Nota oficial: presidente Dilma acerta em vetar pontos na MP dos Portos, afirma presidente da Fiesp e do Ciesp

Nota oficial

A Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) apoiam a decisão corajosa da presidente Dilma Rousseff em vetar os pontos que desvirtuavam o melhor ambiente competitivo instituído pela MP 595/2012.

“Os vetos são positivos, porque reestabelecem os princípios originais da MP. Isso garante o choque de competição e ampliação dos serviços portuários que o Brasil necessita”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

Segundo Skaf, o veto para a prorrogação de contratos foi fundamental. “O Brasil precisa de leilões por menor tarifa, que foram instituídos pela medida, e para isso precisamos o mais rápido possível de licitação nos terminais de contratos vencidos”, enfatiza.

Para as entidades, esse é o primeiro passo para ampliar a oferta de operadores, promovendo maior concorrência e a consequente redução de tarifas portuárias. “Com investimentos previstos na ordem de 50 bilhões de reais para os próximos cinco anos é possível dobrar a capacidade portuária brasileira. Com isso, também duplica a oportunidade de emprego. É um ganho para os 200 milhões de brasileiros”, ressalta Skaf.

Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)
Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) 

Nota oficial: MP dos Portos é ‘choque de competição’, comentam Fiesp e Ciesp

Nota oficial

Para a Fiesp e o Ciesp, a aprovação da MP dos Portos pelo Congresso, encerrada na noite desta quinta-feira (16/05), é “fundamental” para a competitividade do Brasil.

“A medida atende as reivindicações mais importantes dos setores produtivos: permite aumentar a oferta de operadores, promovendo maior concorrência e a consequente redução de custos portuários”, disse Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

“A presidente [Dilma Rousseff] pode restabelecer, com vetos, o espírito original da medida provisória, criando as condições para a imediata abertura de licitações dos mais de 50 contratos vencidos usando o critério de menor tarifa combinado ao de maior volume de carga”, disse ele. “O Brasil está pedindo um choque de competição.”


Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)

Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)

‘Com MP dos Portos teremos terminais mais eficientes e redução de custos’, diz Skaf

Alice Assunção, Agencia Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540281632

Paulo Skaf: com maior concorrência dos portos, teremos terminais mais eficientes e redução do custo. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A expectativa para aprovação da Medida Provisória 595, a MP dos Portos, é positiva, afirmou na segunda-feira (13/05), no WTC São Paulo, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

“Não é possível que um projeto que seja do interesse do Brasil não seja aprovado. Minha confiança é de que isso acontecerá nesta semana, sim”, disse Skaf em entrevista coletiva durante o 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha 2013.

A MP 595 institui novo marco regulatório para o setor portuário. Governo e sua base parlamentar têm até quarta-feira (15/05) para colocar a medida em votação na Câmara e no Senado.

“O governo está defendendo os interesses do Brasil. Nesse momento, ele defende a maior concorrência dos portos. Com ela, teremos terminais mais eficientes e redução de custos. Isso é a busca da competitividade”, explicou o presidente da Fiesp.

Negócios Brasil-Alemanha

Ao menos 2.000 empresários participam do 31º Encontro Brasil-Alemanha, que prossegue até terça-feira (14/05) na capital paulista, e esperam por oportunidades de negócios e investimentos de ambos os países.

Em seu discurso de abertura, o presidente da Federação das Indústrias da Alemanha (BDI), Ulrich Grillo, mencionou interesse de empresários alemães em investir em infraestrutura no Brasil (leia mais aqui).

Segundo Grillo, a Copa do Mundo em 2014 representa o primeiro desafio logístico para o Brasil. “Certamente há muito o que fazer. O governo brasileiro está atacando esse tema de forma intensa, mas [infraestrutura de transportes] é algo que sabemos fazer e gostaríamos de aplicar também ao Brasil”, disse.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, recebeu bem as intenções de investimento por parte do empresariado alemão nesta área. “É muito bom. O Brasil tem grande necessidade de investimentos em infraestrutura. A participação dos alemães aqui no Brasil não é novidade e coincide com o momento no qual o Brasil vai investir fortemente na infraestrutura”, afirmou Skaf.

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, também se manifestou favorável ao investimento alemão, mas ponderou que leva tempo para que esses investimentos gerem retorno para o país.

“Precisamos de duas coisas: recursos financeiros e empresas capacitadas. O arcabouço ideal é as empresas alemãs e brasileiras se unirem para fazer esses investimentos”, afirmou Robson de Andrade. “Não vamos resolver esses problemas num curto espaço de tempo. Realmente vai demorar”, concluiu.

Fiesp faz campanha na TV pela aprovação da MP dos Portos

Agência Indusnet Fiesp 

Em mais uma iniciativa para sensibilizar os parlamentares no Congresso, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) lançou na terça-feira (07/05) mais uma etapa da campanha pela aprovação da Medida Provisória 595, a MP dos Portos.

Os anúncios na TV têm duas versões – de 60 e 90 segundos. Em um helicóptero, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, mostra alguns dos problemas gerados pela ineficiência do atual modelo que regula os terminais portuários. Entre eles, os milhares de contêineres esperando embarque; os comboios quilométricos de caminhões parados nas estradas antes de descarregar mercadorias; e as dezenas de navios nas imediações do porto de Santos aguardando a vez de atracar.

“Tudo isso custa caro para o Brasil. Por exemplo: uma geladeira produzida aqui custa R$ 150 para ser exportada. E nos países competitivos, apenas R$ 50 – três vezes menos. Está na hora de participarmos mais das coisas do nosso país, criticando o que está errado e apoiando o que está certo”, diz Skaf.

“Senhores parlamentares, a Medida Provisória 595, da presidente Dilma, se aprovada, modernizará os portos brasileiros, aumentando sua eficiência, baixando custos através de maior concorrência, estimulando bilhões de reais em investimentos, beneficiando assim, a todos os brasileiros. Senhores parlamentares, o Brasil conta com o seu voto”, conclui o presidente da Fiesp.

Veja o anúncio  de 60 segundos 


Setor portuário carece de investimentos privados, afirma diretor da Antaq

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540281632

Fernando Fonseca: ' MP 595 visa destravar os investimentos no sistema portuário.' Foto: Everton Amaro/Fiesp

O setor portuário sofre com a falta de investimentos portuários. A opinião é de Fernando Fonseca, diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

Fonseca participou do 8º Encontro de Logística e Transporte da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Durante o painel  “Oportunidades de Investimento no Brasil”, o diretor da Antaq abordou as principais oportunidades de investimentos nos portos do país.

“Com o novo marco regulatório, que deve virar lei em breve, o setor portuário é ainda mais atraente ao capital privado, mas ainda carecemos de investimentos. Os portos movimentaram 904 milhões de toneladas em 2012. Há muitas oportunidades de investimentos”, acrescentou.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1540281632

Marcelo Bruto: '2013 é o ano de licitações de obras públicas.' Foto: Everton Amaro/Fiesp

Segundo Fonseca, com a Medida Provisória 595, a MP dos Portos, o objetivo é eliminar as preocupações do setor privado. “Há muitos benefícios para o setor privado. A MP 595 visa destravar os investimentos no sistema portuário. Até o fim deste ano serão feitas 160 licitações no setor”, garantiu.

Marcelo Bruto, diretor de Logística da Secretaria do Programa de Aceleração do Crescimento do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, também esteve presente ao encontro e falou sobre os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em logística.

“O PAC se propôs a ser um conjunto de medidas de estímulos ao crescimento privado, com mudanças tributárias e de financiamento. E a melhorar as condições institucionais e dos processos de licitação para o investimento público e das etapas de implantação de uma obra”, disse.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540281632

Fernando Ferreira. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Na área de logística, temos 100 bilhões de investimentos até 2014, com bastante foco em rodovias, com 50% desse valor”, disse. “Se 2012 foi o ano da manutenção rodoviária, 2013 é o ano de licitações de obras públicas, de duplicações de rodovias, principalmente”.

“Temos obras rodoviárias acontecendo em diversos pontos do país”, encerrou Bruto.

O encontro foi presidido por Fernando Xavier Ferreira, vice-presidente do Conselho Superior de Infraestrutura da Fiesp.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540281632


Paulo Skaf: aprovar MP dos Portos é ponto concreto para resolver parcialmente problema da competitividade brasileira

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

A aprovação da Medida Provisória 595, a MP dos Portos, é o principal item desta semana na agenda da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), disse o presidente das entidades, Paulo Skaf, na abertura do 8º Encontro de Logística e Transportes, evento aberto na manhã desta segunda-feira (06/05), em São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540281632

Skaf: recuperação da competitividade passa por resistir a pressões de interesses muitos fortes e que não coincidem com os interesses maiores do Brasil. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Temos até semana que vem para aprovar a MP dos Portos, buscando mais eficiência, buscando menores custos através da concorrência”, resumiu Skaf.

“É necessário que haja sensibilidade de nossos representantes na Câmara e no Senado e aprovem a MP dos Portos”, acrescentou.

O presidente da Fiesp e do Ciesp disse que as entidades não têm desconforto de criticar governos quando necessário, mas tem satisfação de elogiar quando merecem. “Essa MP dos Portos do jeito que encaminhado foi um projeto bom para o Brasil.”

“Ela só não vai resolver o problema da competitividade brasileira, mas é um ponto concreto para que o problema seja parcialmente resolvido.”

Skaf disse que é preciso quebrar paradigmas. “A recuperação da competitividade passa por resistir a pressões de interesses muitos fortes e que não coincidem com os interesses maiores do Brasil. Respeitamos mais do que ninguém as empresas, a iniciativa privada, o lucro. Isso são as bandeiras que defendemos. Mas tudo tem parâmetros, tudo tem limites.”

“Não é possível em concessões públicas levantar bandeira que é preciso ser caro para ser bom. Defendemos que todas as concessões sejam pelo menor preço. Com exigência de investimentos, de qualidade, mas ao menor preço.”, concluiu o presidente da Fiesp e do Ciesp.

Moreira Franco

Skaf disse ainda ser “corretíssimo” o discurso feito minutos antes pelo ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wellington Moreira Franco, sobre a importância de tirar os planos do papel.

“No Brasil, hoje, a única coisa que não falta é dinheiro”, disse Skaf. “O que falta mesmo é acelerar, é gestão, é enfrentamento, é coragem, é quebra de paradigma”, afirmou, acrescentando que, em nome da perfeição e da correção, há uma tendência em burocratizar cada vez mais os processos em projetos importantes para desenvolver o país. “Nós temos – como sociedade – que exigir que as coisas sejam feitas corretas, mas que sejam feitas.”

“Estaremos juntos para que as coisas saiam do papel”, disse Skaf a Moreira Franco.

Skaf aproveitou para cumprimentar o presidente da Empresa Brasileira de Logística, criada em agosto de 2012. “A EPL é um projeto que sempre foi defendido pela Fiesp [no sentido] de organizar os modais de forma ordenada, inteligente e correta. Queria cumprimentar a presidente Dilma e por colocar a pessoa certa para conduzir, que tem toda a nossa consideração e nosso respeito.”

Dilma

Na sexta-feira (03/05), em discurso durante a feira Expozebu, em Uberaba (MG), a presidente Dilma Rousseff pediu que o Congresso Nacional aprove a MP dos Portos como meio de melhorar a infraestrutura logística do país.

“Eu quero mais uma vez reiterar a importância da medida provisória dos portos, que está em processo de votação no Congresso”, afirmou Dilma. “O governo federal considera que a questão da MP dos Portos é crucial para a competitividade do país diante do resto do mundo”.

“Tenho certeza que o Congresso Brasileiro será sensível mais uma vez, como vem sendo, e irá assegurar o marco regulatório que abre os portos do Brasil ao setor privado, garantindo estrutura portuária”, completou Dilma.

A MP dos Portos tramita desde dezembro do ano passado.


 

Nota oficial: para a Fiesp e o Ciesp, 1º de maio é Dia do Trabalho – e da produção também

Nota oficial

A indústria brasileira chega a este 1º de Maio lutando pela igualdade de condições para concorrer com a produção dos demais países. As empresas brasileiras arcam com custos exorbitantes: excesso de tributação, burocracia, alto custo do capital e infraestrutura deficiente que, somados, impõem um custo adicional de 34% pra se produzir no Brasil. A concorrência com importados prejudica o parque nacional e exporta milhares de empregos, que deveriam ficar aqui.

“A indústria gera os melhores empregos, tem a maior participação de trabalho formal no total das vagas do país e é o setor que melhor recompensa, com aumentos salariais, o avanço da escolaridade do trabalhador”, diz o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf. “Produção e emprego caminham de mãos dadas, e nossa luta é a mesma, por um Brasil mais competitivo, mais justo e com oportunidades iguais para todos”.

O governo tem avançado na agenda da competitividade: apesar do recente aumento, a Selic se encontra em nível historicamente baixo, o BNDES possui linhas para financiamento a juros baixos, inúmeros setores tiveram desoneração da folha de pagamentos, a presidente Dilma anunciou recentemente a isenção de PIS/Cofins para a cesta básica, o aumento do teto de faturamento para empresas que optam pelo lucro presumido e a redução do preço da energia. Todas essas são bandeiras erguidas pela Fiesp e pelo Ciesp, com a mobilização da sociedade e dos setores produtivos.

Entretanto, os problemas permanecem. “Se pegarmos a empresa mais eficiente do mundo e colocarmos no Brasil, ela terá que arcar com os custos que só existem aqui e perderá sua competitividade”, diz Skaf. “A concorrência internacional exige respostas mais rápidas”.

Para a Fiesp e o Ciesp, é preciso avançar nas reformas: aprovar a MP dos Portos, a reforma do ICMS que deverá levar ao fim da guerra fiscal, e uma ampla simplificação tributária que possa derrubar custos de produção.

“Os trabalhadores e o setor produtivo podem fazer, juntos, um Brasil com mais produção e emprego. Por isso, nosso 1º de Maio é o Dia do Trabalho, mas também da produção”, diz Skaf.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)

Fiesp faz campanha pela aprovação da MP dos Portos

Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) deu início na terça-feira (16/04) a uma campanha pela aprovação da Medida Provisória 595, a MP dos Portos.

“Quem é contra a MP dos Portos é contra os interesses do Brasil”, afirma a mensagem principal de anúncios de página inteira divulgados pela Fiesp nos jornais Folha de S. Paulo e Estado de S.Paulo nas edições de terça (16/04) e quarta-feira (17/04).

O anúncio assinala que os portos brasileiros são ineficientes e operados pelas mesmas concessionárias “há décadas” e que aprovar a MP apresentada pela presidente Dilma Rousseff irá promover a modernização das instalações, estimulando a concorrência e  movimentando cargas com menor preço.

“Se a MP dos Portos for aprovada, serão investidos R$ 54 bilhões e o Brasil poderá dobrar sua capacidade portuária”, informa a Fiesp. “Mas tem gente jogando contra.”

O anúncio faz um apelo a senadores e parlamentares pela aprovação da medida e é encerrado com uma frase do presidente da Fiesp, Paulo Skaf: “Assim como a MP da Energia reduziu a conta de luz de todos os brasileiros, a MP dos Portos vai garantir desenvolvimento e empregos no Brasil.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540281632

Anúncio Fiesp - MP dos Portos


MP 595 é o único caminho para a modernização dos portos do Brasil, reafirmam Fiesp e Ciesp

Nota Oficial 

A Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) estão se mobilizando pela aprovação da Medida Provisória dos Portos (MP 595), em sua forma original. Segundo as entidades, as pressões pela prorrogação dos contratos de concessão, vencidos e a vencer, anulam a essência da medida. “Aceitar isso será jogar pela janela a chance de modernizar os portos brasileiros”, diz Paulo Skaf, presidente das entidades.

A MP dos Portos cria ambiente de incentivo à concorrência entre os concessionários prestadores de serviço público, ao instituir os leilões de licitação por menor tarifa e maior movimentação de carga. “Todos os concessionários atuais têm contratos. Vencidos ou a vencer. Prorrogar esses contratos, por 10 ou 25 anos, anula o novo modelo da MP”, diz Skaf. E acrescenta: “esta é uma grande oportunidade para baixar custos, criar empregos e recuperar a competitividade do país. Quem está contra a MP está contra os interesses do Brasil”.

A Fiesp e o Ciesp defendem a visão integrada de todo o setor de transportes. “Nos últimos dez anos, apenas onze licitações de terminais foram realizadas nos portos públicos, quando deveriam ter ocorrido mais de uma centena”, afirma Skaf. “O Brasil precisa ser visto como um todo. Não podemos mais ficar reféns de interesses locais ou regionais. O comércio exterior do País passa pelos nossos portos, e eles precisam ser um sistema eficiente e competitivo”, diz Skaf.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)