Maria Luiza Mendonça: ‘É uma honra muito respeitosa fazer parte da homenagem a Nelson Rodrigues’

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Foto: João Caldas

Em "A Falecida", Maria Luiza Mendonça interpreta Zulmira, uma mulher frustrada e sem perspectivas

Começa nesta sexta-feira (06/07), em São Paulo, a temporada da peça ” A Falecida “, de Nelson Rodrigues. A montagem ficará em cartaz até o dia 2 de dezembro no Teatro do Sesi São Paulo, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

O espetáculo faz parte do projeto do Sesi-SP – Nelson Rodrigues 100 Anos, que desde maio conta com debates, leituras dramáticas, espetáculos teatrais inéditos, uma exposição e oficinas sobre a vida e a obra do polêmico autor.

Protagonizada por Maria Luiza Mendonça, que interpreta a personagem Zulmira, a pré-estreia realizada na noite de quinta-feira (05/07) – apenas para convidados – reuniu atores consagrados como Malu Mader, Karen Rodrigues, Fúlvio Stefanini, Gabriela Alves Toulie, entre outros.

Minutos antes de subir ao palco, Maria Luiza falou rapidamente com a reportagem: “Estou com um grande time, e a expectativa para a temporada é a melhor”, afirmou, destacando que fazer parte desta homenagem “é uma honra muito respeitosa”.

“Todo esse movimento do Sesi-SP em relação ao Nelson Rodrigues é muito pontual, porque há um registro disso tudo que vai ficar para sempre, não só as duas montagens [A Falecida e Boca de Ouro], como as leituras dramáticas de todas as peças, uma parceria com o diretor Marco Antonio Braz e toda a equipe”, completou Maria Luiza, que a partir do dia 8 de setembro será substituída por Lucélia Santos até 2 de dezembro.

Maria Luiza reconheceu também a importância do Sesi-SP nas manifestações culturais: “O Sesi-SP é incrível, pois dá enormes condições de se fazer um trabalho artístico que se aprofunda. Além de ser aberto ao público e praticamente de graça, é um acesso à formação de plateia e de profissionais, o que é muito importante.”

Após a pré-estreia que lotou o Teatro do Sesi São Paulo, Nelson Rodrigues Filho, um dos herdeiros da obra do dramaturgo, destacou a qualidade do diretor da peça, Marco Antonio Braz.

“Estamos acompanhando o centenário de Nelson Rodrigues e, aqui em São Paulo, o Braz está dando um belo exemplo do que foi esse autor maravilhoso, esse pai que eu adorava”, declarou Nelson Filho, ao revelar que o roteiro do documentário sobre o autor está sendo desenvolvido. “Digo sempre que o velho clamou sempre por sua alma eterna, e ele conseguiu ser eterno”, finalizou.

Leia mais