‘Senai-SP forma na profissão e também para a vida’, diz Skaf na abertura do Núcleo de Joalheria em São José do Rio Preto

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Um dos maiores polos de confecção de joias do país, São José do Rio Preto ganhou nesta sexta-feira (18/10) seu primeiro espaço de capacitação profissional exclusivo para esse segmento, com a inauguração do Núcleo de Joalheria da Escola Senai Antonio Devisate.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540229290

Alunos que passarem pelo curso de confeccionador de joias aprenderão um pouco de cada setor: gravação, fundição, solda, estamparia, modelagem 3D e prototipagem de joias. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


No evento de inauguração, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Paulo Skaf, destacou o ensino de qualidade oferecido pelas duas instituições. “Não adianta inaugurar paredes. Temos que ter escolas onde as pessoas aprendem. E com excelência”, afirmou.  “O Senai-SP forma na profissão e também forma para a vida. Por meio da disciplina, do exemplo, da solidariedade.”

Na sequência, Skaf pediu que o presidente da Associação de Joalheiros, José Pinto, opinasse sobre o Núcleo criado em São José do Rio Preto. “O Senai-SP de São José do Rio Preto pode ser considerado uma fábrica-modelo, uma das melhores e mais bem equipadas do mundo”, afirmou Pinto.

Comprovando a qualidade da educação oferecida pelo Senai-SP, Skaf chamou ao palco vários ex-alunos da instituição, ganhadores de medalhas em edições das chamadas Olimpíadas do Conhecimento, nacional e mundial. Hoje, alguns são empresários em suas áreas de formação. Outros se tornaram professores e trainees do Senai-SP, como Rodrigo Ferreira Silva, de 22 anos, ganhador da medalha de ouro em Joalheria no World Skills da Inglaterra, em 2011.

“Ganhei medalha de ouro no estadual, medalha de ouro no Nacional e veio a chance de representar o Brasil em Londres. A partir daí, eu já nem queria saber qual era o prêmio, porque percebi que estava fazendo o que amo. Acordo fazendo joia e durmo pensando em desenho”, contou, Rodrigo. “Se eu tenho uma mensagem para deixar hoje, depois da minha experiência, é: faça o que você ama. E o Senai-SP nos dá a oportunidade de fazer o que amamos e ainda ajudar a indústria do Brasil.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540229290

Skaf: "temos que ter escolas onde as pessoas aprendem. E com excelência." Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


O diretor regional do Senai-SP e superintendente do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Walter Vicioni Gonçalves, falou sobre os diferenciais do Senai-SP e do curso de joalheria. “Ao longo dos 70 anos de sua história, o Senai-SP formou milhões de alunos, nas mais diversas cadeias produtivas, de forma articulada com empresários, escutando suas demandas e transformando necessidade em oportunidades”, lembrou.

“O Núcleo de Joalheria não será apenas mais uma oferta de formação profissional. Ele trará oportunidades de criar e recriar em todas as áreas tecnológicas que a escola atua e permitirá revelar novos talentos. As indústrias ganham novas perspectivas, com a formação profissional e os serviços tecnológicos que serão oferecidos pelo Núcleo. Ganham também os alunos de Joalheria e o conjunto de alunos do Senai-SP.”

De acordo com Débora França de Mendonça Silva, instrutora de práticas profissionais de Joalheria na unidade de Rio Preto, a estrutura do novo Núcleo está entre as melhores do mundo. “Com esse Núcleo, o Senai-SP torna-se um dos maiores centros tecnológicos do mundo na área da joalheria. Temos as maiores e melhores tecnologias, com bancadas de cravação importadas, máquinas de gravação e soldadoras a laser”, contou.

“Os alunos que passarem pelo curso de confeccionador de joias aprenderão um pouco de cada setor: gravação, fundição, solda,  estamparia, modelagem 3D, prototipagem de joias e estarão prontos para o mercado de trabalho.”

Orquestra

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540229290

Além de formação profissional, Núcleo vai oferecer serviços tecnológicos. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Durante o encontro de Paulo Skaf com os alunos do Senai Antonio Devisate, um deles chamou a atenção do presidente do Senai-SP. Cassiano Maia, de 17 anos, aluno do ensino médio do Sesi-SP e de eletroeletrônica no Senai-SP – o chamado curso articulado – perguntou para Skaf sobre a Orquestra do Senai-SP.

Quando o jovem contou que tocava violino, Skaf pediu para que ele tocasse uma música e avisou que, quando Cassiano fosse para São Paulo, ele iria promover o encontro do músico com o maestro João Carlos Martins.

Para aproveitar o momento, o presidente fez mais: ligou para o maestro e pediu que ele conversasse com o aluno, que não conseguiu segurar a emoção. “É uma oportunidade que não aparece para muitas pessoas e eu vou agarrar com muita vontade. O que o Paulo Skaf está proporcionando para mim é um grande presente que não tenho palavras para agradecer.”

Cassiano contou que o maestro afirmou que, quando ele for a São Paulo, será avaliado pelo próprio João Carlos Martins, e outros dois músicos para avaliar a possibilidade de tê-lo como integrante da Bachiana Sesi-SP. “Agora eu vou estudar o máximo que eu puder. Vou viver dia e noite com o violino”, disse o jovem, que declarou que, se for aprovado, pretende seguir a carreira da música.