Vôlei: Sesi-SP quebra invencibilidade do Molico/Osasco e fica a uma vitória da final

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

O jogo era na casa do adversário. E de um rival até então imbatível na Superliga feminina de vôlei 2013/14. Mostrando personalidade, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) fintou o favoritismo do Molico/Osasco e, de virada, venceu na noite desta sexta-feira (11/04), no ginásio José Liberatti, o primeiro jogo da semifinal da competição. A equipe comandada pelo técnico Talmo de Oliveira superou as donas da casa por 3 sets a 1 (18/21, 21/17, 21/17 e 23/21), em 1h58 de jogo.

Suelle (esquerda) entrou no time no decorrer do primeiro set e ficou até o final. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

 

Com o resultado, o Sesi-SP quebrou uma invencibilidade-recorde de 28 jogos do Molico/Osasco nesta edição da Superliga. Agora, o Sesi-SP precisa de apenas mais uma vitória para assegurar a vaga na final da Superliga. O segundo confronto da série melhor de três será no sábado (19/04), às 10h, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. Em caso de derrota, as equipes voltam a enfrentar-se em um terceiro jogo, no dia 22/04, no ginásio José Liberatti, em Osasco.

A central Fabiana foi a maior pontuadora, com 19 acertos, e recebeu o Troféu Viva Vôlei. De acordo com a capitã, o time começou mal, errando muito, mas soube crescer na partida. “A equipe está confiante. E, mesmo no momento difícil, não se desespera”, disse a bicampeã olímpica, para quem mesmo as jogadoras mais novas vêm mostrando personalidade. “As meninas estão aprendendo no decorrer da partida: tem que decidir, tem que resolver.”

A união é a principal virtude do Sesi-SP, na opinião da central. “A equipe está muito unida, está muito gostoso de estar no grupo, a gente está confiante na equipe inteira. Acho que isso é muito importante.”

Na análise do técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, apesar de a vitória ser obtida sem necessidade de tie-break, o primeiro playoff foi um jogo bem equilibrado e difícil, principalmente no primeiro set, quando, segundo ele, a equipe errou muito. “Fomos pressionados por um saque bom do Osasco, e, depois, conseguimos trocar mais bola, fazer o jogo rodar mais.”

Talmo de Oliveira explicou a mudança ainda no primeiro set, quando substituiu Pri Daroit por Suelle. “Para esse jogo a gente precisava de um time com um volume bom de jogo, e a Suelle dá esse volume, fundo de quadra, saque, dá ritmo. O time está entrosado, e a Pri está voltando [depois de um longo período de inatividade, recuperando-se uma lesão].”

A levantadora Dani Lins disse que no segundo playoff o Sesi-SP precisa estar ainda mais atento. “A outra equipe vai entrar com tudo e a gente tem que ter mais tranquilidade e estar ainda mais concentrada”, afirmou a camisa 3, destacando que o saque será fundamental para o sucesso no confronto. “Nós não podemos errar.”

Mesmo com a experiência de quem tem uma medalha de ouro olímpica, Dani Lins reconhece que ainda sente aquele frio na barriga antes de jogos decisivos. “Eu mesmo fico nervosa. É normal. A gente tem que ter cabeça, e saber que estamos a um jogo de final, mas é um outro jogo.”

Pelo lado do Molico/Osasco, a central Adenizia afirmou que o Sesi-SP tem grandes jogadoras e, segundo ela, as mais novas “estão dando show”.

“A Fabi virou todas as bolas que a Dani pôs para ela”, elogiou.

O Sesi-SP jogou com Dani Lins, Ivna, Bia, Fabiana, Dayse e Pri Daroit. A líbero foi Suelen. Entraram: Carol Albuquerque, Mari e Suelle. O Molico/Osasco atuou com Fabíola, Sheilla, Thaisa, Adenizia, Sanja e Caterina, além da líbero Camila Brait. Entraram: Gabi, Ana Maria, Lia.

O jogo

Fabiana foi o destaque do jogo: maior pontuadora e ganhadora do Troféu Viva Vôlei. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Contando com a pressão de um ginásio lotado, o Molico/Osasco dominou o início do primeiro set. No ace da central Thaisa, o time da casa marcou 05/02. As donas da casa seguiram com ritmo forte e quando chegou a 11/06, o técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, pediu tempo. A equipe mandante abriu vantagem e chegou a 14/07. Talmo fez a inversão do 5-1 e escalou Carol Albuquerque e Mari Cassemiro no lugar de Dani Lins e Ivna, respectivamente. Deu certo e o Sesi-SP reduziu para quatro pontos. A equipe continuou equilibrando a disputa e diminuiu para 14/17. Mari Casemiro continuou pontuando e reduziu para 15/18.  Depois de um breve rali, a ponteira Dayse fez mais, atrás da linha de três metros, e o Sesi-SP encostou: 16/18.  Luizomar de Moura pediu tempo, mas na sequencia Dani Lins foi para o saque e diminuiu ainda mais: 17/18.  Mas o Molico fechou em 21/18 em lance da central Adenizia.

No segundo set,  o Sesi-SP começou melhor e fez 05/03. O Molico/Osasco empatou em seis pontos e a as equipes mantiveram o set equilibrado e estiveram empatadas novamente em 11/11. No ace da ponteira Suelle, o Sesi-SP fez 13/12 e depois colocou dois de vantagem (14/12). Com Dayse bem no ataque, o time visitante fez 17/14. O Molico/Nestlé encostou no placar (18/17), mas o Sesi-SP fechou em 21/17 em lance de Fabiana.

No terceiro set, o Sesi-SP abriu em ace de Bia. Depois de início equilibrado, o Molico/Osasco abriu três pontos de vantagem (10/07). O Sesi-SP encostou (10/09) e o técnico Luizomar de Moura pediu tempo. Com dois bloqueios consecutivos de Fabiana, o Sesi-SP virou (12/10) e chegou ao segundo tempo técnico com 16/13.  O jogo seguiu parelho mas no final, o Sesi-SP teve tranquilidade para fechar: 21/17 e 2 sets a 1.

No quarto set, o Sesi-SP continuou bem e abriu 05/02. O Molico/Osasco empatou em cinco pontos, mas, errando pouco, o Sesi-SP voltou a abrir boa margem (10/06). A diferença chegou a sete pontos (16/09) e a vitória parecia questão de tempo. Mas motivado pela sua torcida, o time mandante cresceu e reduziu a diferença para 16/12. Talmo pediu tempo, mas não adiantou: o Sesi-SP parou de virar a bolas e o Molico/Osasco chegou a virar o placar(20/19).  Com a volta da experiente Fabiana à quadra, depois de ficar aguardando o rodízio, a equipe conseguiu ter mais tranquilidade e,  no bloqueio, fechou em 23/21.

Sesi-SP faz partida brilhante e é campeão do Sul-Americano Feminino de Clubes de vôlei

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Muita emoção no ginásio José Liberatti, em Osasco. Em partida brilhante, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o Molico/Nestlé Osasco por 3 sets a 0 (25/21, 25/21 e 25/16) na noite deste domingo (09/02) e conquistou o Sul-americano Feminino de Clubes de vôlei. Com a vitória, o Sesi-SP assegura uma vaga no Campeonato Mundial, que será disputado em maio na Suíça.

Campeãs, comissão técnica e gestores do Sesi-SP Esporte comemoram título em Osasco. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

 

Em entrevista logo após o jogo, a levantadora Dani Lins – um dos destaques da vitória – disse que o time estava muito confiante e jogou bem solto, sabendo que a responsabilidade maior era das donas de casa. “Foi um jogo de superação”, disse Dani Lins, mencionando os muitos desfalques – as ponteiras Ju Costa, Pri Daroit e Mari Casemiro estão contundidas.

No jogo, o Sesi-SP treinado por Talmo de Oliveira entrou com Dani Lins, Ivna, Suelle, Dayse, Fabiana e Bia, além da líbero Suellen. Entrou Carol Albuquerque. O Molico/Nestlé Osasco do técnico Luizomar de Moura atuou com Fabíola, Sheilla, Caterina Bosetti, Sanja, Adenízia e Thaísa, além da líbero Camila Brait. Entrou Gabi.

A vitória do Sesi-SP marca a quebra de um tabu. Pela primeira vez, a equipe feminina derrotou o Osasco em uma final – as equipes vinham de duas finais (pelo Campeonato Paulista e pela Copa Brasil), todas vencidas pela poderosa equipe das bicampeãs olímpicas Sheilla e Thaisa.

A campanha do Sesi-SP no Sul-americano foi impecável. As meninas comandadas pelo técnico Talmo de Oliveira venceram todas as partidas por 3 sets a 0.

A central Fabiana Claudino foi eleita a melhor jogadora da competição. Outras quatro jogadoras do Sesi-SP receberam prêmios individuais: Dayse (melhor ponteira), Suellen (melhor líbero), Dani Lins (melhor levantadora) e Ivna (melhor oposto).

O jogo

Forçando bem o saque e aproveitando suas oportunidades de ataque, o Sesi-SP conseguiu abrir vantagem de três pontos em bloqueio de Bia (06/03), chegando ao primeiro tempo técnico com em 08/04. Num ace, o Molico/Osasco diminuiu o placar para 08/06 e uma sequência de erros de defesa do Sesi-SP fez com que as donas da casa encostassem no placar. Mas logo o Sesi-SP se recuperou, deixando o placar em 11/08, obrigando o técnico Luizomar de Moura a pedir tempo. E foi o suficiente para que o set empatasse em 11/11 aos 12’30”. Foi a vez de Talmo de Oliveira pedir tempo. O time melhorou e foi com 16/13 para a segunda parada. O Sesi-SP conseguiu manter o controle do jogo e, em duas bolas de Fabiana, fechou a parcial aos 26’53 em 25/21.

No segundo set, o time da casa saiu na frente, mas em lindo bloqueio de Dani Lins, o Sesi-SP virou para 07/06. Mesmo assim, o primeiro tempo técnico foi em favor do Molico/Osasco. O jogo seguiu disputado ponto a ponto, até que, em bloqueio duplo, o Sesi-SP abriu dois de vantagem (15/13). Em largadinha de Ivna, as visitantes garantiram o segundo tempo técnico em 16/14. O time de Talmo ampliou para cinco pontos de vantagem em 21/16. Dayse fez o 22º ponto e, depois de uma boa bola de Dani Lins, Fabi fez o 23º. O set point demorou a chegar depois de boa passagem de Sheilla pelo saque. Coube à central Bia fechar o segundo set em 25/21, aos 28’51”.

No terceiro set, o Molico/Nestlé vieram com a ponteira Gabi no lugar de Sanja. Melhor no início, as donas da casa foram para a primeira parada técnica obrigatória com 08/05. Num bloqueio triplo, o Sesi-SP diminuiu a diferença para 10/08 e foi na largadinha de Fabiana que o Sesi-SP empatou em 10/10. Suelle empatou em 12/12 e Dani Lins colocou o Sesi-SP na frente pela primeira vez no set: 13/12. Em sequência de saques da oposto Ivna, a equipe virou o marcador (14/12) e seguiu bem no jogo para fechar o set por 25/16 e o jogo por 3 sets a 0.

A campanha

Sesi-SP 3 x 0 C. Universidad Politécnica (COL) – (25/9, 25/9 e 25/6)
Sesi-SP 3 x 0 Ado (CHI) – (25/11, 25/11 e 25/11)
Sesi-SP 3 x 0 Club Liga Nacional Peru (PER) – (25/16, 25/18 e 25/19)
Boca Juniors (ARG) 0 x 3 Sesi-SP – (11/25, 13/25 e 18/25)
Sesi-SP 3 x 0 Molico/Nestlé – (25/21, 25/21 e 25/16)

Com muitos desfalques, Sesi-SP não resiste ao Osasco e amarga derrota na Superliga

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

O time lutou, mas não deu. Com os desfalques de Suelle e Bia, em cima da hora, além de Ju Costa, ausente por lesão nas costas, o time feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) fez o que pôde, mas a noite era mesmo do Osasco. Em jogo de nível abaixo do esperado para dois elencos tão fortes, a equipe de Talmo acabou derrotada por 3 sets a 1 (18/21, 19/21, 21/15, 16/21), e continua com 12 pontos na tabela, na oitava posição. O próximo confronto será contra o Unilever, na terça-feira, às 21h, na Vila Leopoldina.

Sobre a derrota, a capitã Fabiana disse que a equipe não soube se comportar na quadra, dando muitas oportunidades ao rival, o que não pode acontecer no resto da Superliga.

“O time não entrou em quadra como devia, não fizemos o que treinamos, respeitamos demais o Osasco. Nesses jogos, nós precisamos jogar mais e isso não está acontecendo. Precisamos entrar com essa consciência de agora em diante”, comentou a camisa 1.

Para o técnico Talmo, o que faltou ao time foi uma maior regularidade nos sets para conseguir abrir uma vantagem sobre o rival. Apenas na terceira etapa o time teve sucesso, mas não conseguiu repetir o nível no quarto set e acabou perdendo o jogo.

“O time delas é muito certo, com um bloqueio muito forte. Para uma partida como essa, precisamos manter um nível o tempo todo e conseguimos no terceiro set, mas não repetimos no quarto. E isso foi crucial”, apontou o treinador, que lamentou os desfalques e já pensa no Unilever, na terça-feira.

“Isso é Superliga, um jogo atrás do outro, tem que jogar agora e fazer o resultado em casa. Não dá para ficar lamentando calendário. Será um grande jogo de novo e temos que buscar o resultado”.

O Sesi-SP atuou com Fabiana, Dani Lins, Pri Daroit, Ivna, Mari e Barbara. Suelen de líbero.

Na próxima rodada, as meninas do Sesi-SP recebem o Unilever/Rio de Janeiro. O jogo está marcado para terça-feira (10/12), às 21h, no ginásio da Vila Leopoldina.

Adenizia, central do Molico Osasco, supera bloqueio do Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

O jogo

Com as duas equipes muito cansadas pelo calendário apertado, os erros se mostraram frequentes no primeiro set. O Sesi-SP abriu 2 a 0, mas saques errados e o bloqueio do Osasco reverteram o resultado a favor do time da casa. Porém, o Time da Indústria soube se controlar e procurar o resultado. A virada veio com Bárbara em mais um ataque eficiente pelo meio e marcando 11×10. O equilíbrio se manteve na etapa e com uma bomba de Ivna o Sesi-SP pegou o segundo tempo técnico em 14×12. Mas o cansaço e os erros voltaram fazendo com que o Osasco retomasse a vantagem no marcador até fechar o primeiro set em 21×18 após dois pontos de bloqueio.

O Sesi-SP começou o segundo set melhor abrindo 7/5, mas alguns erros custaram a vantagem e o Osasco virou a partida. Talmo mexeu no time colocando Neneca e Carol Albuquerque, que equilibraram a partida até o empate em 16/16. Mas com o elenco reduzido e as jogadoras cometendo erros por conta de cansaço, o Sesi-SP acabou perdendo a mão e no bloqueio de Adenízia o Osasco abriu 2 a 0.

O terceiro set era tudo ou nada. E foi tudo. As meninas de Talmo arrasaram o rival com um ritmo muito forte, sem dar brechas para Sheilla e cia e abriu 9×4. Osasco tentou reagir, mas Ivna começou a acertar as bolas em sequência e o time abriu 11/6, bastante apenas administrar a vantagem até fechar em 21/15 e botar fogo na partida.

Mas o ritmo imposto no terceiro set cobrou seu preço no seguinte. Começando com ritmo mais lento, o Sesi-SP perdeu bolas fáceis e viu o Osasco abrir uma larga vantagem em 10/5. Contando com o apoio vindo das arquibancadas, o time da casa manteve seu ritmo e fechou o set em 21/16 e a partida em 3/1.

O cenário foi o mesmo da final do Campeonato Paulista, mas o resultado não foi muito diferente. Atuando em casa, no ginásio José Liberatti, a equipe do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi batida pelo Molico/Osasco na noite desta sexta-feira (06/12). O placar foi 3 sets a 1 (21/18, 21/19, 15/21 e 21/16). O jogo foi válido pela oitava rodada da Superliga feminina 2013/14.

Vôlei do Sesi-SP fica com medalha de prata no Campeonato Paulista feminino

Juan Saavedra e Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Na final do Campeonato Paulista, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada na tarde deste domingo (01/12), no ginásio José Liberatti, pelo Molico/Osasco. As donas de casa souberam aproveitar a vantagem de jogar diante da torcida, mostraram maior volume de jogo e venceram por 3 sets a 0 (21/13, 21/18 e 21/19).

Com o resultado, o Sesi-SP ficou com a medalha de prata na competição – desempenho superior ao da edição 2012. O Molico/Osasco conquistou o bicampeonato.

A oposto Ivna foi a maior pontuadora do Sesi-SP, com 11 pontos, seguida por Fabiana Claudino, com 10. Sheila, oposto do Osasco, liderou a pontuação, com 13 acertos.

Na avaliação do técnico Talmo de Oliveira, o time não jogou bem. “Mesmo encostando algumas vezes no placar, a gente não teve o domínio do jogo e essa foi nossa dificuldade. Equilibramos um pouco no terceiro, mas não tivemos o domínio. O mérito é da equipe adversária, que nos colocou sempre em xeque e jogou muito bem”, ponderou.

A levantadora Dani Lins concorda. “Chegar na final do Paulista é bom, mas a partida não foi boa. Não conseguimos mostrar o nosso jogo, estava todo mundo muito nervoso. Até que entrou a Mari e mudou um pouco a cara do nosso time, vibrando. Porque a gente joga bem quando estamos felizes e vibrando. O time do Osasco está de parabéns porque elas jogaram muito bem”, afirmou.

Para o gestor de vôlei do Sesi-SP, José Montanaro, a equipe vem num crescente muito bom. “Infelizmente não conseguimos o objetivo de ser campeões. Hoje a equipe adversária mereceu: elas tiveram um jogo excelente e erraram pouco. Mas o Sesi-SP não imprimou o ritmo de jogo e não conseguiu pressioná-las. Nosso saque não fez efeito, o que permitiu que o Osasco articulasse todas suas boas jogadoras”, acrescentou.

Equipe do Sesi-SP: vice-campeã paulista 2013. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

 

As medalhas e o troféu de vice-campeão foram entregues pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e Sesi-SP, Paulo Skaf, que considerou a conquista das meninas uma vitória. “Nós não perdemos, saímos em segundo lugar, o que é uma vitória. Isso é do esporte mesmo. O time adversário jogou muito bem e estava muito afinado. Ser vice-campeão paulista é muito bom”, afirmou.

Paulo Skaf entrega o troféu de vice-campeão para Fabiana. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O Sesi-SP do técnico Talmo de Oliveira jogou com Dani Lins, Ivna, Bia, Pri Daroit, Suelle e Fabiana Claudino. Suelen foi a líbero. Entraram: Mari, Barbara, Carol Albuquerque e Neneca. O Molico/Osasco do técnico Luizomar de Moura atuou com Sheilla, Adenízia, Fabíola, Caterina, Sanja e Thaisa. Camila Brait foi a líbero.

Agora, as atenções da equipe do técnico Talmo de Oliveira ficam voltadas para a Superliga 2013/14. O próximo jogo, diante do Vôlei Amil, está programado para terça-feira (03/12), no ginásio da Vila Leopoldina. “Estou otimista com a equipe do Sesi-SP, que vem crescendo e melhorando a cada dia”, disse Montanaro.

O jogo

No primeiro set, o time do Sesi-SP não conseguiu se encontrar em quadra. O Molico/Osasco saiu na frente, abrindo três pontos de vantagem e chegou ao primeiro tempo técnico obrigatório com 07/03. As donas da casa ampliaram a vantagem e chegaram a abrir seis pontos (12/06). Bem no bloqueio, as donas da casa fecharam o parcial com facilidade, em 16 minutos: 21/13.

O segundo set foi mais equilibrado, mas o Molico/Osasco continuou na frente e novamente chegou com vantagem na primeira parada obrigatória. Com o placar a 10/05 a favor das adversárias, Talmo de Oliveira pediu tempo.  Na volta, Pri Deroit atacou com força e garantiu o sexto ponto. A oposta Ivna, mais acionada, diminuiu a diferença para um ponto (14/13), forçando um pedido de tempo do técnico do Osasco. Dani Lins, na largadinha, garantiu o 15º ponto.  O Molico/Osasco manteve a dianteira e venceu o segundo set aos 26’08”, por 21/18.

No terceiro set, mais motivado, o Sesi-SP passou o placar pela primeira vez no jogo (06/05), mas sofreu a virada na parada obrigatória. Talmo de Oliveira promoveu mudanças no time e colocou Neneca e Carol Albuquerque no lugar de Ivna e Dani Lins, respectivamente. A vibração de Mari , que entrou no lugar de Pri Daroit, deu novo fôlego ao Sesi-SP. A ponteira começou a virar as bolas e o Sesi-SP encostou no placar, reduzindo uma vantagem que chegara a quatro pontos.  Aos 23 minutos, o técnico Talmo de Oliveira pediu tempo e, em seguida, o Sesi-SP conseguiu empatar em 18/18. A equipe errou muitas chances de contra-ataque e não conseguiu virar. No final, prevaleceu o jogo das donas da casa, que fecharam o parcial em 21/19 e a partida em 3 sets a 0.

De olho na final do Paulista, Sesi-SP supera Barueri pela Superliga feminina de vôlei

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Ivna recebeu o troféu Viva Vôlei. Foto: Caio Lopes/Fiesp

A equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o Barueri por 3 sets a 0 (parciais 21/13, 21/15 e 21/12) em jogo válido pela Superliga feminina de vôlei, na noite desta sexta-feira (29/11), na Vila Leopoldina, em São Paulo.

Sem encontrar muitas dificuldades para superar a defesa adversária, o Sesi-SP venceu o primeiro set por 21/13, sem jamais ser incomodado no placar.

O segundo set foi um pouco mais complicado, mas a técnica de Dani Lins, Fabiana, Ivna e companhia prevaleceu e a equipe da casa venceu por 21/15.

O domínio do Sesi-SP continuou durante a última etapa do jogo. Sempre com boa folga no placar, o time de Talmo de Oliveira fechou o terceiro set em 21/12.

O time a passa o foco agora para a final do Campeonato Paulista, que será disputada no próximo domingo (01/12) contra o Molico/Osasco.

Segundo Talmo, o time mostrou maturidade contra um rival considerado perigoso. “Entramos com a cabeça no jogo, focado na Superliga”, disse o técnico. “Temos pela frente o Osasco e acreditamos que estamos prontos para o título”, completou o treinador.

Para a central Ivna,  que ganhou o troféu Viva Vôlei, concedido à melhor da partida,  a partir de agora a equipe volta a concentração para a final do Paulista. “Se jogarmos o que jogamos hoje temos grande chance de ser campeãs.”

O jogo

O Sesi-SP dominou todo o primeiro set, abrindo vantagem já nos minutos iniciais. Destaque para os ataques de Ivna e Fabiana, bloqueios de Suelle e saques de Ana Beatriz, a Bia.

Mostrando superioridade técnica, o Sesi-SP chegou à conquista do primeiro set em pouco mais de 20 minutos de jogo, cravando 21/13 na primeira etapa.

No segundo set, o Barueri surpreendeu e abriu 05/00 nos primeiros minutos. O Sesi-SP soube reagir. E com 17 minutos jogados, ultrapassava o rival, fazendo 15/13.

Com 21 minutos na segunda etapa, o Sesi-SP fechava o segundo set em 21/15.

O domínio do Sesi-SP continuou durante a última etapa do jogo. Fim do terceiro set (21/12) e do jogo: 3 sets a 0.

Em jogo pelo Paulista feminino, Sesi-SP vence Osasco pela primeira vez na história

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Jogando em casa, no ginásio da Vila Leopoldina, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o Molico/Osasco por 3 sets a 1 na noite de segunda-feira (14/10) . Os parciais foram de 20/22, 21/15, 21/19 e 21/13. Com o resultado, a equipe assumiu a segunda colocação do Campeonato Paulista.

A vitória marca a primeira vitória do Sesi-SP sobre o Osasco na história da equipe feminina, criada em 2011.

Barbara ataca pelo centro. Foto Lucas Dantas/Fiesp

 

Para o técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, o entrosamento da equipe no jogo desta segunda-feira foi tamanho que ele não conseguiu eleger um destaque.

“Foi um belo jogo. Todas jogaram muito bem e se comprometeram de forma igual”, afirmou o técnico. “Nós nos preparamos muito bem. Valeu. Foi a primeira [vitória] do Sesi-SP contra o Osasco. Hoje, o jogo foi de igual para igual”, completou.

A central Bárbara classificou a vitória como “muito importante” e o resultado da partida como fruto de muito treino.

“Viemos para o treino sexta, sábado, domingo, mas valeu a pena, já que [o Osasco] é um time que só tem estrelas. Então, para ganhar delas, tem que trabalhar muito”, disse.

O jogo

No primeiro set, o Molico/Osasco abriu vantagem sobre o Sesi-SP logo no início da partida, mas as donas da casa recuperaram o jogo com uma atuação agressiva e um bloqueio entrosado. O jogo seguiu equilibrado, mas o Molico/Osasco bateu o Sesi-SP por 22/20. “No primeiro set, a gente podia ter feito um pouco mais para fechar”, comentou Talmo de Oliveira.

No segundo set, a equipe do Sesi-SP voltou mais concentrada e fechou o período em pouco mais de 22 minutos por 21/15.  No terceiro set , o time consolidou a virada do jogo por 21/19 pontos em 26 minutos. A ponteira Pri Daroit fechou a partida em 21/13 pontos em 23 minutos.

Na quarta-feira (16/10), a equipe disputa a liderança do Campeonato Paulista com o Vôlei Amil em Campinas.