Sesi-SP perde para Volero Zurich na estreia do Mundial de Clubes feminino

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, da Suíça

A equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) bem que tentou, mas no final prevaleceu a força das anfitriãs na Arena Saalsporthalle, em Zurique na Suíça. Na primeira partida das equipes no Mundial de Clubes, na noite desta quarta-feira (07/05), no horário local, o Volero Zurich venceu por 3 sets a 2 (25/12, 25/18, 16/25, 15/25 e 15/10) em 1h50 minutos de jogo.

A maior pontuadora da partida foi a ucraniana Olesia Rykhliuk, com 25 pontos, dois de bloqueio. A central do Sesi-SP Fabiana marcou 14.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950441

Ucraniana Olesia Rykhliuk foi o destaque, com 25 pontos. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Agora, o Sesi-SP precisa vencer o campeão africano, o Algeria GSP, na sexta-feira (09/05) às 17h30 do horário local (12h30 de Brasília) para ter chances de avançar à fase semifinal da competição, de acordo com o resultado entre a equipe suíça e argelina, em confronto marcado para a véspera (08/05).

Na análise do técnico Talmo de Oliveira, nos dois sets iniciais faltou achar um tempo melhor de marcação do ataque adversário. “Por elas estarem rodando bastante bola, elas iam para saque e tinham mais liberdade para forçar. No terceiro e quarto sets, a partir do momento em que colocamos o time delas em dificuldades, dominamos o jogo. E no tie-break, começamos abaixo. Depois encostamos no jogo e não sustentamos isso. E por não sustentar, elas abriram e conseguiram vencer.”

O jogo

O primeiro set não foi dos mais animadores. Sentindo a estreia, o time cedeu pontos fáceis para o Volero. Empurrado pela torcida que compareceu em bom número à Arena Saalsporthalle, a levantadora Courtney Thompson soube utilizar muito bem a oposta Olesia Rykhliuk (1,94m), que marcou seis vezes para abrir confortável vantagem durante toda a etapa, aproveitando-se também de sete erros do time da Vila Leopoldina. As meninas do Sesi-SP ainda tentaram recuperar o placar, mas a distância era grande e a vitória final por 25/12, em 24 minutos, foi merecida.

No segundo set, a equipe de Talmo entrou melhor e começou abrindo o marcador com a ponteira Dayse, chegando ao primeiro tempo técnico em 08/06. Mas a vantagem durou pouco e, embora o equilíbrio tenha sido maior, os erros se repetiram em grande quantidade – foram nove, mais do que no primeiro set – enquanto o Volero aproveitava para abrir gordura fechando o segundo tempo técnico em 16/12.

Talmo escalou a ponteira Pri Daroit no lugar de Suelle e realizou a inversão de 5-1 com Mari Cassemiro e Carol nos lugares da levantadora Dani Lins e da oposta Ivna. Mas os erros continuaram e até a central Fabiana sacou para fora. Os times continuaram no mesmo ritmo até o Volero fechar o set em 25/18, em 23 minutos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950441

Pri Daroit, Bia e Mari comemoram. Equipe dominou o terceiro e quarto sets. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Um outro Sesi-SP entrou no terceiro set. Literalmente, pois Talmo colocou Pri Daroit e Mari nos lugares de Dayse e Ivna. Com as alterações, a equipe decolou e jogou com mais força de ataque. Os erros diminuíram consideravelmente e as comandadas por Talmo tiveram o controle da etapa durante todo o tempo. Com o aumento da confiança, apareceu o jogo de Fabiana e Dani Lins, que começaram a desequilibrar para o Sesi-SP. Até a ucraniana Olesia passou a errar, atacando para fora. Enquanto isso, Fabiana ia colecionando pontos de bloqueio. O time foi acumulando gordura com os bons ataques de Mari e Pri, além de Fabiana, sempre fazendo a diferença. No final do set, 25/16 em 22 minutos.

No quarto set, o domínio continuou do lado da equipe brasileira. Com Mari e Bia em grande fase na rede, os bloqueios e ataques funcionaram e o time sempre liderou o placar com boa folga. O Volero seguia apostando suas fichas em Olesia, mas a equipe errava demais e dava pontos para o Sesi-SP. No total do set foram 10 erros suíços e apenas um brasileiro. Com as gorduras adquiridas e jogando com calma, o Sesi-SP fechou o set em 25/15 em 24 minutos.

No quinto set o time da casa se achou e começou melhor abrindo 03/01. O Sesi-SP chegou a responder, mas voltou a errar como no início da partida e deu pontos preciosos para as rivais. Foi uma disputa ponto a ponto, mas o bloqueio suíço esteve melhor e foi mais decisivo. A ponteira cubana Kenia Carcaces e a oposta sérvia Mira Golubovic fecharam Dayse e Pri, e até a ucraniana Olesia voltou atacar na ponta para encerrar a partida em 15/10.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950441

Equipe antes da estreia. Sesi-SP disputa seu primeiro Mundial. Foto: Lucas Dantas/Fiesp