Sesi-SP vence Volero Zurich e conquista o terceiro lugar no Mundial de Clubes

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de Zurique (Suiça)

Das seis competições que disputou na temporada, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) chegou à final de cinco. No Mundial, a derrota na semifinal contra o Dínamo Kazan impediu os 100% de aproveitamento, mas o time se recuperou e conquistou lugar no pódio, ao derrotar neste domingo (11/05), o Volero Zurich por 3 sets a 2 (25/18, 20/25, 25/21, 23/25 e 13/15), na Arena Saalsporthalle, em Zurique.

Jogadoras comemoram temporada, a melhor da história do Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

A medalha de bronze fechou a melhor temporada de uma equipe feminina do Sesi-SP desde que o projeto foi implementado, em 2011. Foram seis competições, cinco finais e dois títulos: os da Copa São Paulo e do Sul-Americano.

E sabendo da responsabilidade de terminar por cima, as Meninas da Vila Leopoldina comandaram as ações no jogo desde o início, bem diferente da partida da estreia na competição, em que o Sesi-SP foi derrotado por 3 sets a 2.

O SESI-SP começou o jogo sem novidades na formação titular: a central Fabiana, a levantadora Dani Lins, a ponteira Suelle, a oposta Ivna, a ponteira Dayse e a central Bia, além da libero Suelen.

O jogo

O primeiro set foi todo do Sesi-SP. Com o passe na mão, Dani Lins explorou bem suas opções de ataque, alternando as jogadas e diminuindo as chances de defesa do time suíço. Ivna voltou a jogar bem e virar as bolas, mas foi Fabiana que brilhou com sete pontos. Com a  oposta ucraniana Olesia Rykhliuk bem marcada, só restava às adversárias utilizar a ponteira cubana Kenia Carcaces, que marcou cinco vezes. Mas não foi suficiente. No final, com ataque de Bia, o Sesi-SP venceu por 25/18 em 25 minutos e 1 set  a 0 na disputa pelo bronze.

O segundo set seguiu o ritmo do primeiro. Sesi-SP liderando e o Volero correndo atrás, mas dessa vez bem mais próximas no placar. O time brasileiro não conseguiu abrir vantagem tão expressiva. Com a proximidade, as anfitriãs encostaram até passar na frente com 20/19. A marcação sobre Rykhliuk não funcionou como no primeiro set e a gigante cresceu, marcando cinco pontos. Ivna, com seis, foi quem mais pontuou pelo Sesi-SP, mas o time ofereceu sete pontos de erros para as rivais. O time perdeu o controle do jogo e viu o time suíço fechar a etapa com a própria Rykhliuk em 25/20.

O terceiro set foi o mais equilibrado de todos. Sesi-SP e Volero se revezavam na frente do marcador, até o ataque certeiro de Bia pelo meio, que deu a vantagem por 11/10. A mesma Bia foi para o saque e o time deslanchou na etapa, abrindo 14/10 e forçando o pedido de tempo por Baltic Dragutin, técnico do Volero. O time suíço se reencontrou no jogo e diminuiu a diferença para um ponto (18/17) e foi Talmo quem pediu tempo. As instruções deram certo e as brasileiras abriram 22/18, após ataque para fora de Nadja Ninkovic. Aí foi o sérvio Dragutin que parou o jogo. Na volta, Dayse explorou o bloqueio, fazendo 22/18. Ivna, em mais um bloqueio, 23/18. Com 24/18, o Volero reagiu, principalmente com Carcaces no fundo, chegando a 24/21. Talmo parou o jogo para esfriar as rivais. Na volta, Bia soltou o braço no meio e marcou 25/21, fechando o terceiro set.

Com o mesmo equilíbrio dos demais sets o quarto foi ainda mais emocionante. O time de Talmo liderou o placar na maioria do tempo e esteve perto de fechar o jogo, mas um erro crucial mudou tudo. Quando estava 23/22 para o Sesi-SP, ataque de Ivna bateu no bloqueio suíço e foi para fora. Mas o árbitro de rede ignorou a marcação da auxiliar de linha e deu fora, colocando o time da casa no jogo, o que animou a equipe de casa, que virou para 25/23 e forçou o quinto set.

E no quinto set que a expressão “time de guerreiras” se fez valer. Com a marcação errada que provocou a etapa entalada na garganta, as Meninas da Vila jogaram com a última gota de suor para vencer. Ficaram atrás no marcador em 11/09, mas com calma, controle, talento e garra, buscaram e venceram por 15/13, conquistando o terceiro lugar no seu primeiro Mundial de Clubes.

Sesi-SP luta, mas cai diante do Dínamo na semifinal do Mundial de clubes

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de Zurique (Suiça)

Foi uma grande luta, mas no final ganhou aquele que soube controlar o momento decisivo. Após quatro sets, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada na noite deste sábado (10/05), no horário suíço, pelo Dínamo Kazan. A equipe russa venceu por 3 sets a 1 (25/23, 27/29, 25/21 e 25/14) na semifinal do Mundial de Clubes.

Com o resultado, o Sesi-SP faz a disputa da medalha de bronze contra o Volero Zurich, que perdeu a outra semifinal para o Molico/Osasco. Os jogos estão programados para este domingo (11/05), na Arena Saalsporthalle, em Zurique.

O jogo foi bastante disputado nos três parciais iniciais, em que o Sesi-SP brigou ponto a ponto pela vitória. No quarto set, o time ficou sempre atrás no marcador, não conseguindo recuperar a grande vantagem aberta pelas rivais, que desta vez jogaram com o time completo.

O Sesi-SP começou o jogo com a central Fabiana, a levantadora Dani Lins, a ponteira Suelle, a central Bia, a ponteira Dayse, a oposta Ivna e a líbero Suelen.

A maior pontuadora foi a russa Gamova, com incríveis 34 pontos.


O jogo

Dessa vez sem o nervosismo dos dois primeiro jogos, o Sesi-SP mostrou que iria disputar ponto a ponto. A etapa foi equilibrada e as brasileiras marcaram bem os ataques russos de Gamova e Larson, porém tinha dificuldades para superar o bloqueio do outro lado.

As russas mantiveram a liderança no placar durante todo o set, conseguindo chegar na frente nos dois tempos técnicos.  A partir do segundo tempo técnico, o jogo do Sesi-SP passou a funcionar melhor e a diferença caiu. Dayse, com dois bons ataques forçou o pedido de tempo por parte de Rishat Gilyazutdinov.

Deu certo e Gamova, artilheira do set com sete pontos, abriu 22/18. Mas o bloqueio parou a gigante russa e Suelle respondeu diminuindo para 22/20. A jogada russa ficou clara: bola para Gamova. Ficou mais fácil marcar e Ivna, depois Fabiana, empataram a partida. O bloqueio das europeias então apareceu e com ataque para fora de Ivna, às adversárias abriram 24/22. Ivna chegou a diminuir, mas com ataque de Antonella pela ponta, o Dínamo fechou em 25/23 e
levou o primeiro set.

No segundo set o equilíbrio se manteve, mas com o Dínamo tomando a dianteira do placar no início. Porém, as Meninas da Vila brigavam a cada ponto até assumir a liderança pela primeira vez em 12/11, com Suelle atacando pela ponta. A camisa 4 também bloqueava as rivais de um lado, enquanto Ivna fazia seu melhor jogo na competição pelo outro. Dayse e Suelen seguravam a defesa e com saque para fora de Larson, fechou o segundo tempo técnico em 16/13 para o time brasileiro.

Na volta do tempo, o técnico russo acertou a equipe, que com Gamova vindo do fundo marcou duas vezes, diminuindo para um a diferença em 17/16. Em ataque de segunda de Dani para fora, as russas empataram e Talmo pediu tempo. Deu certo. Um saque para fora do Dínamo deu a vantagem para o Sesi-SP, que com Dayse abriu 19/17.

As russas empataram de novo e quando parecia que ia fechar para o Sesi-SP – que abriu 24/22, as rivais chegaram de novo. E no sétimo setpoint, erro de Startseva na rede e o Sesi-SP empatou a partida em 11, fechando em 29/27, em 33 minutos.

O terceiro set foi mais uma vez totalmente equilibrado. Sesi-SP e Dínamo se alternavam na liderança do placar. Dani usava Ivna, melhor do time em quadra, como sua bola de segurança para atacar a garantir a disputa. Mas foi Fabiana, em bola espetacular pelo meio que virou o jogo para o time em 12/11, após um milagre da defesa adversária que levantou o ginásio. A virada forçou o pedido de tempo dos russos.

Rishat acertou seu time que voltou melhor e conseguiu o segundo tempo técnico, além de abrir vantagem de quatro pontos, a maior do set (17/13). Dani usando Fabiana conseguiu diminuir e rodar a equipe, desmontando a rede adversária. Mas na volta Larson explorou o bloqueio e abriu 19/15. Mesma arma usada por Ivna para diminuir a diferença. A diferença de quatro pontos, porém, era difícil de ser alcançada no set. Com 19/23, Talmo realizou a inversão com Carol e Mari nos lugares de Ivna e Dani, mas quem marcou foi o Dínamo com Irina. Com dois ataques pelo meio, Fabiana ainda tentou empatar a partida, mas Regina Moroz, meio sem querer, marcou e fechou o set em 25/21 em 27 minutos.

O quarto set não começou da forma ideal para o Sesi-SP. O Dínamo conseguia marcar bem Ivna e Fabiana, além de errar muito pouco quando atacava, abrindo confortável vantagem de 10/06. Talmo trocou Suelle por Pri Daroit, mas o time começou a errar mais e ceder pontos fáceis. Gamova abusava das largadas de bola e dos bloqueios eficazes.

A vantagem rival foi aumentando e tudo dava certo para as russas, enquanto o Sesi-SP tinha dificuldades para contra-atacar. Assim, as russas apenas administraram o resultado até fechar em 25/14 e garantir a vaga na final.

Sesi-SP vence time argelino e garante vaga na semifinal do Mundial de Clubes na Suíça

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Sem o nervosismo da estreia, o time feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu com autoridade o GS Petroliers, da Argélia, por 3 sets a 0 (25/18, 25/12 e 25/16) em jogo realizado na tarde desta sexta-feira (09/05), em Zurique (Suíça), pela segunda rodada do Mundial de Clubes.

Com o resultado, a equipe do técnico Talmo de Oliveira garante vaga na fase semifinal. O adversário da partida de sábado (10/05) na Arena Saalsporthalle sai do confronto entre as brasileiras do Molico/Osasco e as russas do Dínamo Kazan. O vencedor será o adversário de Fabiana e cia.

Com uma alteração no time titular, o Sesi-SP iniciou o jogo com a central Fabiana, a levantadora Dani Lins, a ponteira Suelle, a central Barbara (no lugar de Bia, poupada), a ponteira Dayse, a oposta Ivna e Suelen (líbero). A equipe africana começou com Mezemate, Khamtache, Bensalem, Mazori, Boukhima e Oudni, com a líbero Sallima. Suelle foi a maior pontuadora do jogo, com 15 acertos, seguida de Ivna, com 14.

Suelle (camisa 4) foi a maior pontuadora da partida, com 15 acertos. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


O jogo

Mesmo favorito, o Sesi-SP não teve um bom começo do primeiro set. O nervosismo da estreia se repetiu e quem abriu o marcador foi o GSP, através de Mezemate, explorando o bloqueio de Barbara e Dani Lins. Mas logo a central Barbara empatou a partida. O Sesi-SP só passou à frente no placar com bloqueio de Dani Lins fazendo 05/04, mas as adversárias, com a ponteira Bensalem Zohra, viraram de novo. O nervosismo da primeira partida, em que foi derrotado pelo Volero Zurich, voltou a aparecer e custou dois pontos ao time de Talmo, que chegou ao primeiro tempo técnico em desvantagem: 06/08.

Com o tempo, o time foi se recuperando na partida. Ivna começou a virar as bolas e a superioridade técnica foi se tornando evidente. Em pouco tempo, Fabiana, Barbara e Ivna, maior pontuadora da etapa com seis, viraram a partida e o Sesi-SP só precisou administrar a vantagem até fechar em 25/18, em 22 minutos.

O segundo set começou mais calmo. Acostumadas com o jogo e sem nervosismo, as Meninas da Vila Leopoldina logo abriram 04/01 e continuaram pontuando. Dani, bastante inspirada, usava e abusava das atacantes, confundindo a defesa argelina até a equipe chegar ao primeiro tempo técnico com 08/05.

O ritmo passou a ser mais tranquilo e o Sesi-SP passou a jogar com mais segurança a cada ponto conquistado, chegando a abrir 20/10. Fabiana praticamente subia sem marcação. Suelle marcou seis vezes, seguida por Ivna, com cinco pontos. Talmo colocou Neneca e Carol em quadra e a história seguia sem alterações até o final em apenas 19 minutos, fechando em 25/12.

No terceiro set, Talmo escalou Pri Daroit no lugar de Dayse e o início não foi dos melhores, com o GSP abrindo dois pontos de vantagem. Mas com um ataque pelo meio, Fabiana deixou tudo igual em 03/03, acertando o time. Não demorou muito para o Sesi-SP assumir a dianteira do jogo com autoridade. Enquanto as africanas cometiam muitos erros, o time brasileiro fazia seu papel com segurança e aproveitando a enorme superioridade técnica.

No final, ataque para fora das argelinas, Sesi-SP 25/16 GSP, 3 sets a 0 e vaga na semifinal assegurada.