reunião conjunta das Diretorias Regionais da Fiesp/Ciesp e Conselhos Consultivos das escolas Sesi e Senai, realizada nesta quinta-feira (22) na sede da federação.

“O interior paulista representa muito para nós, por isso temos que debater aqui, na Casa da Indústria, os nossos problemas”, destacou o empresário ao reafirmar a grande importância das entidades como Fiesp/Ciesp na luta pela produção, bem como as escolas do Sesi e do Senai na educação e formação profissional do trabalhador de São Paulo.

Segundo dados do Seade (2007), o PIB (Produto Interno Bruto) do interior paulista representa 44% de tudo que é produzido no estado de São Paulo e 15% do PIB brasileiro. Informações da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho e Emprego (2008), mostram que o interior concentra 44% do emprego no estado e 13% do emprego no País.


Senai
O gerente Regional I do Senai, Adelmo Belizário, representando o Diretor Técnico da entidade, Ricardo Terra, destacou que a nova prioridade para as escolas é o investimento em inovação e tecnologia.

“O Senai tem que caminhar junto com a indústria. A entidade vai investir R$ 300 milhões, sendo R$ 150 milhões em obras e outros R$ 150 milhões em novos equipamentos. De 2004 até agora os investimentos no Senai atingiram R$ 800 milhões, informou Belizário.

Também participaram da reunião a diretora da Escola Senai, Eufemia Paez Soares que fez uma apresentação sobre Escola “Fundação Zerrenner” e Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp que mostrou uma visão da indústria para o momento atual e as expectativas futuras.

A reunião contou também com a presença de Rafael Cervone, presidente em exercício do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

Presidente em exercício da Fiesp analisa estimativas da Cepal

Em artigo veiculado esta semana em diversos jornais do Brasil, o presidente em exercício da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), João Guilherme Sabino Ometto, comenta o retorno do patamar pré-crise mundial de US$ 100 billhões em investimentos estrangeiros diretos (IED), divulgados pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui.