Departamento de Meio Ambiente faz balanço do setor e fala sobre expectativas para 2013

Marília Carrera, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539835005

Diretor-titular do Departamento de Meio Ambiente da Fiesp, Nelson Pereira dos Reis

O balanço de 2012 para a indústria paulista no setor de meio ambiente é positivo. De acordo com a análise do diretor-titular do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Nelson Pereira dos Reis, neste ano aconteceram eventos importantes que ajudaram empresas a incorporarem práticas mais sustentáveis às suas atividades.

Pereira apresentou o panorama nesta terça-feira (18/12), durante coletiva sobre o balanço do ano e as perspectivas para 2013. Segundo ele, o projeto Humanidade 2012 foi um dos marcos este ano e “o ponto alto das atividades do departamento”.

O evento promoveu uma série de seminários sobre os principais temas ambientais, como resíduos sólidos, água e governança. O projeto foi realizado pela Fiesp e outros parceiros no Forte de Copacabana (RJ), paralelamente à Rio+20, e contou com a participação de todos os departamentos da federação.

Outro assunto que ganhou notoriedade em 2012 foi a Política Nacional de Resíduos Sólidos, avaliou o diretor do DMA/Fiesp, que citou a realização de diversos debates, visando à negociação de projetos em diferentes segmentos da indústria, como pneus, cosméticos, pilhas e eletroeletrônicos. “Nosso objetivo é implantar uma política consistente e que realmente funcione”, frisou.

Pereira dos Reis também destacou conquistas obtidas durante o ano, a exemplo do trabalho de análise e legislação realizado em torno das normas ambientais do Estado de São Paulo. Ao todo, enumerou, foram ordenadas e classificadas 563 normas responsáveis, de alguma forma, por provocar impactos nas cadeias produtivas de empresas paulistas.

“[Agora], temos que analisar a qualidade desta legislação, no sentido de motivar a sociedade de que nós temos um código ambiental que vai facilitar a atividade da indústria”, explicou.

Planos para 2013

De acordo com o diretor, um dos principais projetos do DMA para o ano que se inicia é a Política de Meio Ambiente, que tem por objetivo estabelecer metas de redução de emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE).

Pereira dos Reis explicou, entretanto, que algumas questões ainda precisam ser equacionadas, a fim de que não comprometam as atividades de diversos setores. Para isso, informou, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) irá desenvolver um estudo, que fornecerá informações para orientar profissionais da indústria quanto à nova política.

Ao longo de 2013, o diretor do DMA ainda espera que seja formado um banco de dados ambientais voltados para pequenas e médias empresas e que sejam discutidos os padrões de qualidade do ar no Estado de São Paulo que adotou padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Conversando com setores da indústria e com o governo, poderemos formatar projetos de acordo com esses padrões. Isso também influenciará questões de energia que implicam na qualidade do ar”, concluiu.