Centro Cultural Fiesp: Em cartaz, a Mostra 1961 – A Arte Argentina na Encruzilhada: Informalismo e Nova Figuração

Um acervo de 53 peças – telas, colagens e esculturas – produzidas de 1959 a 1962, nove fotos e 16 catálogos de exposições do mesmo período, estará exposto gratuitamente na Galeria de Arte do Sesi até domingo (14).

O acervo, composto por produções de 25 artistas do movimento informalista, conta com nomes de artistas argentinos com intensa e influente produção no período, como Keneth Kemble, Luis Wells, Clorindo Testa, Antonio Berni, Nicolas Garcia Uriburu, Luis Felipe Noé, Ernesto Deira, Antonio Segui e Jorge de La Vega.Resultado de parceria entre a Associação de Amigos da Pinacoteca do Estado de São Paulo, o Museo Nacional de Bellas Artes – Buenos Aires, Argentina e o Sesi-SP para a viabilização do projeto, a mostra 1961 – A Arte Argentina na Encruzilhada: Informalismo e Nova Figuração reúne importantes obras de acervos particulares de colecionadores argentinos.

A mostra, que tem curadoria do crítico de arte portenho Roberto Amigo, está disposta em seis núcleos de obras: Abstrato, Matéria, Transição, Barbárie, Inferno e Síntese. Além destes, haverá mais dois módulos distintos: Destruição, em homenagem ao movimento homônimo e que apresentará nove fotos de bastidores da produção artística dos anos 60, e 1961 e Documentos, com 16 catálogos daquela época, de exposições em cartaz na Argentina e no Brasil.

Serviço:

Exposição: 1961 – A Arte Argentina na Encruzilhada: Informalismo e Nova Figuração

Local: Galeria de Arte do Sesi – Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp

Datas e horários: de 21 de março a 14 de junho – às segundas-feiras, das 11h às 20h, de terça-feira a sábado, das 10h às 20h, e aos domingos, das 10h às 19h.

Informações: tels. (11) 3146-7405 / 7406

Agendamento de grupos: de segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14 às 17h, pelo telefone (11) 3146-7396, com Leni

Entrada franca