Fiesp comemora aprovação de lei que simplifica atos da União, estados e municípios

Agência Indusnet Fiesp

O Comitê de Desburocratização da Fiesp comemora nesta terça-feira (9/10) a aprovação e publicação da Lei 13.726/18 no Diário Oficial da União que racionaliza e simplifica ações administrativas da União, dos estados e municípios, incorporando algumas propostas apresentadas e defendidas pela Fiesp.

Após três anos de intenso trabalho da Fiesp junto ao Congresso Nacional, além da campanha “Brasil sem burocracia”, a nova determinação garante avanços como a supressão de exigências cujo custo econômico seja desproporcional, a desnecessidade de reconhecimento de firma nas três esferas, até então exigido apenas no federal, estímulo à redução de exigências descabidas ou procedimentos desnecessários em todos os Poderes, visando à eliminação do excesso de burocracia, e o chamado ‘Selo de Desburocratização e Simplificação’, uma garantia de prêmios para aqueles que apresentarem importantes avanços na área.

Na avaliação do diretor titular do Comitê de Desburocratização da Fiesp e vice-presidente do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Abdo Hadade, a notícia é essencial para a construção de um país mais maduro, moderno e desburocratizado. “O crescimento de um Brasil mais forte passa pela eliminação de formalidades desnecessárias ou desproporcionais que engessam a dinâmica das entidades públicas e atrapalham o ambiente de negócios”, afirmou.

Seminário elenca desafios para ampliação das telecomunicações nos municípios

Agência Indusnet Fiesp

Para traçar um cenário com os principais desafios do setor de telecomunicações nos municípios brasileiros, especialistas participaram na manhã desta quarta-feira (22/8) de seminário promovido pelo Departamento de Infraestrutura (Deinfra) da Fiesp, com moderação do diretor de Telecomunicações do Deinfra, Ricardo Dieckmann.

Segundo análise do presidente-executivo da Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), Eduardo Levy, o tráfego móvel de dados no Brasil deverá avançar seis vezes mais entre 2016 e 2021, uma taxa média de crescimento de 41%. Para ele, é preciso que a indústria relacionada ao tema pressione por uma mudança radical a fim de conectar todas as regiões do país. “Em inúmeras cidades lidamos com prefeituras que não compreendem como funciona o sistema de antenas e proíbem instalações”, contou. 

Da Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel), também diretor do Deinfra da Fiesp, Lourenço Pinto reforçou a fala de Levy e colocou como uma grande luta do setor o preconceito de que o uso do celular provoca câncer. “Na lista de risco da Organização Mundial da Saúde (OMS), o celular está muito abaixo do cafezinho”, defendeu.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540246960

Setor enfrenta restrições com legislações municipais que dificultam processos de licenciamento Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Com base na experiência da Prefeitura de São Paulo, o secretário de Inovação e Tecnologia Daniel Annenberg chamou de assustadora a burocracia que cerca as ações também com foco tecnológico na cidade. “Serviços eletrônicos melhoram a qualidade de vida das pessoas e dão transparência aos serviços públicos, além de promover ideias de combate à corrupção que de fato ajudam os cidadãos”, disse.

Annenberg afirmou ainda que o modelo de transição de cidades tradicionais para inteligentes passa por quatros passos essenciais: infraestrutura de conectividade, sensores positivos conectados, centros integrados de operação e, por fim, controle e interfaces de comunicação.

Presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude explicou a evolução da tecnologia de celulares no Brasil e as demandas que ela trouxe para o aumento da infraestrutura. “Temos 17 milhões de celulares 4G, só no DDD 11; 8,6 milhões 3G e 2,1 milhões 2G”, detalhou. Tude apontou como fundamental cobertura de internet, por antenas, principalmente entre a população periférica nas cidades.

O assessor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) Humberto Pontes Silva, por sua vez, caracterizou padrões de consumo em telecomunicações e desenhou um panorama dos serviços atuais, contextualizando aspectos regulatórios e desafios. “A demanda exponencial por tráfego é notória, principalmente com uso intensivo na área serviço de vídeos”, disse. Também participou do evento o diretor do departamento de Banda Larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Artur Coimbra de Oliveira.

Sesi-SP lança Try Rugby-SP em 11 municípios

Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) lançou simultaneamente na sexta-feira (14/9), em 11 municípios paulista, o Try Rugby-SP – projeto inédito do esporte no Brasil realizado em parceria com o British Council e a Premiership Rugby, a liga do esporte na Inglaterra.

Lançamento Try Rugby SP no Sesi de Votorantim. Foto: Julia Moraes

Lançamento Try Rugby SP no Sesi de Votorantim. Foto: Julia Moraes

Participaram do lançamento as seguintes cidades atendidas pelo projeto Try Rugby-SP: Matão, Itapetininga, Rio Claro, São Carlos, Votorantim, Indaiatuba, Tatuí, Piracicaba, Araras, Campinas e Sumaré. A única exceção foi Mogi Guaçu, que fará a apresentação do esporte em nova data.

O diretor do Centro de Atividades do Sesi Piracicaba, Marcelo Astolphi Mazzei, contou que, após conhecer a liga inglesa de rúgbi, a equipe do Sesi elaborou o projeto para trazer o esporte para as crianças da escola com o apoio do Conselho Britânico.

“O objetivo é iniciar uma categoria de base do esporte, com as crianças. Geralmente, o esporte é praticado por jovens e adultos. No Brasil há cerca de 30 mil praticantes de rúgbi”, disse Mazzei ao Jornal de Piracicaba. “Queremos despertar o interesse para conseguir atletas para as Olimpíadas de 2016”, completou.

O Try Rugby-SP atenderá 10 mil crianças no período de dez meses. Durante este tempo, 12 técnicos britânicos selecionados pela Premiership Rugby realizarão ações de desenvolvimento do projeto com crianças e adolescentes de 6 a 17 anos.

Edward Rhodes será o técnico responsável pelo time de Piracicaba durante o projeto e está otimista com a possibilidade de revelações brasileiras no esporte. “É a primeira vez que venho ao Brasil e tinha grande expectativa sobre como as crianças se sentiram em relação ao rúgbi. Percebi como elas ficaram empolgadas e interessadas. Isso me fez acreditar que o projeto tem tudo para dar certo”, afirmou Rhodes ao Jornal de Piracicaba.

;

Sobre o esporte

O rúgbi é o segundo esporte mais praticado no mundo, atrás apenas do futebol, com números estimados de cinco milhões de praticantes profissionais. De acordo com a Confederação Brasileira de Rúgbi (CBRu), atualmente o Brasil conta com cerca de 30 mil praticantes do esporte. Com o projeto, este número será automaticamente elevado em 30%. Para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, será a primeira vez que o esporte será disputado e valerá medalha, não participando apenas para demonstração.

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Sesi-SP, Paulo Skaf, o programa é mais uma oportunidade para que os alunos do Sesi-SP e jovens da comunidade conheçam e vivenciem a modalidade, atualmente praticada por grupos restritos.

“Queremos oferecer novas oportunidades de práticas esportivas aos nossos jovens, pois acreditamos no esporte como ferramenta para a educação. Por meio da democratização do acesso à prática esportiva, temos a oportunidade de revelar novos talentos, contribuir com o fortalecimento do esporte nacional e a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, declarou Skaf, que ressaltou a ideia de intercâmbio cultural entre técnicos e alunos que, além do esporte, aprofundarão os conhecimentos na língua inglesa. “Por isso, o projeto é muito especial. É um grandioso intercâmbio envolvendo 10 mil crianças e jovens. ao mesmo tempo. Isso é inédito no Brasil”, apontou o presidente.

Prefeituras doam terrenos para construção de unidades do Sesi-SP e do Senai-SP

Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540246960

Prefeita de Registro, Sandra Kennedy, e Paulo Skaf: terrenos para CAT do Sesi e escola do Senai. Foto: Junior Ruiz

As prefeituras municipais de Registro, Guarulhos, Alumínio e Rafard formalizaram na tarde desta terça-feira (6), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a doação de cinco terrenos para a construção de duas unidades do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) e duas do Serviço de Aprendizagem Industrial (Senai-SP).

Segundo Paulo Skaf, presidente das entidades, serão aplicados cerca de R$ 150 milhões nessas cidades, entre obras e equipamentos. “Tudo o que está sendo feito neste momento é necessário porque é inconcebível existir região pobre em um estado rico como São Paulo. Os investimentos aplicados pela indústria paulista são um exemplo de descentralização de recursos.”

Para a prefeita Sandra Kennedy Viana, as unidades educacionais da indústria contribuirão para colocar o Vale do Ribeira na agenda do desenvolvimento do estado. “Nosso desafio é transformar nossa região em um polo de educação, apagando a imagem de região carente.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540246960

Prefeito de Guarulhos, Sebastião Alves de Almeida, e Skaf: área abrigará 2ª escola do Senai. Foto: Junior Ruiz

O projeto destinado a Registro prevê a construção de um Centro de Atividades (CAT) do Sesi-SP, que oferecerá aos industriários e à comunidade em geral serviços nas áreas de educação, saúde, nutrição, cultura e esporte e lazer, e de uma escola do Senai-SP, projetada para atender as necessidades de capacitação profissional de região. A primeira estrutura será erguida em terreno de 69,6 mil metros quadrados e a segunda, em área de 27,1 mil metros quadrados.

Projeto customizado

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540246960

Skaf e o prefeito de Alumínio, Jacob Sauda: espaço para nova escola do Sesi. Foto: Junior Ruiz

Em Guarulhos, o terreno de 27,2 mil metros quadrados abrigará a segunda unidade do Senai-SP no município. A nova escola de formação profissional terá entre seis e oito mil metros quadrados e resultará de um projeto customizado, com oficinas e laboratórios projetados sob medida para suprir demandas regionais de capacitação profissional.

O prefeito municipal Sebastião Alves de Almeida destacou que a escola contribuirá para o desenvolvimento regional. “Paulo Skaf colocou a educação como prioridade em sua gestão. Estamos muito contentes de fazer parte dessa agenda.”

Educação de excelência

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540246960

Skaf e o prefeito de Rafard, Marcio Minamioka: construção do Centro de Treinamento do Senai. Foto: Junior Ruiz

O município de Alumínio será contemplado com nova unidade do Sesi-SP, que oferecerá ensino fundamental em tempo integral, ensino médio e a possibilidade de articulação entre a educação básica e a educação profissional, a partir do segundo ano do ensino médio.

A licitação para a escolha da construtora responsável pela obra deverá ocorrer em março do próximo ano, prazo que a prefeitura local acredita ser suficiente para a conclusão das obras de infraestrutura, como água, esgoto e galerias pluviais. “O investimento em educação é o caminho para que o país cresça”, afirmou o prefeito Jacob Sauda. “Estamos muito agradecidos de termos a educação de excelência do Sesi-SP.”

A doação da área de Rafard consolidou a parceria entre a prefeitura e o Senai-SP iniciada há mais de 15 anos com a construção do Centro de Treinamento Senai Celso Charuri. “A doação regularizou a posse do terreno e estreitou ainda mais nossos laços com as entidades da indústria”, reiterou o prefeito Marcio Minamioka.

Prefeitos de três municípios doam terrenos para novas unidades do Sesi-SP e do Senai-SP

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540246960

Da esq. p/a dir.: Os prefeitos Antonio Hélio Nicolai (Itapira) e Ivana Camarinha (Pederneiras), o presidente da Fiesp/Sesi-SP/Senai-SP, Paulo Skaf, e o prefeito José Pavan Júnior (Paulínia), em encontro na sede da federação



O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, recebeu nesta quarta-feira (6), na sede da entidade, três prefeitos municipais para a assinatura de escrituras de doação de terrenos destinados à construção e ampliação de unidades educacionais do Sesi-SP e do Senai-SP. As cidades de Paulínia, Pederneiras e Itapira terão investimentos das entidades no estado para os ensinos básico e profissionalizante.

O prefeito de Paulínia, José Pavan Júnior, formalizou a entrega de área com 32 mil metros quadrados para a construção da nova escola Senai-SP. A unidade substituirá o atual Centro de Treinamento de Formação Profissional, instalado no bairro Betel.

Atualmente, o Centro de Treinamento contabiliza cerca de 4 mil matrículas por ano em seus diferentes programas de formação profissional, sendo 80% delas para atendimento das empresas da região, especialmente as que integram o polo petroquímico.

O novo espaço educacional oferecerá dois cursos técnicos na área de química e instrumentação e três cursos de aprendizagem industrial, além de programas de formação continuada em saúde e segurança do trabalho.

“Esta escola vai representar muito para Paulínia e região. Vai nos ajudar bastante, e principalmente às pessoas que mais precisam deste incentivo na nossa cidade, para se prepararem para o mercado de trabalho nas empresas locais”, ressaltou o prefeito José Pavan Júnior.

Esporte integrado

Já em Pederneiras, a área doada pela prefeita Ivana Maria Bertolini Camarinha será utilizada para a construção de quadra esportiva coberta e vestiários, que complementarão a novas instalações da escola Sesi-SP, em operação desde o início deste ano.

A unidade educacional foi concebida com um prédio principal onde foram instaladas 12 salas de aula, biblioteca atualizada, laboratório de informática, duas áreas de convivência, uma sala de ciência e tecnologia, uma sala multidisciplinar e um prédio anexo com outras seis salas de aula. A escola atende 646 alunos do Ensino Fundamental, 32 do Ensino Médio e 250 do Ensino de Jovens e Adultos, totalizando 936 matrículas.

A prefeita da cidade enfatizou sua satisfação em receber o apoio das entidades da indústria paulista. “Nossa gestão valoriza muito a educação, que é o único meio de transformação da sociedade. Reconhecemos a qualidade do Sesi-SP e queremos também ampliar o Senai-SP para continuar a oferecer nossa força de trabalho”, afirmou Ivana Camarinha.

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, ainda ofertou à prefeita a implantação do Sistema Sesi de Ensino nas escolas do município. “O Sistema Sesi é de excelente qualidade, e com ele podemos incrementar o ensino de Pederneiras”, sublinhou Skaf.

Mais laboratórios

Na cidade de Itapira, o terreno cedido pelo prefeito Antonio Hélio Nicolai abrigará uma nova escola do Sesi-SP, substituindo as instalações existentes. A unidade, cujas obras estão previstas para concluir em 2014, ganhará 12 salas de aula.

Além disso, serão construídos laboratórios de informática, de ciência e tecnologia, química e biologia, física, e também duas áreas de convivência e biblioteca. Na atual estrutura, são atendidos cerca de 500 estudantes dos Ensinos Fundamental e Médio.

“Agradeço ao Paulo Skaf pelo empenho em realizar esta obra em Itapira. Esperamos que além desta escola possa vir também uma posterior ampliação da área”, concluiu o prefeito Antonio Hélio Nicolai.