Nota Fiscal Eletrônica é um projeto inovador, mas tem riscos, alerta presidente da NF Brasil

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) oferece uma série de benefícios durante as transações comerciais. Entretanto, o sistema pode ocasionar alguns riscos às empresas, como fraudes e corrupção de arquivos. O alerta é do presidente da NF e do Brasil – Grupo TAB, Antonio Gesteira, painelista do seminário Fraudes na Indústria, realizado nesta quarta-feira (31/10) pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O especialista apresentou cases de fraudes sofridas por empresas dos mais variados portes e segmentos. Entre os exemplos, destacou a invasão por um grupo de ciberativistas intitulados Anonymous Brasil, que na terça-feira (30/10) atacaram e deixaram fora do ar páginas de NF-e dos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Bahia, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Goiânia e Minas Gerais.

“A paralisação do sistema de emissão NF-e pode trazer um custo gigantesco, que não dá para mensurar, para as empresas e o Brasil”, avaliou Antonio Gesteira. Segundo ele, as fraudes são aplicadas com mais frequência nos setores mais lucrativos da economia.

Arquivos

Gesteira alertou para a importância de se organizar os arquivos de NF-e emitidos pelas empresas e, também, os documentos fiscais recebidos pelos fornecedores. Os arquivos, segundo o especialista, precisam ser guardados por no mínimo cinco anos, para eventuais conferências do Fisco. “As empresas não se deram conta da importância deste documento”, concluiu.