Calçada da Fiesp fica azul para combater o câncer de próstata

Agência Indusnet Fiesp

O Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia da Fiesp (ComSaude) promoveu, em parceria com o Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL ), um dia inteiro de eventos, na última quarta-feira (1º de novembro), para chamar atenção para o Novembro Azul e a importância da prevenção e conscientização sobre problemas de saúde masculina, como câncer de próstata e câncer de testículos.

O ComSaude e o LAL montaram uma estrutura na calçada da Fiesp, em plena avenida Paulista, com muitas atividades. No espaço +Saúde, médicos urologistas tiraram dúvidas da população sobre prevenção ao câncer de próstata, e enfermeiros aferiram a pressão arterial.

As atrações da campanha do Novembro Azul 2017 incluíram a montagem de uma barbearia, com profissionais fazendo barba e bigode, show do grupo Dance Mais e atividades lúdicas promovidas pelos já conhecidos “bigodes” do LAL.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), anualmente são diagnosticados 61 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil, sendo o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, atrás dos tumores de pele não-melanoma.  É o segundo câncer que mais mata no país.

Em 2016, morreram 13 mil homens vítimas da doença (uma morte a cada 40 segundos), índice que pode ser reduzido a partir da conscientização, pois já foi constatado que ao ser diagnosticada precocemente há 90% de chances de cura. Os sintomas do câncer de próstata podem demorar a se manifestar, o que torna os exames preventivos anda mais necessários, evitando sua descoberta em um estágio avançado e potencialmente fatal.

Sobre a doença e fatores de risco

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas, e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Nesta fase, os sintomas identificados são: dor óssea; sangue na urina e/ou no sêmen; vontade frequente de urinar e dor ao urinar. No entanto, alertam os médicos, a falta de sintomas não garante que o indivíduo não tenha a doença. Por isso, a recomendação para que sejam feitos os exames preventivos e os cuidados com a saúde em geral (alimentação; atividade física, entre outros).

Homens da raça negra têm maior incidência desse tipo de câncer, assim como aqueles com histórico familiar da doença (pai, irmão ou tio) e os que estão com excesso de peso. Por isso, a recomendação para que homens com idade acima de 45 anos que façam parte desses grupos de risco e os acima de 50 anos, sem esses fatores, vão anualmente ao urologista e façam o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como seu endurecimento e a presença de nódulos suspeitos, além de fazer o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico).

Sobre o +Saúde

O “+Saúde – programa de prevenção e educação” é uma iniciativa do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia da Fiesp (ComSaude). Seu objetivo é promover campanhas de educação e conscientização com entidades ligadas ao Comitê, que têm como foco de suas atividades a atenção ao paciente.

O serviço de utilidade pública acontece todos os meses na calçada em frente à Fiesp. Durante o ano são trabalhados diferentes assuntos importantes relacionados à saúde que são pauta contínua de discussão, como o diabetes, hipertensão e doação de sangue e órgãos, por exemplo.

O +Saúde conta com a participação de parceiros voluntários, que representam instituições sem fins lucrativos, sociedades de profissionais da saúde, entidades setoriais, hospitais, profissionais da saúde e empresas do setor.

Sobre o LAL

O Instituto Lado a Lado pela Vida tem a missão de ampliar o acesso às novas tecnologias e humanizar a saúde de Norte a Sul do Brasil por meio do diálogo, do acolhimento e da promoção do bem-estar físico e emocional. Para isso, percorre o país propagando a importância da prevenção, do autocuidado e da autoestima, levando para homens, mulheres e crianças essa conscientização de que a saúde é o bem mais valioso e merece atenção especial.

O website da entidade traz uma área exclusiva com informações sobre as atividades programadas para o Novembro Azul. Além das ações já incluídas, outras surgiram motivadas por apoiadores e serão acrescentadas no site ao longo do mês.

http://ladoaladopelavida.com.br/campanha/novembro-azul

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189670

“Bigodes” ambulantes foram parte das atrações da campanha na calçada da Fiesp. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Foto: equipes de vôlei do Sesi-SP participam da campanha Novembro Azul

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189670

Serginho veste a camisa azul em apoio à campanha pela prevenção ao câncer de próstata. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Durante todo o mês de novembro, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) promove ações com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção ao câncer de próstata.

E a campanha também é voltada para a comunidade. Neste período, os líberos Serginho e Suelen, das equipes masculina e feminina de vôlei do Sesi-SP, usam uniforme azul.

A cor simboliza o movimento mundial conhecido como Novembro Azul, campanha para sensibilizar a população para os riscos e a necessidade de diagnóstico precoce para esse tipo de câncer.

Foto: Sesi-SP e Fiesp encerram campanha Novembro Azul com ícone na Galeria Digital

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189670

Laço azul foi exibido na fachada do edifício-sede da Fiesp e do Sesi-SP. Foto: Juan Saavedra/Fiesp


Entre as diversas ações realizadas para promover o “Novembro Azul”, movimento internacional que estimula a prevenção ao câncer de próstata, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) exibiu na noite dos últimos dias do mês – em sua Galeria Digital, na Avenida Paulista – a imagem do laço azul, ícone da campanha.

A campanha contou com o apoio da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP) e do Instituto Roberto Simonsen (IRS).

O laço começou a ser exibido após o término da segunda edição do SP_Urban Digital Festival.

A exemplo do que foi feito durante a campanha “Outubro Rosa”, durante mês de novembro os times feminino e masculino de vôlei do Sesi-SP também apoiaram a campanha de prevenção ao câncer de próstata.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189670

Jogadores de vôlei do Sesi-SP apoiam a campanha 'Novembro Azul'. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Os líberos vestiram azul durante os jogos desse mês e antes da partida contra o Moda Maringá pela Superliga, no sábado (30/11), o time masculino entrou em quadra com uma faixa que pedia menos preconceito e chamava atenção para a importância do movimento “Novembro Azul”.



‘Homem que é homem cuida de si’, diz oncologista em palestra para colaboradores da Fiesp e do Sesi-SP

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

“Homem que é homem cuida de si, não acha que o toque retal vai afetar a sua masculinidade”. Foi com esse alerta que o oncologista Fernando Maluf, chefe do Centro Avançado de Oncologia Clínica do Hospital São José, de São Paulo, abriu a sua palestra sobre o câncer de próstata para os colaboradores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), na manhã desta terça-feira (26/11), no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista.

O evento fez parte das atividades da campanha Novembro Azul, de prevenção à doença. Com direito à plateia lotada. “O cuidado com a saúde deve ir além do mês de novembro e durar os 12 meses do ano”, afirmou Maluf. “O Brasil é um país marcado pelo preconceito em relação à prevenção do câncer de próstata”, disse. “É na hora da doença, no hospital, que o paciente reflete por que não foi homem consigo mesmo e com a sua família, por que não se fez o exame preventivo”.

Dessa forma, o médico lembrou que 50% dos homens brasileiros nunca procuraram um urologista. “Para cada homem que procura assistência médica sem sintomas, oito mulheres fazem a mesma coisa”, afirmou. “É por isso que os homens vivem, em média, sete anos menos que as mulheres no país”.

Maluf explicou aos participantes que a próstata é um órgão do tamanho de uma noz localizado na região da pelve. Sua função no corpo? Produzir uma parte do sêmen, o líquido que contém os espermatozoides e é liberado no ato sexual.

Maluf, à esquerda, e Skaf: campanha em nome da prevenção que salva vidas. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Maluf, à esquerda, e Skaf: campanha em nome da prevenção que salva vidas. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


De acordo com o oncologista, surgem, todos os anos, 1 milhão de casos novos de câncer de próstata em todo o mundo. A cada seis homens, um tem chances de desenvolver a enfermidade, proporção que aumenta de um a cada três entre aqueles com parentes próximos que tiveram a doença, os de raça negra (que têm os tumores mais agressivos) e os obesos.

A boa notícia é que as chances de cura são grandes. “Entre 80% e 95% dos casos o câncer de próstata é curável”, explicou o médico. “Mas tudo fica mais difícil quando os sintomas levam o médico ao paciente, por isso a prevenção é tão importante”.

Prevenir é preciso

Por falar em prevenção, o oncologista lembrou que, para pacientes sem parentes próximos com a doença, não obesos e não negros, é preciso realizar exames anuais a partir dos 50 anos. Para os que têm mais chance de desenvolver a doença, os exames devem ser feitos a partir dos 40 anos.

Que exames são esses? O PSA, um exame de sangue que mede os níveis da enzima de mesmo nome produzida pelas células da próstata e o toque retal. Mas o médico avisou: “Há tumores que não se expressam bem pelo PSA”.

Segundo Maluf, o câncer de próstata tem como característica a grande variedade dos tumores. “A sua doença não é igual a do seu amigo”, afirmou. “Há pacientes com tumores que não se desenvolvem há 30 anos e outros morrem com um ano de tratamento, por isso é preciso avaliar bem cada caso”.

O tratamento da doença é feito basicamente por cirurgia, radioterapia ou observação continuada. “A nossa vontade é curar todos os pacientes, de preferência com tratamentos simples, baratos e com poucos efeitos colaterais”, disse Maluf.

Ao final da palestra,  o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, subiu ao palco para agradecer pela apresentação do médico, a quem pediu aplausos. “O câncer de próstata, assim como o de mama, é de grande risco, mas, diagnosticado a tempo, pode salvar vidas”, afirmou.

Vicioni Gonçalves: fim dos “preconceitos arraigados” em nome da qualidade de vida. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Vicioni Gonçalves: fim dos “preconceitos arraigados” em nome da felicidade. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Também presente ao evento, o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Walter Vicioni Gonçalves, é preciso substituir os “preconceitos arraigados” por uma “atitude preventiva em benefício da vida com qualidade”. “Vamos ser todos nós felizes”.



Em artigo publicado no Diário de S. Paulo, Skaf destaca papel da indústria na prevenção de câncer de mama e próstata

Agência Indusnet Fiesp

Em artigo publicado nesta segunda-feira (11/11) no jornal Diário de S. Paulo e nos jornais da Rede Bom Dia, o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Paulo Skaf, destacou a participação ativa da indústria na campanha pela prevenção contra o câncer de mama, engajada pelo movimento Outubro Rosa.

Skaf também chamou atenção para o próximo desafio da entidade: o apoio à prevenção contra o câncer de próstata pelo movimento Novembro Azul.

No texto, Skaf afirmou que “a indústria, que participou ativamente do Outubro Rosa, também está engajada nesta campanha (Novembro Azul), e a Fiesp e o Ciesp iluminaram sua fachada, programaram debates, palestras e a distribuição de folhetos informativos e pulseiras na avenida Paulista, em frente a sua sede”.

Segundo informa o presidente da Fiesp, o câncer de próstata acomete cerca de 60 mil homens por ano.

“A campanha vem para reforçar aos brasileiros a diferença que um simples exame preventivo pode fazer na vida das pessoas”, garantiu Skaf.

Confira o artigo na íntegra:

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189670

Para estimular prevenção ao câncer de próstata, Sesi-SP apoia campanha ‘Novembro Azul’

Agência Indusnet Fiesp

A exemplo do mês passado, quando promoveu o “Outubro Rosa“, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) está apoiando o “Novembro Azul”, movimento internacional que estimula a prevenção contra o câncer de próstata.

Uma das primeiras ações com repercussão na mídia foi no sábado (02/11), quando o líbero Serginho, do time de vôlei do Sesi-SP, atuou com uma camiseta customizada, na cor azul, simbolizando a adesão à campanha. O jogo válido pela Superliga masculina teve transmissão ao vivo do canal Sportv.

Na sexta (01/11), as fanpages do Sesi-SP no Facebook passaram a exibir como avatar o laço azul, ícone da campanha.

Serginho, ao centro, de azul em nome da prevenção ao câncer de próstata. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

O líbero Serginho, ao centro, de azul em nome da prevenção ao câncer de próstata. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Uma série de ações está programada ao longo do mês: a distribuição de pulseiras e flyers para alunos das escolas do Sesi-SP; a panfletagem na Avenida Paulista, em data a ser definida; ações de comunicação interna; atividades para colaboradores das entidades; distribuição de flyers aos Centros de Atividades do Sesi-SP e estímulo ao desenvolvimento de ações locais, entre outras.

A iniciativa é da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP.

O câncer de próstata

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Quando as células deste órgão começam a se multiplicar de forma desordenada, ocorre o câncer. A próstata fica, então, mais endurecida e a doença é facilmente descoberta no exame de toque retal.

O câncer de próstata é mais incidente que o câncer de mama, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), que em sua estimativa 2012/2013 apontou 60.180 novos casos de câncer de próstata e 52.680 de mama. Esse tipo de câncer é o sexto tipo mais comum no mundo, ainda de acordo com dados do Inca.

Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha para a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), em 2009, constatou que o preconceito com o exame de toque retal ainda é forte no Brasil. Apenas 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame. Foram ouvidos 1.061 homens com idades entre 40 e 70 anos, de 10 capitais brasileiras (Belo Horizonte, Belém, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo).

Pela Superliga masculina, Sesi-SP derrota Brasil Kirin por 3 sets a 0

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Em jogo na noite de sábado (02/11), o time masculino do Serviço Social da Indústria venceu pela terceira vez seguida o do Brasil Kirin/Campinas por 3 sets a 0 (21/15, 21/11 e 21/17) – desta vez pela Superliga masculina 2013/14. O jogo foi realizado no ginásio do Sesi Vila Leopoldina, em São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189670

Sidão e Lucarelli. Bloqueio do Sesi-SP funcionou. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Com o resultado, o Sesi-SP chega à sexta vitória em seis jogos na competição – bateu o Funvic/Taubaté, UFJF, São Bernardo Vôlei, Voltaço e Kappesberg Canoas. O time do técnico Marcos Pacheco é o terceiro na tabela de classificação, com 17 pontos, um atrás do líder Sada Cruzeiro e do vice-líder RJX.

Depois de superar o Brasil Kirin duas vezes consecutivas pelo Campeonato Paulista, o Sesi-SP não perdeu a concentração, pressionando a equipe visitante desde o início de cada set, com saques demolidores de Evandro e Lucão, e bem em todos os fundamentos. O bloqueio funcionou, a linha de passe distribuiu a bola na mão do levantador e Sandro variou bem as jogadas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189670

Evandro, oposto do Sesi-SP, com o goleiro Cássio. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

“A gente está numa sequência boa. Conseguimos jogar bem, muito bem”, comentou o oposto Evandro depois de receber o troféu Viva Vôlei das mãos de um convidado especial: o goleiro Cássio, do Corinthians. O reconhecimento é concedido ao atleta melhor em quadra em escolha do treinador da equipe vencedora – Marcos Pacheco, no caso.

“Foi uma vitória importantíssima, que dá confiança. Foram duas semanas duríssimas, com três jogos por semana, mas está todo mundo de parabéns”, disse o central Sidão.

Uma das novidades do jogo foi a camisa customizada usada pelo líbero Serginho, em alusão ao apoio do Sesi-SP ao movimento Novembro Azul, alertando para a necessidade do exame de prevenção ao câncer de próstata.

O Sesi-SP entrou com Sandro, Ary, Sidão, Lucão, Evandro, Sidão e Serginho (líbero). Entraram Renan, Thiaguinho e Rogerio.

A equipe volta às quadras pela Superliga somente no último dia do mês (30/11), às 19h30, no ginásio Chico Neto, onde enfrenta o Moda Maringá (PR).

O jogo

Serginho - Vôlei

Serginho com camisa em alusão à campanha "Novembro Azul". Foto: Lucas Dantas

O primeiro set começou equilibrado. Alexandre Rivetti, técnico do Brasil Kirin, surpreendeu ao escalar Bergamo e Mineiro. Lucão, pelo meio de rede, levou o jogo para a primeira parada técnica: 07/06. Bem nos fundamentos, o Sesi-SP fez 10/07 com Lucarelli, em ponto de bloqueio. Lucão soltou o braço, a recepção devolveu e Lucarelli matou o ponto (15/08). Depois de uma sequência de pontos dos visitantes, que reduzira a diferença para 17/12, o técnico Marcos Pacheco pediu tempo. O Sesi-SP  voltou a rodar e o oposto Renan fechou o jogo em 21/15.

No segundo set, o Sesi-SP seguiu com ritmo forte no saque e bem em todos os fundamentos – a vantagem chegou a sete pontos quando Sidão, pelo meio, levou o jogo para a segunda parada técnica obrigatória. O set point veio com um ace de Evandro: 20/11. Um erro de Bergamo, do Brasil Kirin, decretou o fim do parcial: 21/11.

O terceiro set começou mais equilibrado depois de uma mudança na equipe visitante, que escalou o oposto Rivaldo, preterido na formação inicial. Lucão, que vinha bem no saque e no ataque, fez um ponto de bloqueio para levar o jogo para a primeira parada obrigatória do terceiro set. A vantagem aumentou depois de um erro de recepção do Brasil Kirin: Sandro não perdoou e fez o 08/05. Na segunda parada técnica, o técnico Marcos Pacheco, percebendo o risco de a equipe diminuir o ritmo, pediu mais concentração aos jogadores. Deu certo e a equipe conseguiu rodar até abrir cinco pontos de diferença em bloqueios de Lucarelli (17/13) e Sidão (18/13). Foi o suficiente para fechar o jogo com tranquilidade, em bola do ponteiro Ary: 21/17 e 3 sets a 0.

>> Conheça o elenco da equipe masculina do Sesi-SP