Fiesp promove seminário sobre o futuro das relações entre o Brasil e o Japão

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Na manhã desta terça-feira (12/11), a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) realizou o seminário “O futuro das relações econômicas Brasil-Japão”, com a presença do ex-ministro de política econômica e fiscal do Japão, Heizo Takenaka, do cônsul geral do Japão em São Paulo, Noriteru Fukushima, e do economista, ex-diretor do Banco Central do Brasil e ex-professor da USP Paulo Yokota.

A coordenação e abertura do evento foi feita pelo diretor titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, Roberto Gianetti da Fonseca.  “O Brasil e o Japão têm uma longa história de relações econômicas, construída pelo fluxo bilateral de negócios entre os nossos países”, disse Fonseca. “Agora, temos novas políticas econômicas, tanto o Brasil quanto o Japão estão reconstruindo suas economias. Por isso esse debate é importante e ajuda a prever novas áreas de cooperação e desenvolvimento entre os dois países.”

Em sua apresentação, o ex-ministro japonês comentou as recentes mudanças na economia global e traçou um panorama da economia japonesa atual, que atravessa um momento de deflação e, como o Brasil, busca estratégias para o crescimento. Para ele, é preciso investir em inovação e dar mais liberdade ao setor privado. “Estamos na era das inovações e o setor público precisa fazer os investimentos necessários para desenvolver a inovação. Da mesma forma, o governo precisar suavizar as regulações do setor privado para ativar a economia.”

Gianetti, à esquerda, e Takenaka: parceria mais ampla entre Brasil e Japão. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Gianetti, à esquerda, e Takenaka: parceria mais ampla entre Brasil e Japão. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Sobre o Brasil, Takenaka afirmou que acredita ser possível uma “cooperação intensa” entre os países. “São mais de 1,5 milhão de descendentes de japoneses no Brasil, uma força que pode ser usada. O ideal é que não apenas as grandes empresas do Japão venham para o Brasil, mas também as de pequeno e médio porte, que elas criem uma relação de colaboração com as empresas brasileiras”, disse. “Juntos, os dois países podem se desenvolver e também contribuir para a construção da agenda global, que inclui a preservação do meio ambiente e a diminuição da pobreza no mundo.”

Gianetti, que fez uma ampla apresentação de dados da economia brasileira, também comentou as oportunidades de relação entre os países. “Se algo importante foi construído na relação Brasil-Japão nos últimos anos foi a confiança. As empresas e investidores japoneses vêm com capital financeiro, tecnologia, criam negócios saudáveis no Brasil – são inúmeros os exemplos em vários setores”, declarou. “Gostaríamos de acelerar e aprimorar a relação econômica com o Japão também na área de investimentos.”

Foto: presidente da Fiesp recebe visita de cortesia do novo cônsul geral do Japão em São Paulo

Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp, e Noriteru Fukushima, novo Cônsul Geral do Japão em São Paulo. Fukushima foi aprovado para o serviço diplomático de seu país em 1980. Antes de chegar ao Brasil, o cônsul teve passagens pelo México (como ministro da Embaixada do Japão), Itália (como ministro da Embaixada do Japão) e Espanha (como Ministro da Embaixada do Japão), entre outras missões diplomáticas. Foto: Junior Ruiz.