Semana de Meio Ambiente – Seminário: A Importância Estratégica dos ODS e exemplos de sucesso na implementação



Imagem relacionada a matéria - Id: 1540020468


Confira as apresentações realizadas no seminário “A Importância Estratégica dos ODS e exemplos de sucesso na implementação” realizado na Fiesp no dia 07 de junho.


Painel: A Importância Estratégica dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável


Secretaria Nacional de Articulação Social, Secretaria de Governo da Presidência da República

Sergio Kelner – Diretor do Departamento de Educação para a Cidadania e Inovação 


Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária –Embrapa

Daniela Lopes  Pesquisadora 


Painel: Exemplos de Sucesso na Implementação dos ODS´s


empresa de pequeno porte – Metalúrgica Inca Ltda.

Luis Bello – Gerente


empresa de médio porte – Micro-Química Ltda.

Cláudio Hanaoka – Diretor


empresa de grande porte – Embraer S.A.

Mayara Ribeiro – Analista de sustentabilidade

Entrevista: Claudio Hanaoka, da Micro-Química Produtos para Laboratórios, vencedora do 18º Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540020468

Claudio Hanaoka: 'A gestão de processos ambientais no setor produtivo não só reduz custos, mas minimiza riscos'

Agência Indusnet 

Com o projeto “Viabilidade da melhoria competitiva através da Sustentabilidade e Gestão do Meio Ambiente”, a Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. conquistou o primeiro lugar na categoria micro e pequena empresa na 18ª edição do Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental, organizado pelo Departamento de Meio Ambiente (DMA) da entidade. A empresa concorreu com mais de 40 cases enviados por 39 empresas de todo o Estado de São Paulo. A cerimônia de premiação aconteceu no dia 27 de junho, na sede da federação.

Em entrevista ao site da Fiesp, o diretor comercial da Micro-Química, Claudio Hanaoka, disse que foram decisivos para conquista do prêmio os projetos educativos na área ambiental desenvolvidos pela indústria especialmente para seus colaboradores. Além disso, Hanaoka comemorou o que classifica como a quebra de paradigma do setor produtivo, que, segundo ele, até pouco tempo atrás considerava adoção de política de sustentabilidade como um ônus para o empreendimento.

Leia trechos da entrevista feita por e-mail:

Qual a importância do prêmio para empresa e como ele foi recebido pelos funcionários?

O projeto enviado à Fiesp, ‘Viabilidade da melhoria competitiva através da Sustentabilidade e Gestão do Meio Ambiente’, envolveu questões relacionadas a melhorias de fatores produtivos, limpeza, organização, treinamentos e programas implantados de suma importância para nós – e dentro da proposta do
prêmio. Mas foi muito além, pois quebrou diversos paradigmas, como, por exemplo, o de que sustentabilidade e respeito ao meio ambiente seria viável apenas para grandes corporações ou que o baixo grau de instrução dos colaboradores seria fator limitante. O que constatamos foi uma evolução da cultura da empresa, deixando-a em melhores condições para se desenvolver, não só atendendo às exigências atuais, mas antecipando demandas futuras. Os colaboradores receberam a notícia da premiação com extremo orgulho e com a sensação de parte integrante do processo, pois desempenham papel ativo nas melhorias e de conscientização sobre a sustentabilidade e sua importância não só na organização, mas no seu dia a dia fora da empresa.

De que modo a empresa viabilizou melhoria competitiva através da sustentabilidade e gestão do meio ambiente?

Conseguimos isso através de um intenso trabalho de treinamentos, comunicação e conscientização de todos os colaboradores e áreas, sem distinção. Diversos programas foram adaptados para a nossa realidade e limitações, como o 5S [cinco sensos de qualidade], Produção mais Limpa, Gerenciamento de Riscos e o Balance Score Card [metodologia de medição e gestão de desempenho]. Aproveitamos a Certificação da Qualidade (ISO 9001:2008) e do Meio Ambiente (ISO 14001:2004) como aliados e ferramentas de gestão, juntamente com o nosso departamento de recursos humanos. Como atuamos no segmento químico, identificamos que o maior gerador de resíduos, riscos e consumo de recursos não renováveis estava ligado a essa área. Assim, ela recebeu a maior carga de atividades e energia. Ao mesmo tempo, atuamos com ações múltiplas, porém organizadas, que se desdobraram nas áreas de lavagem de embalagens, manutenção, limpeza e transportes. Essa atuação da área de gestão integrada foi fundamental.

Qual a importância da gestão de processos ambientais no setor produtivo? Reduz custos?

A gestão de processos ambientais no setor produtivo não só reduz custos, mas minimiza riscos e cria oportunidades de melhoria. Abrimos um canal de comunicação junto aos colaboradores dessa área para receber sugestões, críticas e avaliações de desempenho. Com isso, um círculo virtuoso de melhorias foi se desenvolvendo e os resultados aparecendo. Alguns com menor custo e em um curto espaço de tempo; outros em um período maior, pois dependiam de investimento e planejamento mais apurado.

Por que os resultados obtidos foram considerados importantes?

As respostas obtidas demonstraram que as ações de planejamento estratégico da empresa trouxeram resultados virtuosos. Além da economia e do fortalecimento da gestão, as áreas e os colaboradores tornaram-se mais eficientes e conscientes. A postura antes era de cobrança da chefia para com os colaboradores. Hoje, ela ainda existe, mas essa cobrança entre os próprios colaboradores e entre as áreas torna o processo mais prazeroso e eficiente.

Vale a pena, então, investir em sustentabilidade?

Acreditamos que se há uma visão de médio e longo prazo para seus negócios, investir em sustentabilidade torna-se obrigatório e não uma opção. É uma questão de sobrevivência e deve fazer parte do planejamento estratégico das empresas, independentemente do seu tamanho ou segmento. Existem inúmeros riscos nos negócios, e a imagem é um deles. As empresas devem se preocupar para quem vendem, de quem compram, quem transporta seus produtos etc. A responsabilidade é compartilhada e solidária, e a sustentabilidade permeia todas as cadeias produtivas, não fazendo distinção.

De que modo os funcionários e colaboradores da empresa adotaram a sustentabilidade como conceito estratégico para a Micro-Química?

A experiência nos ensinou que a evolução cultural da empresa está diretamente ligada ao seu dia a dia. A sustentabilidade está inserida nesse contexto, pois exige mudança de hábitos e uma espécie de reeducação. Isso, por sua vez, tem relação de como a área de recursos humanos, que também deve redirecionar seus trabalhos. Entendemos que não basta dar treinamentos, é necessário que as empresas entendam seu papel de auxiliar na educação dos colaboradores, orientando, conscientizando, convidando a todos a participar do projeto. Quando isso ocorre, o todo torna muito maior que a soma das partes. Quando os colaboradores entendem a sua importância na própria sobrevivência da organização e na construção de um futuro melhor para eles e seus familiares, a estratégia adotada pela empresa começa a fazer sentido e eles acabam se engajando na melhoria e na adoção de boas práticas envolvendo a sustentabilidade. As empresas, assim como as espécies, têm seu ciclo de vida. Entender que as empresas devem estar atentas aos desafios futuros e seguir, ou mesmo buscar antecipar tendências, pode auxiliar na sua perpetuação.