Evento na Fiesp apresenta planos de investimentos para hospitais universitários

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Em reunião promovida pela Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos e Hospitalares (Abimo), na manhã desta sexta-feira (14/03), foram apresentados os planos de investimentos disponíveis para os hospitais universitários brasileiros.

Na ocasião, o coordenador adjunto do Comitê da Cadeia Produtiva da Bioindústria (Bio Brasil) e presidente executivo da Abimo, Paulo Henrique Fraccaro, destacou a importância da aproximação das indústrias do setor com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). “É um parceiro importante sob o ponto de vista de agregação de tecnologia, sob o ponto de acesso e inclusão de mercado e, sobretudo para nós da indústria, um importante parceiro comercial”.

Também presente no encontro, o deputado federal Newton Lima (SP), que preside a Frente Parlamentar da Defesa da Indústria Nacional, disse que os dois lados dessa equação têm o mesmo objetivo. “Por um lado, a empresa brasileira quer dotar os nossos hospitais com a melhor infraestrutura possível, para que as atividades de ensino, pesquisas e assistência à saúde se desenvolvam nos hospitais universitários federais”, explicou.

“E do outro lado”, acrescentou Lima, “tanto na Fiesp como na Abimo, existe a preocupação cada vez maior de ver os produtos fabricados por seus associados ganharem mercado e competitividade na disputa com os produtos estrangeiros, que essa já não é uma disputa leal, na medida em que não existe isonomia tributária.”

Lima: mercado para os produtos fabricados no Brasil. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Deputado Newton Lima: mercado para os produtos fabricados no Brasil. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Incentivo à inovação

Segundo ele, a troca do ministro da Ciência e Tecnologia, com Clelio Campolina Diniz assumindo a pasta no lugar de Marco Antônio Raupp, não deve alterar a política de incentivos à inovação defendida pelo governo nos últimos anos. “Na próxima quarta-feira (19/03) teremos o primeiro turno da votação PEC que introduz a Inovação na Constituição Brasileira”, disse. “Ou seja, isso modifica a Constituição de modo a agregarmos a pesquisa, as ações de Ciência e Tecnologia e a inovação como uma direção que a Constituição vai dar para todas as leis que virão daí.”

Fazendo um breve retrospecto sobre as origens da Ebserh, o presidente da instituição, José Rubens Rebelatto esclareceu que a empresa, criada ainda no governo Lula, hoje está vinculada ao Ministério da Educação.

Rebelatto: necessidades centralizadas. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

José Rubens Rebelatto: necessidades centralizadas. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

De acordo com o executivo, durante mais de 25 anos o sistema de hospitais universitários brasileiros veio se deteriorando por diversos motivos, entre eles o fato de serem geridos por dois ministérios: o da Saúde e o da Educação. “Não tinha um organismo que centralizasse todas as necessidades e encaminhasse as soluções para esses problemas”, afirmou.

Rebelatto relembrou que os hospitais universitários federais são mantidos integralmente com recursos públicos e declarou: “Temos todo o interesse que esses recursos advindos da tributação e dos impostos da população brasileira se revertam para a indústria brasileira. Sempre foi essa a nossa intenção”.