Workshop para sindicatos debaterá a NR-01 de Prevenção em Segurança e Saúde

Agência Indusnet Fiesp

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) promove na sexta-feira (19/09), das 9h às 18h, em Brasília (DF), um workshop sobre a “Norma Regulamentadora nº 01 (NR-01) – Prevenção em Segurança e Saúde no Trabalho”.

A finalidade do workshop é de esclarecer a proposta colocada em consulta pública do texto básico técnico da NR-01 do Ministério do Trabalho e Emprego, bem como a formulação de posicionamento empresarial sobre os impactos e aplicabilidade da norma.

O evento, que acontece no auditório do 15o andar do Ed. Roberto Simonsen, é destinado a representantes das federações de indústrias, sindicatos empresariais, associações, empresas e departamentos Regionais do Serviço Social da Indústria (Sesi) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Confirmações de presença devem ser feitas para o e-mail: lucas.lima@cni.org.br. As vagas são limitadas de acordo com a capacidade do auditório.

Serviço

Evento: Workshop sobre a “Norma Regulamentadora nº 01 (NR-01) – Prevenção em Segurança e Saúde no Trabalho”
Data: 19/09 (sexta-feira)
Horário: de 9h às 18h
Local: auditório do 15o  andar do Ed. Roberto Simonsen – SBN Quadra 1 Bloco C, Brasília (DF)

Impasse sobre Ponto Eletrônico pode ter solução definitiva

Agência Indusnet Fiesp

A Portaria 1510/09, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que disciplina o Registro de Ponto Eletrônico nas empresas, deve ganhar finalmente uma solução adequada à realidade e à modernidade.

A norma entraria em vigor em agosto de 2010, mas diante da rigidez imposta levantou críticas negativas em todos os lados envolvidos. A implantação foi adiada para 1º de março deste ano, segundo a Portaria 1987/10. Mesmo assim, a portaria esbarraria na total impossibilidade de cumprimento de prazo, além de insistir na falta de flexibilidade.

Em encontro no último dia 20 de janeiro, com o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, cobrou mais uma vez a solução para o impasse dessa medida, que traz altos custos, baixa efetividade na redução das fraudes, além de pesar na balança da competitividade da indústria e impactar negativamente as relações de trabalho. Até o Meio Ambiente seria penalizado devido à alta utilização de papel na impressão dos comprovantes, conforme ressaltou Skaf.

Mas a Fiesp não ficou apenas na crítica à Portaria. “A solução está em deixar que as partes negociem, livremente, se irão utilizar o ponto eletrônico. Os maiores interessados, empresas e trabalhadores, levariam o assunto às suas negociações”, ponderou Skaf na audiência com o ministro Lupi.

Na mesma oportunidade, o ministro sinalizou que a implantação do ponto ganhará esse contorno optativo e negociado. Essa intenção foi ratificada em recente conversa telefônica entre o ministro e o presidente da Fiesp.