Novo Centro Cultural Fiesp ganha café nesta terça-feira (28/03)

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

É só entrar e ficar à vontade. Conforme o anunciado, foi inaugurado, nesta terça-feira (28/03), o café do novo Centro Cultural Fiesp. Agora, no térreo inferior do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, na Avenida Paulista, funciona uma unidade da rede Pâtisserie Douce France.

Um achado no meio do burburinho de um dos endereços mais conhecidos da capital, o espaço permite uma pausa para conversar, relaxar, ler, fazer uma reunião de negócios numa das mesas oferecidas no espaço.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1545035136

O café no térreo inferior do prédio da Fiesp: mais uma atração do novo Centro Cultural. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Entre as opções do cardápio, foram campeãs de vendas no primeiro dia de funcionamento da cafeteria o bolo Saint-Honoré (com base de massa folhada com creme de baunilha coberta de carolinas também recheadas de baunilha e chantili) e os croissants de amêndoas.

Reformado e aberto ao público em 19 de fevereiro de 2017, o novo Centro Cultural Fiesp agora tem mais de 5 mil metros quadrados, incluindo galeria de fotos, mais espaços de exposições e um café com vista para um jardim assinado por Burle Marx. Isso além dos já conhecidos Teatro do Sesi-SP e Galeria de Arte do Sesi-SP.

O Centro Cultural Fiesp funciona diariamente das 10h às 20h. Já a Pâtisserie Douce France abre das 8h às 22h.

Serviço

Pâtisserie Douce France – Unidade Fiesp

Avenida Paulista 1313

Térreo Inferior

Das 8h às 22h

Telefone: 3549-4747

www.patisseriedouce.com.br

Mais informações em www.centroculturalfiesp.com.br.

Novo Centro Cultural Fiesp é um oásis, diz arquiteta que projetou a reforma

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Ela veio para fazer a diferença num marco da Avenida Paulista que leva a assinatura de dois gigantes da arquitetura brasileira: Rino Levi e Paulo Mendes da Rocha. E, com o seu talento, ajudou a indústria paulista a entregar à cidade o novo Centro Cultural Fiesp. Um projeto que começou a ser pensado em 2012, quando, convidada a fazer uma outra intervenção no prédio, a arquiteta Moema Wertheimer apresentou uma proposta diferenciada para a área. O resultado? Mais de 5 mil metros quadrados de espaços de exposições, galeria de fotos, teatro e um café com vista para um jardim que leva a marca de Burle Marx. Prova de que na sede da manufatura do maior estado brasileiro as mulheres são respeitadas, ela diz que nunca se sentiu intimidada por assumir uma obra grande, como antes apenas profissionais do sexo masculino assumiram. “Sempre fui muito bem recebida aqui”, diz.

A relação da arquiteta com a Fiesp começou bem antes da inauguração do novo Centro Cultural, no último dia 19 de fevereiro, quando 19.047 pessoas passaram pelo espaço. Em 2008, Moema renovou o restaurante localizado no 16º andar do prédio. “Havia uma demanda grande por eventos e pouco aproveitamento da luz natural”, conta. “Melhoramos a cozinha e a acessibilidade ao local, tornando a área flexível”. Assim, foi criado um “cardápio de uso” com mais de dez formas de utilização da área.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545035136

Moema com o jardim de Burle Marx ao fundo: para usufruto de quem passa pela Paulista. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Não menos importante, o Salão Nobre, que recebe eventos, palestras e debates no 15º andar, também foi reformado por ela. “Criamos uma cozinha de apoio e assim conseguimos triplicar o uso da área”, diz. “Fico orgulhosa de saber que assim pode haver mais sinergia, contatos e negócios entre os empresários.”

Ferramenta de transformação

Orgulho foi algo que também não faltou na história de Moema com o novo Centro Cultural Fiesp. Até porque o projeto que criou a estrutura, nos anos 1990, foi feito por Paulo Mendes da Rocha, o mais renomado arquiteto brasileiro em atividade e orientador dela em seu projeto de conclusão de curso na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. “Fiquei muito honrada quando me deparei com a chance de trabalhar com algo feito por ele”, lembra. “Com o Paulo Mendes da Rocha aprendi que a arquitetura pode ser uma ferramenta de transformação, um meio para melhorar a qualidade de vida das pessoas.”

Assim, convidada a melhorar o acesso do público ao prédio na recepção, ela fez questão de circular pelo piso e conhecer melhor a área destinada à cultura no número 1313 da Paulista. “Vi aquele jardim nos fundos da construção e na hora achei que tinha a cara do Burle Marx”, lembra. “Fui consultar os arquivos, confirmei a informação e pensei que aquele trecho merecia se transformar num espaço de contemplação.”

O passo seguinte foi apresentar um projeto de renovação da área. “Fiz por minha conta e risco”, diz. Valeu a pena. “Ouvi muito de companheiros de trabalho que ia dar em nada, mas não desisti”, lembra. “Hoje o resultado está aí”.

Está aí e lotou a sede da indústria de São Paulo em fevereiro, num domingo que começou com uma apresentação da Bachiana Filarmônica do Sesi-SP e terminou com a apresentação da peça Tróilo e Créssida no teatro da casa, à noite. Com visitantes circulando e aproveitando as exposições oferecidas ao longo de todo o dia. “Estamos falando de um espaço importante de usufruto do público da Paulista”, diz Moema. “O novo Centro Cultural da Fiesp é um oásis.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545035136

A inauguração do novo Centro Cultural Fiesp: 19.047 visitantes num único domingo. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Aula de marcenaria

Paulistana, 54 anos e filha de uma suíça e de um brasileiro, sendo o avô paterno um austríaco, a arquiteta acredita que chegou até aqui em grande parte devido à formação que teve. “Na Escola Suíço-Brasileira de São Paulo, onde estudei, tinha aulas de arte, teatro, idiomas, marcenaria”, diz. “Esse contato com conhecimentos variados hoje me estimula a ir fundo na cultura das empresas antes de fazer um projeto, a conhecer bem os clientes, entender o que eles fazem e do que precisam.”

Assim, mergulhando em universos tão variados, Moema já atendeu empresas como os laboratórios Roche e Boehringer Ingelheim, Nokia e Google, entre muitas outras.  “Além dos projetos no Brasil, fizemos obras nas sedes da Nokia na Argentina, no Chile e no México”, diz. “Também cuidamos da sede da Roche em Istambul, na Turquia, e da loja conceito da marca Melissa no bairro do Soho, em Nova York, nos Estados Unidos.”

Mas não só os clientes estrelados que fazem os olhos da arquiteta brilharem. “Sou apaixonada pelo que faço e tenho um carinho especial por todas as obras: as menores e as maiores”.

Entre as maiores, o novo Centro Cultural Fiesp é uma prova de que, juntos, talento e arquitetura podem, sim, fazer toda a diferença.

Conheça o novo Centro Cultural Fiesp: www.centroculturalfiesp.com.br.


‘Estou surpresa com o que vi’, diz designer sobre o novo Centro Cultural Fiesp

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Bem acomodada em uma das mesas do ponto que, em março, receberá um café no novo Centro Cultural Fiesp, a pedagoga Genedite Yokoyama, de 62 anos, era só elogios ao espaço dedicado à cultura no prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, na Avenida Paulista. A área foi inaugurada neste domingo (19/02).

“São Paulo precisava de um local assim”, disse. “Nunca tinha vindo e agora vou passar a frequentar: todo o meu respeito e a minha gratidão à indústria do estado por ter nos proporcionado esse privilégio”.

Ao seu lado, a estudante Genuska Yokoyama, de 25 anos, concordava com a mãe. “Ficou um espaço muito harmonioso, com tudo combinando bem”, afirmou.

Designer e confeiteira, Silmara Andrade, de 37 anos, gostou de todos os ambientes do novo centro, com destaque para a exposição de esculturas Modulações, instalada numa das novas áreas do centro. “Estou surpresa com o que vi”, disse.

A animação do atendente de call center Caio Wengler, de 18 anos, não era menor. Morador de Ferraz de Vasconcelos, na Zona Leste da capital, ele veio passear na Paulista especialmente para a inauguração do novo espaço do prédio da Fiesp. “Vim com os meus pais, um tio e uma tia”, contou. “Gostei muito, quero vir mais para cá”.

O novo Centro Cultural Fiesp tem agora mais de 5 mil metros quadrados dedicados às artes, o que inclui ambientes para exposições, teatro, cinema, café e um jardim assinado por Burle Marx, entre muitas outras atrações.

A festa de inauguração foi aberta com uma apresentação da Bachiana Filarmônica do Sesi-SP e encerrada por um show dos irmãos Luciana Melo e Jairzinho, no final do dia. Isso além da apresentação, às 19h, da peça Tróilo e Créssida no Teatro do Sesi-SP.

Para saber mais, só clicar aqui.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545035136

Área de convivência do novo Centro Cultural Fiesp ficou lotada durante todo o domingo. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Novo Centro Cultural Fiesp: um presente da indústria para São Paulo e para o Brasil

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A arquiteta Moema Wertheimer não escondia o orgulho. E não tinha que esconder mesmo: estava ali, na frente dela, o resultado de um trabalho que já foi inaugurado fazendo toda a diferença, o novo Centro Cultural Fiesp. Aberto na manhã deste domingo (19/02), com uma apresentação da Bachiana Filarmônica do Sesi-SP, o espaço agora tem mais de 5 mil metros quadrados, incluindo galeria de fotos, mais espaços de exposições e um café com vista para um jardim assinado por Burle Marx. Isso além dos já conhecidos Teatro do Sesi-SP e Galeria de Arte do Sesi-SP.

[tentblogger-youtube HgdtRe35XFI]

“Estou emocionada de ver as pessoas se apropriando desse espaço de forma tão bonita”, disse Moema, responsável pelo projeto de revitalização do centro. “Todo mundo bem acomodado nas poltronas e sofás, ouvindo piano e vendo o jardim projetado por Burle Marx”.

O público foi convidado a entrar e ficar à vontade logo após a apresentação da Bachiana, realizada num palco montado na frente do prédio, lotando a Avenida Paulista. Não teve calor de 34 graus que impedisse a plateia de aplaudir e gritar “bravo” durante o concerto liderado pelo maestro João Carlos Martins, que ainda acompanhou seus músicos ao piano.

Entre muitos clássicos e sucessos populares, canção nenhuma emocionou mais do que Trem das Onze, de Adoniran Barbosa, “um hino de São Paulo e do novo Centro Cultural Fiesp”. “Esse espaço já é um ponto de encontro na Paulista, reúne todos os segmentos da sociedade, fico feliz de ver”, disse Martins.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545035136

Martins, à esquerda, e Skaf: emoção de entregar à Paulista um novo ponto de encontro. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


“Foi uma apresentação maravilhosa”, afirmou a supervisora de vendas Rejane Melo, de 45 anos, que veio de Ferraz de Vasconcelos, na Zona Leste da capital, especialmente para a inauguração do centro. “Quero frequentar ainda mais o prédio da Fiesp a partir de agora”.

O pianista Fábio Caramuru, de 60 anos, também aprovou o concerto. E disse estar ansioso para frequentar o café a ser aberto em março, com vista para o já citado jardim de Burle Marx. Até lá, todos os visitantes do centro podem circular pelo local, sentar nas mesas e poltronas e relaxar entre uma exposição e outra. “Esse espaço é um local único”, disse.

Um dos convidados da inauguração, o líbero Serginho, astro da seleção brasileira de vôlei nas Olimpíadas do Rio de Janeiro e atleta do Sesi-SP, também era só elogios. “Venho muito ao prédio da Fiesp e considero esse espaço um destaque na Paulista”, afirmou. “É incrível que a Fiesp sempre apoie a cultura”.

Um presente

Anfitrião da festa, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, agradeceu a presença do público e destacou o fato de que o novo centro cultural ficará aberto todos os dias, sempre com programação gratuita. “Todo mundo que estiver passando pela Paulista poderá entrar aqui, conferir as nossas exposições, conhecer o nosso café”, disse. “O novo Centro Cultural Fiesp é um presente da indústria de São Paulo para a cidade e para o Brasil”.

A programação especial deste domingo segue até o final do dia, com show de Luciana Melo e Jairzinho no palco da Paulista às 16h15 e a apresentação da peça Tróilo e Créssida, às 19h, no Teatro do Sesi-SP.

Para saber mais sobre o novo centro, é só clicar aqui.

>> Ouça boletim sobre o novo Centro Cultural Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545035136

Público lotou as instalações do novo Centro Cultural Fiesp na inauguração deste domingo. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Novo Centro Cultural Fiesp dá a São Paulo 5.000 metros quadrados de cultura

Agência Indusnet Fiesp

Abrigado em um dos cartões postais da avenida Paulista, o novo Centro Cultural Fiesp abre no próximo dia 19 com uma programação recheada de atividades culturais gratuitas para toda a família. Música, artes visuais, arte digital, teatro, bonecos, contação de histórias, palhaçaria ganham novos espaços. Bexigas e guloseimas não ficarão de fora da festa.

Concebido em 1979 com projeto inicial de Rino Levi (1901-1965), o prédio da Fiesp passou por uma reforma em 1998 orquestrada pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha (1928), ganhador do Prêmio Pritzker. Na época o prédio abrigava a Galeria de Arte, o Mezanino (usado pelo Núcleo Experimental de Artes Cênicas e pelo Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council), o palco externo (onde são realizados os shows do Domingo na Paulista e outros projetos), a livraria da Sesi-SP Editora, a Galeria de Arte Digital (instalada na fachada em 2012) e o Teatro do Sesi-SP, já conhecido do grande público. Todos os anos passam pelo complexo mais de 200 mil visitantes, que prestigiam, sem custo nenhum, espetáculos de teatro, dança e música erudita e popular; exposições de arte, tecnologia e linguagem eletrônica; aulas; palestras; exibições de filmes, entre outros.

Agora o Novo Centro Cultural conta também com uma galeria destinada exclusivamente a mostras fotográficas, um novo Espaço de Exposições e uma charmosa cafeteria com vista para um jardim projetado por Roberto Burle Marx (1909-1994).

Com mais de 5.000 metros quadrados, o ponto de encontro dos amantes da cultura está mais moderno e integrado, com direito a programação completamente gratuita, conexão wi-fi, banheiros adaptados, fraldário e pontos para carregamento de aparelhos eletrônicos. Clique aqui para conhecer o Novo Centro Cultural Fiesp.

Vista da cafeteria, do jardim e da entrada do teatro do Novo Centro Cultural Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Vista da cafeteria, do jardim e da entrada do teatro do Novo Centro Cultural Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Dia de festa

As atividades do dia 19 de fevereiro começam às 11h com um concerto a céu aberto da Bachiana Filarmônica do Sesi-SP no palco externo. Com regência do maestro João Carlos Martins, a orquestra apresentará o melhor da música clássica, além de algumas composições populares.

Do lado de dentro, o pianista Thito Neves dá as boas-vindas aos visitantes, que poderão desfrutar da nova cafeteria e de um exuberante jardim de inverno assinado pelo arquiteto, paisagista e artista plástico Roberto Burle Marx (1909-1994), que por si só, já é uma verdadeira obra de arte. Das 12h15 às 19h, o público poderá ouvir o melhor de Tom Jobim, Lulu Santos, Marisa Monte e Toquinho ressoando por todo o complexo.

Para inaugurar a Galeria de Fotos, às 12h, a exposição Magnum no Cinema traz Marilyn Monroe, James Dean, Charlie Chaplin, Elizabeth Taylor, Dustin Hoffman e outras estrelas de Hollywood registradas pelas lentes dos fotógrafos da Agência Magnum, que completa 70 anos em 2017. São 80 fotos dos sets de 11 filmes que marcaram a história do cinema mundial, dentre eles O pecado mora ao lado (1955); Juventude Transviada (1955) e De repente no último verão (1959). A temporada segue até 2 de abril, diariamente, das 10h às 20h.

Espaço de Exposições do Novo Centro Cultural Fiesp. Foto: Everton Amaro

Modulações, de Mary Carmen Matias, no Espaço de Exposições do Novo Centro Cultural Fiesp. Foto: Everton Amaro


Na abertura do Espaço de Exposições, a artista plástica Mary Carmen Matias traz a mostra Modulações, com 26 esculturas inéditas. Feitas em aço e alumínio, as obras revelam formas curvas que incorporam a luz em um show de beleza, suavidade e movimento. A mostra fica em cartaz até 26 de março, das 10h às 20h.

Já a Galeria de Arte segue com a exposição Tesouros Paulistas até 28 de fevereiro. A seleção de mais de 322 obras vindas das coleções de arte dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo contém alguns ícones do Modernismo brasileiro, como A Ventania (1915) de Anita Malfatti; Bailarina (déc. 1920) de Victor Brecheret; Operários (1933) de Tarsila do Amaral e Bandeirinhas (1970) de Alfredo Volpi.

Velho conhecido do público, o Teatro do Sesi-SP apresentará duas peças que prometem agradar a toda a família. Para as crianças, a Cia. Truks encena um de seus espetáculos mais premiados, o Sonhatório, em dois horários: 13h e 16h15. Na trama três loucos resolvem passar o tempo explorando os objetos que têm à sua volta. É então que são transportados para o fundo do mar, para desertos e para outros planetas, em uma aventura repleta de personagens inusitados pelo caminho. O que antes era um sanatório vira um “sonhatório”. O espetáculo recebeu indicações às categorias de Melhor Direção e Melhor Espetáculo do antigo Prêmio Femsa 2012.

À noite, é a vez da Grécia Antiga invadir o palco do teatro para a última apresentação da comédia sóbria Tróilo e Créssida, às 19h. Dirigida por Jô Soares, a história de William Shakespeare é recheada de militares estúpidos, mulheres calculistas, nobres fúteis, criados desbocados e falsos heróis.  No elenco estão nomes como Adriane Galisteu, Maria Fernanda Cândido, Ricardo Gelli e Ataíde Arcoverde – vencedor do prêmio Aplauso Brasil 2016 de ator coadjuvante.

Ainda no teatro, a jornalista e escritora Conceição Campos incorpora a personagem Livramento para apresentar os Contos de Câmara Cascudo. Enquanto conta a história da vida e da obra do escritor e folclorista, ela vai encurtando o caminho entre a criança, a literatura e o livro. A contação de histórias será realizada das 14h30 às 15h15.

Do lado de fora, no palco externo, a música rola solta com Luciana Mello e Jair Oliveira colocando a Paulista para dançar ao som de sucessos da MPB, a partir das 16h15.

Os atletas olímpicos do Sesi-SP, Bruno Rezende, Serginho, Etiene Medeiros, Aline Silva, Rudá Franco, entre outros, prestigiarão as novas instalações do prédio da Fiesp no dia da inauguração.

Confira a programação completa:

Horário

Espaço

Atividade

11h às 12h

Palco externo

Bachiana Filarmônica Sesi-SP

12h às 20h

Galeria de Arte

Tesouros Paulistas

Espaço de Exposições

Mary Carmen Matias – Modulações

Galeria de Fotos

Magnum no Cinema

12h15 às 19h

Cafeteria

Apresentação do pianista Thito Neves

13h às 14h

Teatro do Sesi-SP

Sonhatório

14h30 às 15h15

Teatro do Sesi-SP

Contos de Câmara Cascudo

16h15 às 17h15

Teatro do Sesi-SP

Sonhatório

16h15 às 17h45

Palco externo

Luciana Mello e Jair Oliveira

19h às 21h

Teatro do Sesi-SP

Tróilo e Créssida


Ingressos

Quem quiser garantir presença nos espetáculos infantis e contação de história, realizados durante o dia no teatro, deverá realizar reserva online, já disponível no portal Meu Sesi (www.sesisp.org.br/meu-sesi). Para essas apresentações os assentos serão livres, mas é necessário apresentar o comprovante de reserva na entrada do teatro.

Para o espetáculo Tróilo e Créssida, às 19h, as reservas online também estão disponíveis no portal Meu Sesi, e a distribuição de ingressos remanescentes será realizada diretamente pela bilheteria. Todas as atrações são gratuitas.

Excepcionalmente no dia 19/2, a bilheteria funcionará das 13h às 19h para troca e distribuição de ingressos remanescentes.


Serviço:

Abertura do Novo Centro Cultural Fiesp

Data: 19 de fevereiro de 2017 (domingo)

Local: Centro Cultural Fiesp (avenida Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon Masp do Metrô)

Grátis. Reservas antecipadas online pelo Meu Sesi (www.sesisp.org.br/meu-sesi).

Mais informações em www.sesisp.org.br/cultura.


Bachiana Filarmônica SESI-SP

Espaço: palco externo

Horário: 11h

Duração: 50 minutos

Classificação indicativa: Livre

 

Show de Luciana Mello e Jair Oliveira

Espaço: palco externo

Horário: 16h15

Duração: 90 minutos

Classificação indicativa: Livre

Ficha Técnica: Voz: Luciana Mello e Jair Oliveira | Contrabaixo: Éric Budney | Teclado: Marcelo Maita | Bateria: Daniel de Paula | Violão/Guitarra: Paulo França | Técnico:  Fernando Leite | Roadie: Arlindo | Produção: Pedro Melo

 

Sonhatório

Espaço: Teatro do Sesi-SP

Horários: 13h e 16h

Duração: 50 minutos

Capacidade: 456 lugares

Gênero: Teatro de bonecos

Classificação indicativa: 14 anos

Ficha Técnica:  Criação: Henrique Sitchin e Gabriel Sitchin | Texto e Direção: Henrique Sitchin | Elenco: Gabriel Sitchin, Rogério Uchoas e Rafael Senatore | Criação e confecção de bonecos e figuras: Henrique Sitchin, Gabriel Sitchin, Rafael Senatore, Hugo Reis, Pietro Sitchin, Karina Prall e Camila Oliveira | Trilha Sonora: Rafael Senatore e Francisco Muniz | Iluminação e Cenografia: Henrique Sitchin | Operação de Som e Luz: Thiago Uchoas | Produção Executiva: Deborah Corrêa | Realização: Cia. Truks – Teatro De Bonecos.

 

Contos de Câmara Cascudo

Espaço: Teatro do Sesi-SP

Horários: 14h30

Duração: 60 minutos

Capacidade: 456 lugares

Gênero: Contação de histórias

Classificação indicativa: Livre

Ficha Técnica: Autor/Artista: Conceição Campos


Magnum no Cinema

Espaço: Galeria de Fotos

Temporada: de 19 de fevereiro a 2 de abril

Horários: diariamente, das 10h às 20h (entrada até 19h40)

*Excepcionalmente no dia 19/2 abrirá às 12h

Classificação indicativa: Livre

Curadoria: João Kulcsár

Fotógrafos (Agência Magnum): Elliott Erwitt, Henri Cartier-Bresson, Bruce Davidson, Eve Arnold, Cornell Capa, Jean Gaumy, Burt Glinn, Ernst Haas, Eugene Smith, Erich Hartmann, Erich Lessing, Inge Morath, Dennis Stock e Nicolas Tikhomiroff.

Fotografados: Marilyn Monroe, James Dean, Charlie Chaplin, Elizabeth Taylor, John Wayne, Natalie Wood, Clark Gable, Gregory Peck, Anthony, Perkins, Romy Schneider, Buster Keaton, Dustin Hoffman e John Malkovich.

 

Modulações – Mary Carmem Matias

Espaço: Espaço de Exposições

Temporada: de 19 de fevereiro a 26 de março

Horários: diariamente, das 10h às 20h (entrada até 19h40)

*Excepcionalmente no dia 19/2 abrirá às 12h

Classificação Indicativa: Livre

Artista: Mary Carmen Matias

Curadoria: Denise Mattar

 

Tróilo e Créssida – Uma comédia sinistra

*ÚLTIMA APRESENTAÇÃO: 19 de fevereiro, às 19h

Capacidade: 456 lugares

Duração: 120 minutos

Gênero: Comédia

Classificação indicativa: 14 anos

Ficha Técnica: Texto: William Shakespeare | Direção: Jô Soares | Tradução e Adaptação: Jô Soares e Mauricio Guilherme | Diretor Assistente: Mauricio Guilherme | Assistente de Direção: Antonio Colossi | Assistente do Diretor: Fabio Nascimento | Cenário: Chris Aizner e Nilton Aizner | Iluminação: Maneco Quinderé | Figurino: Fábio Namatame | Música Original: Ricardo Severo | Videografismo e Mapping: André Grynwask e Pri Argoud | Fotografia: Priscila Prade | Direção de Arte Gráfica: Giovani Tozi | Produção Executiva: Mariana Melgaço e Barbara Dib | Financeiro: Vanessa Velloni | Produção: Rodrigo Velloni | Administração: Velloni Produções Artísticas | Realização: SESI-SP | Elenco: Adriane Galisteu, Ando Camargo, Ataíde Arcoverde, Cláudia Manzini, Eduardo Semerjian, Felipe Palhares, Fernando Pavão, Giovani Tozi, Guilherme Sant’anna, Ivana Oliveira, Juliana Carvalho, Kiko Bertholini, Luciano Schwab, Luiz Damasceno, Luzia Reis, Marco Antônio Pâmio, Maria Fernanda Cândido, Nícolas Trevijano, Otávio Martins, Paulo Marcos, Ricardo Gelli, Tuna Dwek, Zelia Costa.

 

Tesouros Paulistas – Coleções de arte dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo

Período: até 28 de fevereiro de 2017

Horário: diariamente, das 10h às 20h (com entrada até 19h40)

*Excepcionalmente no dia 19/2 abrirá às 12h

Local: Galeria de Arte | Centro Cultural Fiesp

Classificação indicativa: Livre