Fiesp/Ciesp e Nossa Caixa Desenvolvimento celebram primeiros contratos

Rubens Toledo, Agência Indusnet Fiesp

As empresas Amino Química, de Diadema, Ares Line – Latinoamericana S/A, de Indaiatuba, e Sivat – Abrasivos Especiais, de Salto, assinaram nesta segunda-feira (30), em cerimônia na Fiesp, contrato de financiamento pela Nossa Caixa Desenvolvimento, operação realizada no âmbito da parceria entre a agência de fomento e as entidades da Indústria.

“Neste ato simbólico estamos celebrando uma parceria de sucesso. Estas empresas representam outras 82 indústrias já com propostas pré-aprovadas”, declarou Milton Antônio Bogus, diretor-titular do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542790242

Milton Antônio Bogus, diretor-titular do Dempi e Milton Luiz de Melo Santos, presidente da Nossa Caixa Desenvolvimento. Foto: Divulgação Dempi

Os resultados obtidos nesses poucos meses de parceria abrem excelentes perspectivas para 2010, afirmou Milton Luiz de Melo Santos, presidente da Nossa Caixa Desenvolvimento. “A missão da Agência é financiar, por meio de linhas apropriadas, o crescimento da economia paulista, garantindo a expansão da produção e o aumento da competitividade das empresas e da própria arrecadação.”

Operando com capital inicial de R$ 1 bilhão, a agência já é repassadora de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no qual dispõe de R$ 40 milhões para financiamento de máquinas (linha Finame), além de outros R$ 30 milhões do PEC, que é programa para capital de giro do BNDES.”Essas linhas operam a taxas de 8% ao ano, prazo de 60 meses para ressarcimento e 12 meses de carência”, explicou Santos.

A agência já aprovou R$ 150 milhões, em recursos próprios, em projetos de empresas paulistas, com intermediação das entidades. Essas linhas aplicam-se a tomadores cujo faturamento se enquadra na faixa entre R$ 240 mil e R$ 100 milhões ao ano.

Nos contratos relacionados a investimentos em fontes de energia alternativa ou projetos voltados à proteção ao meio ambiente, as condições são também facilitadas. “Nestes casos, a agência poderá financiar até 100% do custo do projeto”, completou o presidente da Nossa Caixa Desenvolvimento.

Rapidez nas operações

O empresário Abraham Furmanovich, presidente-fundador da Sivat – aberta em 1955, quando ele chegou no Brasil, vindo da Argentina –, comparou a Nossa Caixa Desenvolvimento ao antigo Baneser, o Banco de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, que nos anos 80 cumpria esse mesmo papel de indutor da economia paulista.

“Esta agência de fomento veio suprir uma grande necessidade das pequenas e médias empresas, principalmente neste momento de escassez de crédito”, falou o Abraham, que assinou um contrato de R$ 300 mil para capital de giro. “É uma quantia modesta, mas, nas condições em que foram tomados, posso garantir que foi um bom negócio.”

O atrativo não está apenas na taxa de juros de 8% ao ano e prazo de 60 meses, mas também na rapidez da operação. “Essa agilidade surpreendeu a gente. Nem se compara aos bancos comerciais”, ressaltou Sandro Camargo, controller da Amino Química, primeiro a assinar o contrato.

Esse aspecto foi destacado pelo colega José Paulo Croce, da Ares Line, que chegou a duvidar do projeto, “Achei que nunca, em vida, teria uma experiência dessas no Brasil. Espero fazer bom uso deste dinheiro”, acrescentou Croce.