Nota oficial: Fiesp e Ciesp esperam que equipe econômica alcance melhor resultado

Nota oficial

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) recebem com satisfação o anúncio dos novos integrantes da equipe econômica do governo federal.

A indústria espera que Joaquim Levy (Ministério da Fazenda) e Nelson Barbosa (Ministério do Planejamento), assim como Alexandre Tombini, que permanece na presidência do Banco Central, conduzam a economia com responsabilidade, visão de futuro e estímulo aos que querem produzir, trabalhar e fazer o País crescer.

“São pessoas sérias, preparadas e esperamos que consigam alcançar o melhor resultado”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

A Fiesp e o Ciesp desejam sucesso ao Brasil e continuarão parceiras na luta pela geração do emprego e pela redução da burocracia, dos impostos e dos entraves à produtividade da indústria.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)

Skaf: Medida Provisória que eleva teto para lucro presumido é mais uma vitória da indústria

Nota oficial

“Esta é mais uma vitória da indústria e irá favorecer a atividade econômica. É uma oportunidade de criar novos postos de trabalho no país”, afirmou Paulo Skaf, presidente da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), sobre a Medida Provisória (MP) 612 editada nesta sexta-feira (05/04), que faz a revisão do teto do faturamento para as empresas que pagam impostos pelo lucro presumido, e também inclui novos setores na desoneração da folha de pagamento.

A revisão era uma reivindicação da indústria. “Já conquistamos a redução do preço da energia, a desoneração da cesta básica, a desoneração da folha de pagamento para vários setores da indústria. Agora, o governo atendeu nosso pleito pela elevação do teto do lucro presumido, o que reduz a carga tributária das empresas de menor porte, deixando nas mãos do setor privado R$ 1 bilhão por ano, e certamente contribuirá para o aumento da competitividade da economia brasileira”, concluiu Skaf.

A medida provisória também traz a desoneração da folha de pagamento de setores como jornalismo e radiodifusão, prestação de serviços aeroportuários, empresas de transporte aéreo de passageiros, transporte metroviário, engenharia e arquitetura e construtoras de obras de infraestrutura. Foram desonerados ainda transportes de cargas por navegação de travessia, marítimo e rodoviário e o setor de defesa.

Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp)