Em Congresso na Fiesp, autoridades debatem agenda estratégica para Copa e Olimpíadas

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

O objetivo do Congresso Segurança Brasil 2011, que se iniciou nesta segunda-feira (12), na Fiesp, é envolver toda a sociedade na realização dos grandes eventos, pois todos os brasileiros serão anfitriões na Copa [2014] e nas Olimpíadas [2016], e a indústria deve integrar os grandes problemas que envolvem o País.

Essa opinião do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, traduz dois grandes desafios: garantir a infraestrutura necessária e formatar uma estratégia de segurança eficiente. “Por isso, este Congresso ocorre com a participação dos estados-sede da Copa e com convidados internacionais somam sua experiência de Copas e Olimpíadas anteriores”, afirmou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544643295

Paulo Skaf abre o Congresso, na Fiesp

Para Skaf, não se trata apenas de pensar na obediência do cronograma de infraestrutura – garantindo a construção de estádios, aeroportos, hotéis e centros de convenções e na expansão dos transportes coletivos –, mas também na sua destinação pós-eventos.

“Eu diria que as obras já deveriam estar prontas para o uso da sociedade. O Brasil tem uma imagem positiva no exterior, neste momento. Este fato é uma excelente oportunidade para que os outros países conheçam melhor o talento do povo brasileiro, nossas riquezas naturais e os oito mil quilômetros do nosso litoral. O Brasil estará na vitrine”, ressaltou.

No Congresso Segurança Brasil 2011 debate-se a estratégia de segurança, que será adotada para garantir o sucesso dos grandes eventos, em torno de quatro eixos: gestão, tecnologia, legislação e integração. A intenção é que estas ações sejam acompanhadas constantemente por meio da construção de uma agenda estratégica, que será criada no evento.