Sesi-SP Mix em S. J. do Rio Preto: Conversas Criativas Sobre Literatura e Artes Visuais

Agência Indusnet Fiesp

Na última semana de maio, o Sesi São José do Rio Preto recebe o Sesi-SP Mix Cultural: Conversas Criativas Sobre Literatura e Artes Visuais. Do dia 26 até o 31, serão oferecidas uma série de atividades gratuitas com o objetivo de promover o contato do público com artistas conceituados pelo trabalho que desenvolvem em literatura e artes visuais.

A programação começa com a realização de uma Oficina Literária ministrada por Roberto Munhoz, nos dias 26 e 27 de maio, às 19h. Serão disponibilizadas 30 vagas e os participantes terão a oportunidade de conhecer técnicas utilizadas para a elaboração de um roteiro profissional de histórias em quadrinhos, além de ter contato com o processo de produção de artes e as tendências atuais do mercado editorial. Munhoz é desenhista e um dos principais roteiristas dos Estúdios Mauricio de Sousa.

Já no dia 29, às 19h30, o público poderá participar do encontro Diálogos Fotográficos, com João Kulcsár e Marlene Bergamo. João é curador da exposição Olhar a Toda Prova, que reúne fotos artísticas sobre esportes olímpicos e paralímpicos, e pode ser conferida na unidade de 23 de maio a 22 de junho. Marlene é uma das fotógrafas responsável pelo registro dos atletas de diversas modalidades do Sesi-SP, apresentados na exposição, além de ser muito reconhecida pelo trabalho de fotojornalismo que desempenha no jornal Folha de S. Paulo. Os dois exibirão parte de sua produção e processo criativo, além de relatar experiências vividas em sua trajetória artística.

O Sesi-Sp Mix Cultural segue com o Literatura Viva, no dia 31, às 19h. Os participantes poderão conhecer o processo de construção literária de Nobu Chinen, mestre em artes gráficas, pesquisador, historiador e professor de Histórias em Quadrinhos. Chinen é um dos colaboradores do livro Humor paulistano: a experiência da Circo Editorial 1984-1995 – Editora Sesi-SP. Após o bate-papo, será realizado o lançamento do livro que conta a trajetória dos 30 anos da Circo Editorial, editora de história em quadrinhos criada por Toninho Mendes nos anos 1980, que apresentou nomes como Angeli, Laerte, Glauco, Chico e Paulo Caruso, Luis Gê e outros.

Serviço

Sesi-SP Mix Cultural: Conversas Criativas Sobre Literatura e Artes Visuais
Local: Sesi São José do Rio Preto – av. Duque de Caxias, 4.656, Vila Elvira
Informações: (17) 3224-6611

Oficina Literária: técnicas de roteiros para história em quadrinhos, com Roberto Munhoz
Datas e horários: 26 e 27 de maio, das 19h às 21h30
Vagas: 30
Inscrições pelo e-mail: cacsjriopreto@sesisp.org.br

Diálogos fotográficos, com João Kulcsár e Marlene Bergamo
Data e horário: 29 de maio, às 19h30
Os ingressos serão distribuídos 30 minutos antes do início do evento

Literatura Viva: encontro literário, com Nobu Chinen
Data e horário: 31 de maio, às 19h
Os ingressos serão distribuídos 30 minutos antes do início do evento

Lançamento do livro Humor Paulistano: a experiência da Circo Editorial 1984-1995
Data e horário: 31 de maio, às 21h
Os ingressos serão distribuídos 30 minutos antes do início do evento.

Sesi-SP oferece oficinas gratuitas de arte multimídia na capital paulista

Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Social da Indústria em São Paulo (Sesi-SP) vai realizar dois workshops sobre criação digital em telas urbanas multimídias.

A primeira oficina será nos dias 5 e 6 de novembro e a segunda de 18 a 22 de novembro deste ano, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso. Os artistas brasileiros Paloma Oliveira e Matheus Knelsen  e o dinamarquês Rune Madsen serão os professores das aulas prática e experiências com o universo digital.

A programação faz parte da mostra de mídia facade SP_Urban Digital Festival, que acontece, a partir do dia 4 de novembro, na Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, sob a curadoria de Marilia Pasculi e da dinamarquesa Tanya Toft.

As obras visuais e interativas serão exibidas até 28 de novembro na plataforma de LED instalada na faixada do prédio da Fiesp, na avenida Paulista. Nesta edição desembarcam em São Paulo os principais artistas mundiais da cena multimídia como o norte-americano James George, o inglês Julian Opie e o coletivo internacional United VJs, que atua na Europa e na América do Sul.

Programação das oficinas

No workshop (Des)Visualização de identidades, os artistas Paloma Oliveira e Matheus Knelsen abordarão questões sobre identidade na contemporaneidade da globalização, do copy-paste e do pós-humano.

Partindo da figura do rosto e da criação de máscaras, os participantes serão convidados a desenvolver códigos com uma câmera de vídeo, trabalhando a visualização e “desvisualização” de suas próprias identidades, mesclando-as com a de seus colegas. Com a criação de códigos integrados à câmera de vídeo, as oficinas serão nos dias 5 e 6 de novembro, das 19h às 22h no Espaço Mezanino e na Sala de Ensaios no edifício da Fiesp.

Nos dias 18 a 22 novembro, o inglês Rune Madsen vai conduzir as experiência do workshop Espetáculo ou estética: um panorama sobre o pensamento crítico na arte interativa. O workshop oferece embasamento teórico e prático, no qual os participantes são orientados a desenvolver programação para obras interativas inspiradas pelos programas de computação generativa. A oficina também será no Espaço Mezanino.

Para saber mais sobre todas as oficinas, clique aqui.

Workshops SP_Urban Digital Festival – 2a edição
Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso
Av. Paulista, 1313, Bela Vista, São Paulo/SP
Facebook: SPUrbanDigitalFestival
Twitter: @spurban
Instagram: @spurban
#spurban


Veja também: O que é e tudo que já rolou na Galeria de Arte Digital do Sesi-SP

Oficinas de Teatro Musical oferecem iniciação ao mundo do canto, da dança e da interpretação

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Em agosto, mais uma etapa do Projeto Teatro Musical, realizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), começou a ser colocada em prática. Na unidade Vila Leopoldina do Sesi-SP, começaram as oficinas de vivência em Teatro Musical, com o objetivo de desenvolver a expressão corporal e a liberdade criativa de crianças, jovens e adultos.

Com três turmas de 30 alunos cada, em três faixas etárias diferentes, a partir dos 12 anos, as oficinas serão realizadas de agosto a dezembro, com aulas de música e canto, dança e interpretação.

As oficinas do Teatro Musical na Vila Leopoldina: conteúdos integrados para a formação dos profissionais. Foto: Divulgação

As oficinas na Vila Leopoldina: conteúdos integrados para a formação dos profissionais. Foto: Divulgação


Ao contrário dos cursos tradicionais, que tratam cada atividade de forma independente, nas oficinas do Sesi-SP há uma integração entre as aulas. Mesmo seguindo uma ordem – começa pela aula de música e canto, depois passa para dança e encerra com interpretação –, há um trabalho combinado entre os professores, que participam e interferem nas outras aulas e trazem elementos das outras artes para as suas.

“Em cada aula, a gente combina como vão ser as atividades, como vai ser possível encaixar uma na outra. Apesar de serem áreas diferentes, as aulas são interdisciplinares e a proposta é que as coisas se costurem”, explica o professor de música/canto, Sandro Sabbas. “A ideia da oficina é dar aos alunos um primeiro contato de canto, dança e interpretação de forma integrada, para que eles consigam conciliar tudo isso.“

Ritmo, respiração e voz

Durante a oficina, os alunos trabalham por meio de diversos mecanismos, que vão desde exercícios de ritmo, respiração e voz até atividades de autoconhecimento do corpo e de estímulo a criatividade e improvisação. “O que buscamos é que eles despertem a sensibilidade e as intuições que têm a ver com o universo imaginário do teatro. O objetivo é tocar nessa sensibilidade, por meio de técnicas de iniciação teatral”, afirmou Fabiano Lodi, professor de teatro.

Para o professor de dança, Frank Tavanti, além da estrutura da oficina e da dedicação dos professores, a vontade de aprender da turma faz diferença. “Tem muita gente aqui que nunca fez uma aula de dança, outros já têm experiência”, disse. “E eu posso testar as possibilidades e fazer com que todos possam vivenciar as mesmas coisas “, afirmou Tavanti.

“Meu trabalho é instrumentalizá-los para que eles possam utilizar isso da melhor maneira”, explicou. “E eles estão muito disponíveis para aprender. A cada aula eu vejo coisas novas e percebo uma mudança muito grande.”

Mergulhando no universo do musical

Entre os alunos, um objetivo é comum a todos: iniciar uma carreira em teatro musical, aproveitar a onda dos grandes espetáculos no Brasil.

Alunos em aula do Teatro Musical: formação integrada é destacada pelos participantes. Foto: Divulgação

Alunos em aula do Teatro Musical: formação integrada é destacada pelos participantes. Foto: Divulgação


“Sempre estou antenado com os eventos que o Sesi-SP promove na área  e soube do projeto de Teatro Musical. Como já atuo, achei que era uma forma de desenvolver a interpretação e também melhorar na parte técnica da dança e do canto. Isso além de mergulhar no mundo do teatro musical, que é um mercado grande no País atualmente”, disse  Higor Lemo, de 26 anos.

Mayara Mendes, de 23 anos, também já participa de uma companhia teatral e buscou a oficina para explorar mais a voz e a dança. A aluna elogiou a iniciativa do Sesi-SP. “Essa é uma oportunidade bem legal que o Sesi-SP criou porque, além de ser gratuito, ele abre o leque para todas as áreas: música, dança, artes cênicas, trabalhando as três linguagens ao mesmo tempo, o que facilita o nosso aprendizado.”

Para Grasiele Manhães Barreto, 35 anos, por serem gratuitas, as oficinas vão ajudar a descobrir talentos. “É uma oficina moderna e atualizada, porque antes era preciso fazer curso de interpretação, dança e canto separado”, explicou. “Além disso, os cursos que existem são muito caros. Ter uma oficina gratuita é uma revolução no meio do teatro musical.”

Para saber mais sobre o Projeto Teatro Musical, só clicar aqui.

Oficinas promovidas pelo Ciesp vão esclarecer cobrança na região metropolitana

Odair Souza, Agência Ciesp de Noticias

Insumo básico para a atividade produtiva, a água deverá tomar a dianteira no cenário que se desenha para a indústria paulista nos próximos meses. A partir de março de 2012, as empresas localizadas na Região Metropolitana de São Paulo – área que compreende a Bacia Hidrográfica do Alto Tietê – passarão a pagar pelo uso da água. Atualmente, o uso do recurso hídrico já é cobrado nas bacias hidrográficas em Piracicaba, Vale do Paraíba e Sorocaba. O governo estadual vem, gradualmente, estabelecendo a cobrança em outras regiões.

O assunto vem ganhando importância e é uma das prioridades da área de Meio Ambiente do Ciesp, que tem realizado oficinas de esclarecimento com representantes dos órgãos responsáveis com objetivo de orientar empresas associadas e demais interessados sobre os procedimentos e valores a serem declarados para fins de cálculo dos boletos de cobrança. “Não vamos apenas prestar esclarecimentos sobre a cobrança, mas orientar quanto ao uso correto e o custo final para a indústria”, observa Eduardo San Martin, diretor de Meio Ambiente da entidade.

Serão realizadas quatro oficinas, gratuitas, conforme programação abaixo, para permitir que todas as empresas possam participar:

1ª Oficina – 09 de novembro, das 09h00 às 12h00
Local – Diretoria Regional de Diadema,
Endereço: Av. Fábio Eduardo Ramos Esquível, S/N – Vila Mulford, Diadema
Fone: (11) 4056-4844
Contato: Dario

2ª Oficina – 16 de novembro, das 14h00 às 16h00
Local – Diretoria Regional Centro,
Endereço: Av. Paulista, 1313, auditório 10º andar
Fone: (11) – 3549 3552
Contato: Caroline

3ª Oficina – 22 de novembro, das 08h30 às 10h30
Local — Diretoria Regional Guarulhos
Endereço: Rua Uruaçu, n° 100 – Jardim Paraventi, Guarulhos.
Fone: (11) 2440-9622
Contato: Alessandra

4ª Oficina – 29 de novembro, das 16h00 às 18h00
Local – SESI de Mogi das Cruzes
Endereço: Rua Walmet, nº171, Mogi das Cruzes
Fone: (11) 4735.3447
Contato: Manoel Camanho/Nanci