Nada vale mais do que uma vida

Nada vale mais do que uma vida 

Paulo Skaf    

Como todo e qualquer brasileiro, fiquei consternado com a tragédia ocorrida em Santa Maria (RS), com a morte de tantos jovens. Ocorre que essa tragédia não é senão o triste resultado de um problema antigo no Brasil: o descaso com a vida humana. São milhares de casas de espetáculos, baladas e danceterias em situação irregular de alvará, de normas relativas a saídas de emergência, treinamento de brigada de incêndio, equipamentos de combate ao fogo e sinalização de fuga.

O problema, porém, é mais amplo e grave: são barcos na Amazônia com superlotação e sem condições adequadas; prédios residenciais e comerciais com fragilidade de estrutura após reformas sem suporte de engenharia; comunidades localizadas em terrenos irregulares, nas encostas de morros, áreas contaminadas ou sob risco de enchentes; bairros e até cidades inteiras anualmente atingidos por inundações à época das chuvas, como se as tempestades fossem raras no Brasil e não algo que ocorre todo ano nos trópicos. Sem falar no trânsito, que é dos que mais matam no mundo…

Por conta desses descuidos, assistimos com frequência a tragédias como a de Santa Maria. Não se pode combater o acaso, mas é dever de todos, em especial das autoridades, prevenir o que pode ser evitado. Quem despreza leis e regras deve ser punido exemplarmente pela Justiça, mas isso não repõe as vidas. Assim, é fundamental trabalhar para evitar cenas como as que acompanhamos desde aquele domingo em Santa Maria, e que não vamos esquecer…

Prefeitos devem determinar rigorosa inspeção nos estabelecimentos que promovem espetáculos e concentração de pessoas. União, estados e municípios, dentro de suas competências, precisam fazer cumprir a legislação de uso e ocupação do solo, edificações e reformas, transportes e tudo o que possa gerar riscos. É obrigação do poder público evitar tragédias previsíveis. O bem mais precioso que temos é a vida. Nada é mais valioso. Por isso, ela deve ser preservada, acima de qualquer outro interesse.