Em busca da liderança na Superliga, Sesi-SP vence Moda Maringá

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

No caminho para o primeiro lugar da tabela da Superliga, o time de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) cumpriu mais uma etapa: venceu, nesta terça-feira (11/02), o Moda Maringá por 3 sets a 1 (parciais de 21/18, 19/21, 21/19, 21/17). Nas arquibancadas, 60 alunos da unidade do Sesi-SP A. E. Carvalho torceram e comemoraram muito a vitória.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539973904

Apesar da vitória, equipe teve desempenho considerado irregular pelo técnico Marcos Pacheco. Foto: Fiesp


O Sesi-SP começou a partida com o levantador Sandro, o oposto Evandro, o central Rogério, o ponteiro Manius, o central Lucão e o ponteiro Lucarelli, além do líbero Lucianinho. Entraram durante o jogo o levantador Thiaguinho, o central Aracaju, o oposto Renan e os ponteiros Ary e Murilo. O troféu Viva Vôlei ficou com Lucarelli.

Lucarelli foi o maior pontuador do jogo, com 19 pontos. Evandro fez 17, seguido por Lucão, com 11. Também pontuaram: Manius (5), Ary (3), Renan (2), Aracaju (1), Sandro (1) e Rogério (1).

Mesmo vencendo o jogo, para o ponta Lucarelli, a equipe errou muito. “Foi uma partida de muitos altos e baixos, nossa equipe ainda está errando muito em coisas simples. Mas estamos treinando muito e nos esforçando nessas últimas semanas para tentar diminuir os erros. Nosso side-out é bom, temos bom saque, bloqueio, por isso se diminuirmos os erros bobos, vai melhorar demais nosso time”, afirmou o jogador, que espera uma partida complicada no sábado, contra o Sada/Cruzeiro.

“Espero que seja um jogo tão bom quanto foi na final da Copa Brasil, mas que o vencedor mude de lado”, declarou o ponta.

O técnico do Sesi-SP, Marcos Pacheco, também não ficou satisfeito com o desempenho da equipe nesta partida. “Nossa equipe hoje não fez um bom jogo, foi muito irregular. O adversário teve momentos de instabilidade, que nosso time podia ter aproveitado, para garantir o jogo. Mas não tivemos tranquilidade para isso. E não podemos perder essas oportunidades”, comentou.

“O segundo set chegou a 17/13 para o Sesi-SP e perdemos por 21/19. O adversário fez oito pontos e nós fizemos dois. Temos que treinar e trabalhar muito para resolver esses problemas.”

Mas Pacheco reforça que o objetivo é conquistar a liderança da Superliga no sábado. “Contra o Sada é outro jogo, outro momento, vivemos jogo a jogo. A vitória de hoje foi fundamental, porque viemos de uma derrota. Agora vamos a Minas Gerais para buscar o primeiro lugar. É um jogo difícil, mas nosso objetivo é esse.”


O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539973904

Manius começou o jogo na função de ponteiro passador. Foto: Fiesp

O Moda Maringá marcou o primeiro ponto do jogo, mas não demorou para o Sesi-SP assumir a liderança do primeiro set.  O time do Paraná chegou a empatar, 17/17, mas comemorou por pouco tempo. Logo o Sesi-SP voltou a ficar na frente e fechou por 21/18, em um belo ponto de bloqueio.

O segundo set começou mais tranquilo para o Sesi-SP que chegou a abrir 07/03. Mas o Maringá conseguiu empatar e virar, vencendo o set por 21/19.

Com um set para cada lado, os times vieram com toda força para o terceiro set. No 17º ponto do Sesi-SP (contra 15 do Maringá), o jogo ficou interrompida por uma discussão do time paranaense com a arbitragem. O resultado foi um cartão vermelho para o Maringá e o 18º ponto do Sesi-SP, que ficou com o terceiro set, marcando 21/19.

O quarto set foi ainda mais acirrado, com os dois times disputando ponto a ponto, mas o Sesi-SP levou a melhor: 21/17.

Sesi-SP busca vitória contra o Moda Maringá para definir a liderança no sábado

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

O time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) volta à quadra nesta terça-feira (11/2), na Vila Leopoldina, contra o Moda Maringá, pela Superliga. Se já era importante, o jogo ganhou um peso bem maior após a última derrota para o Minas, e com o Cruzeiro se isolando na liderança com 51 pontos, contra os 48 do Sesi-SP (que tem um jogo a menos). Em caso de vitória por 3 sets a 0 ou 3 sets a 1, o time paulista fica a apenas dois do rival e o confronto do próximo sábado ganhará ares de final.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539973904

Sesi-SP enfrenta o Moda Maringá nesta terça-feira (11/02). Foto: Divulgação/Sesi-SP

Para o oposto Evandro, sexto maior pontuador do campeonato com 204 pontos, a derrota contra o Minas deixou lições, mas veio em péssima hora e o time precisa vencer para retomar a disputa pela liderança, faltando apenas quatro jogos para o fim da fase de classificação.

“Não era o momento de perder. Foi uma derrota amarga e temos que tirar lições disso para nos prepararmos melhor. Tanto para amanhã (terça), que é um jogo complicadíssimo, e principalmente para a partida contra o Sada, sábado, porque se quisermos vencer a competição, temos que começar a ganhar deles agora”, disse Evandro, que elogiou o Maringá, a quem o Sesi-SP já venceu duas vezes nesta temporada (3 sets a 0 pela Superliga e 3 sets a 2 pela Copa Brasil). “No último jogo, foi 3 sets a 2 para nós e todo mundo viu como o time deles é difícil de ser vencido. Conseguimos e amanhã precisamos entrar com mais atenção e força ainda para vencer de novo. A vitória é fundamental”.

O confronto entre as equipe marca também um duelo de opostos ídolos da torcida da Vila Leopoldina. Evandro já marcou seu nome com os fãs, que confiam no seu ataque e na sua capacidade de virar as bolas levantadas por Sandro. Mas o Maringá vem com Lorena, que jogou a última temporada pelo Sesi-SP e conquistou um espaço no coração dos torcedores. Evandro elogiou o rival e sabe que não pode deixa-lo jogar, mas ressaltou que o confronto é dos times e que desde que a vitória final seja do Sesi-SP, nada mais importa.

“Nós temos que ganhar o jogo, isso é o que vale. Se eu fizer 20 pontos e ele também, no final teremos que fazer mais que o time deles. O Lorena é um grande oposto, joga muito bem, mas eu quero e vou fazer a minha parte aqui dentro de casa para ajudar o time e garantir nossa vitória. Ele vai marcar pontos e temos que ter atenção com ele, mas vamos fazer o nosso trabalho para vencer e chegar bem na partida de sábado”, finalizou.

Na segunda colocação na tabela, o Sesi-SP enfrenta, após o Maringá, o Cruzeiro, no sábado, o RJ Vôlei, dia 22/02, na Vila Leopoldina, e fecha o returno fora de casa contra o Montes Claros, dia 26/02.

Serviço
Superliga 2013/2014
Sesi-SP x Moda Maringá
Data e horário: 11 de fevereiro, terça-feira, às 19h
Local: Ginásio do Sesi – Vila Leopoldina (Rua Carlos Weber, 835 – Vila Leopoldina, São Paulo)
Entrada gratuita

Com recuperação mais rápida que o previsto, Murilo volta ao time do Sesi-SP neste sábado (30/11), contra o Moda Maringá

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539973904

Após 10 meses fora das quadras, Murilo volta a jogar contra o Moda Maringá. Foto: Everton Amaro/Arquivo Fiesp

De 30 de março a 30 de novembro: 245 dias sem jogar uma partida valendo três pontos. Neste sábado, contra o Moda Maringá, pela Superliga, às 19h30, na cidade paranaense, Murilo Endres finalmente dará fim a este período fora do time do Sesi-SP. Sua participação na partida ainda depende do treinador Marcos Pacheco, mas ele já está garantido entre os 12. E o jogador, que nunca ficou tanto tempo fora de uma equipe, está ansioso para entrar em quadra.

“Nunca fiquei tanto tempo afastado. Tive poucas lesões na minha carreira. Torci o joelho, em 2001, tive uma lesão na panturilha, e agora essa do ombro. Mas já está acabando. Estou ansioso para jogar, treinando muito e bem motivado para ajudar a equipe”, declarou o camisa 8, que admitiu um certo receio sobre como se comportará o seu ombro.

“Tenho um pouco de medo mesmo. Não consigo fazer um ataque a 100% e não sei quando será que vai acontecer. Pode ser naturalmente no meio de um jogo, eu simplesmente faço o movimento e o ombro responde. Como será? Não sei. Hoje eu tenho um pouco de receio sim, estou me virando bem, mas só com tempo para saber como vai ser.”

A última partida de Murilo pelo Sesi-SP foi na derrota para o Cruzeiro pela semifinal da Superliga 2012/13, na Vila Leopoldina. Desde então, o ponta operou o ombro direito, foi procurado por outros times, mas renovou com o Sesi-SP, anunciou a tão esperada paternidade e treinou com muita dedicação para voltar. Seu prazo era janeiro. Voltou antes de dezembro. Agora, ele encontrará uma equipe campeã paulista, que perdeu apenas um jogo em toda a temporada. Segundo Murilo, isso só facilita as coisas para os dois lados, pois ele entra para ajudar e acredita que a equipe não dependerá tanto dele.

“A equipe está bem redonda, vimos nas finais que o time se impôs bastante, está todo mundo bem fisicamente. Não quero que minha volta vire um peso, que o time jogue em função do Murilo, nada disso. Só iria atrapalhar. Vou voltar para ajudar a melhorar o que já está muito bom. O que eu mais quero é voltar a ser aquele jogador de alguns anos atrás e o pessoal vai me ajudar a conquistar esse espaço”, afirmou o jogador, que não sabe como será marcar um ponto depois de tanto tempo. “Não sei como vai ser. Posso nem fazer nada, como posso comemorar bastante. O que eu quero é voltar bem e depois comemorar com o time um da vitória.”

Quem comemorou, mas com ressalvas, a volta do craque foi Marcos Pacheco. Para o treinador, Murilo ainda deverá levar um tempo para para atingir sua melhor forma, mas a sua recuperação e o ritmo dos treinos na Vila Leopoldina foram sinais de que podemos esperar ótimos dias.

“Tem que entender a etapa da recuperação dele. Está voltando muito bem, mas temos que construir a volta do fundo para a rede. Murilo tem uma recepção muito boa, muito talento e aos poucos vai voltar a ser um jogador importante no ataque. Ele bloqueia muito bem, mas no ataque teremos que dar tempo ao tempo e ter muita paciência. Hoje seu único limitador é força, do fundo para o ataque. Mas seus treinos foram espetaculares e sua recuperação motiva o time inteiro”, disse Pacheco.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539973904

Murilo: "Estou ansioso para jogar, treinando muito e bem motivado para ajudar a equipe." Foto: Everton Amaro/Arquivo Fiesp

Moda Maringá

Sobre o adversário de sábado, jogo válido pela oitava rodada do primeiro turno, Pacheco não poupou elogios e disse esperar um jogo muito difícil no ginásio Chico Neto.

“O Maringá tem uma equipe muito competitiva, ótimos jogadores e ainda conta com o fator casa. Tivemos uma boa pausa para trabalhar e descansar, mas não contei com a equipe inteira para trabalhar. Mas ainda assim foi bastante proveitoso e o time está pronto para a volta da Superliga”, finalizou o técnico, se referindo às ausências de Lucao, Sidão, Evandro e Lucarelli, a serviço da Seleção Brasileira na Copa dos Campeões, no Japão.