Fiesp lança missão empresarial para a África do Sul e Moçambique

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Da esq. p/ dir.: Yusuf Omar, Newton de Melo, Jacob Moatshe e Rodrigo Iglesias, em reunião na Fiesp

“Precisamos olhar um pouco para os lados, e não somente para o norte como os brasileiros tem feito”. A frase de Newton de Melo, diretor-titular adjunto do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, revela que o continente africano tem muito a oferecer ao Brasil. Para ele, a visão de afinidades com a África do Sul, ao contrário dos BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China), contempla a cultura e a localização geográfica, fatores que aproximam os dois países.

Também estiveram presentes ao lançamento Yusuf Omar, cônsul geral da República da África do Sul em São Paulo, e Jacob Moatshe, cônsul comercial da África do Sul em São Paulo.

Convidado a elaborar um trabalho para auxiliar a definição de setores, organização e estrutura, Rodrigo Iglesias, da Unidade de Inteligência Comercial e Competitiva da Apex-Brasil, apresentou um resumo com informações relacionadas ao mercado sul-africano e moçambicano.

Segundo o representante da Apex, as perspectivas de negócios para o Brasil nestes dois mercados são promissoras, visto que o potencial econômico, principalmente da África do Sul, é muito grande. “A economia do País, em relação a outras nações desenvolvidas, recuperou-se da crise financeira mundial com muito mais rapidez”, afirmou Iglesias.

Indicadores

Moçambique importou em 2010 cerca de US$ 4 bilhões, o que representa uma participação de 1,1% de todo o continente africano, e há perspectiva de alta de 18% até 2014. Um dinamismo intermediário em relação aos países africanos, mas enérgico perante o mundo. Já a África do Sul, que importou cerca de US$ 82 bilhões no mesmo ano, representa expressivos 20% do total das importações.

Além dos números apresentados, Rodrigo Iglesias detalhou destaques e tendências para o próximo quadriênio em Moçambique e os grupos de produtos com maior potencial de negócios. Destacam-se carnes de aves, amendoim e sementes oleaginosas (exceto soja), alimentos para animais, móveis, máquinas e equipamentos, motores geradores e transformadores, tratores, artigos de couro e chassis para automóveis.