Acabar com a miséria até 2014 é meta do governo de São Paulo

Rosângela Bezerra, Agência Indusnet Fiesp

Rodrigo Garcia, secretário de Desenvolvimento Social de SP, durante reunião do Consocial/Fiesp

No Brasil, cerca de 16 milhões de pessoas vivem na extrema pobreza. Esta situação também é crítica no estado de São Paulo, onde mais de 100 mil pessoas fazem parte deste cenário. Para solucioná-la, o governo estadual vai lançar um programa para acabar com a miséria até 2014.

Rodrigo Garcia, secretário de Desenvolvimento Social de São Paulo, disse que o programa será destinado para famílias cuja renda mensal por pessoa não atinge o piso de R$ 70. “Queremos alcançar efetivamente uma política social de inclusão das famílias que são mais vulneráveis”, explicou nesta sexta-feira (28), durante a reunião do Conselho Superior de Responsabilidade Social (Consocial) da Fiesp.

Para Maria Helena Guimarães de Castro, presidente do Consocial, o programa poderá se beneficiar muito através dos empresários e entidades que atuam na Fiesp porque é uma política pública estadual, de erradicação da miséria, articulado e integrado ao governo federal.

Parceria com a sociedade

“É um programa que depende de uma parceria permanente entre o poder público e a sociedade para desenvolver as ações, inicialmente em 100 municípios. Depois, a expansão das ações para todas as cidades, para acabarmos com a situação de miséria absoluta. Precisamos ter uma ação entre os setores na habitação, saúde, educação, assistência social e alimentação”, disse.

Maria Helena ressaltou que a Fiesp, o Sesi-SP e as entidades ligadas a ambas poderão dar um grande apoio operacional para que as ações do programa tenham sustentabilidade. “Nós ouvimos, aqui, presidentes de entidades que se interessaram muito em poder colaborar. Creio que, se esta ação for expandida com apoio da Fiesp, a política terá possiblidade de se tornar mais sustentável.”

O programa será implantado nos 100 municípios paulistas de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e deve estar em funcionamento a partir de março de 2012. Terá três etapas: Busca Ativa – Retrato Social, Agenda da Família e finalmente, a Transferência de Renda, por meio do cartão único.