Voleibol tem novas regras nas competições oficiais

Agência Indusnet Fiesp

A aplicação de novas regras marca o começo da temporada 2013/2014 do vôlei. Com as mudanças, os sets passam a ser disputados até 21 pontos (o quinto set continua até 15 pontos) – antes, os parciais iam até 25 pontos.

Os tempos de TV passam a ser no 7º e 15º pontos. Além disso, os jogadores terão um limite de 15 segundos para sacar. Outra mudança é o golden set para a decisão dos playoffs. Em caso de uma vitória para cada time, na segunda partida, será disputado um set a mais, para desempatar.

O objetivo das novas regras é deixar as partidas mais atraentes comercialmente, em função das transmissões de TV. A Superliga também deverá ser disputada dessa forma.

As mudanças serão testes para a Federação Internacional de Volleyball (FIVB). Em junho, foram disputados os primeiros jogos com sets de 21 pontos na Liga Europeia.

A medida tem impacto na volta às partidas oficiais das equipes masculina e feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). O Sesi-SP estreia no dia 3 de agosto, sábado, no campeonato paulista masculino. Já a Copa São Paulo começa em 9 de agosto, sexta-feira, para o time feminino.

Para Fiesp, adiamento das novas regras do ponto eletrônico é uma vitória parcial

Agência Indusnet Fiesp,

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) aplaudiu a decisão do Governo Federal de adiar para 1º de março de 2011 a obrigatoriedade das novas regras do Registro de Ponto Eletrônico. No entanto, a entidade considera a prorrogação uma vitória apenas parcial e, portanto, continuará lutando por sua total revogação.

A Portaria 1510/09, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), havia estipulado que as normas entrariam em vigor em 26 de agosto deste ano. A nova Portaria 1987/10 foi publicada nesta quinta-feira (19) no Diário Oficial da União (DOU). O recuo do governo ocorreu devido às pressões das principais entidades patronais, como a Fiesp e a CNI.

Neste sentido, a Fiesp participou ativamente da campanha contra as novas regras, com medidas de boa repercussão. Entre elas, intenso diálogo com o presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva. Além de ofícios endereçados ao ministro do Trabalho, Carlos Lupi, e ao vice-presidente da República, José Alencar, apontando as falhas das normas e pedindo sua anulação.

Além disso, a entidade tem se posicionado publicamente contra as regras do ponto eletrônico, argumentando que seus altos custos comprometerão a competitividade produtiva nacional, sobretudo das micro e pequenas indústrias. Segundo o Departamento Sindical (Desin) da Fiesp, outra preocupação é o risco de aumentar a animosidade das relações de trabalho.

Fora isso, a Fiesp também acredita que as normas não resolverão os problemas apontados pelo MTE. Por estes motivos, mesmo com o adiamento do prazo para as empresas implantarem o novo sistema, a entidade insiste na sua total revogação.