Especialistas debatem ISO 26000 em reunião conjunta de conselhos na Fiesp

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Nesta quinta-feira (27/06), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp),  especialistas na norma ISO 26000 participaram de reunião conjunta do Conselho Superior Responsabilidade Social (Consocial), Conselho Superior de Assuntos Jurídicos e Legislativo (Conjur) e Conselho Superior de Meio Ambiente (Cosema).

Presidiram a reunião Nilton Torres de Bastos,  diretor do Comitê de Responsabilidade Social (Cores), e Walter Lazzarini, presidente do Cosema.

A reunião conjunta do Consocial, Conjur e Cosema: responsabilidade social. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A reunião conjunta do Consocial, Conjur e Cosema: responsabilidade social. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Jorge Cajazeira, presidente do Comitê Mundial da ISO 26000, apresentou o documento aos presentes. “É a primeira diretriz internacional de responsabilidade social empresarial”, disse. “A norma tem como objetivo oferecer diretrizes para ajudar empresas de diferentes portes na implementação e desenvolvimento de políticas baseadas na sustentabilidade”.

Cajazeira: ISO 26000 ligada aos anseios da sociedade. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Cajazeira: ISO 26000 ligada aos anseios da sociedade. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Segundo Cajazeira, ao todo, a norma contempla sete temas: direitos humanos, práticas de trabalho, meio ambiente, governança organizacional, práticas leais de operação, relacionamento internacional com consumidores, envolvimento e desenvolvimento comunitário.

De acordo com o especialista, a ISO 26000 pode ajudar as empresas a entender o conceito real da sustentabilidade e sua normatização, “que não é burocracia, mas sim estratégia empresarial”.

Cajazeira explicou ainda que a norma surgiu a partir de demandas da sociedade. “Foram cinco anos de trabalho até o lançamento, realizado aqui na Fiesp, em dezembro de 2010”.

O conjunto de diretrizes define o que é sustentabilidade e responsabilidade social, seus objetivos e benefícios para a sociedade.  Atualmente, segundo Cajazeira, a norma internacional já foi adotada por 64 países.

Ana Paula: de olho na sociedade do presente e do futuro. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ana Paula: de olho na sociedade do presente e do futuro. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ana Paula Grether Carvalho, especialista da Indústria do Comitê Mundial da ISO 26000, também apresentou o tema para os membros dos comitês.  “A 26000 significa a incorporação dos anseios da sociedade nas decisões empresariais. Significa também, por parte das empresas, a compreensão das expectativas da sociedade”, disse.

Segundo Ana, responsabilidade social é tornar as empresas responsáveis pelos seus impactos no mundo. “É fundamental compreender o que a comunidade espera das organizações e satisfazer as demandas da sociedade do presente, sem afetar a sociedade do futuro”, concluiu.