Fiesp marca presença na Feira do Empreendedor, que acontece de 25 a 28 de outubro em São Paulo

Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) participará da Feira do Empreendedor, realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-SP), que acontece de 25 a 28 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo.

O Departamento de Micro e Pequena Indústria (Dempi) da Fiesp terá um estande na feira, no qual equipes de técnicos farão atendimento aos empresários nas áreas de Crédito e Capacitação, Pesquisa e parcerias com universidades. São esperados para os quatro dias de evento cerca de 60 mil visitantes.

Para mais informações, consulte o site oficial do evento: http://feiradoempreendedor.sebraesp.com.br/

Pequenas e microempresas: trabalho do Dempi, da Fiesp, induziu medidas estaduais e federal

Uma série de medidas foi recentemente anunciada, em âmbito estadual e federal, para uma melhor gestão do trabalho das pequenas e médias empresas. Boa parcela destas medidas nasceu do trabalho desenvolvido pelo Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Fiesp, especialmente no Fórum “O Impacto da Crise Financeira para Micro, Pequenas e Médias Indústrias”.

“Devido à crise econômica mundial, as pequenas e médias empresas estavam com dificuldade de acesso a crédito. Muitos bancos não estavam operacionalizando as linhas por falta de garantia de pagamento”, explicou o diretor-titular do Dempi, Milton Bógus.

A Fiesp, por meio do Dempi, promoveu uma série de articulações com outras entidades, que resultou na criação de fundos de aval para melhorar o acesso ao crédito.

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, em comunicado aos associados de ambas as casas avaliou estas medidas (


clique aqui para ver a íntegra da carta


).


Evento



Realizado no último dia 13 de abril, o Fórum “O Impacto da Crise Financeira para Micro, Pequenas e Médias Indústrias” discutiu questões pontuais como a falta de crédito, novas linhas e modificações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), suspensão da exigência de certidões negativas de débitos, fundos de avais e seguros de crédito.

O evento contribuiu também para a implementação das seguintes medidas:


  • FGC

    – O Fundo Garantidor de Crédito para micro e pequenas empresas, implementado pelo Governo Federal, que liberou R$ 4 bilhões do Ministério da Fazenda.


  • FDA

    – O Fundo de Aval do Estado de São Paulo foi criado para micro e pequenas empresas paulistas que não dispõem de garantias suficientes para ter acesso às linhas de crédito bancárias disponíveis.


  • FGPC

    – A Reativação do Fundo de Garantia de Promoção da Competitividade que é do próprio BNDES, constituído com recursos do Tesouro Nacional, complementa as garantias em até 80% das exigidas pelo banco.


  • Cadastro Positivo

    – Resultado de ações contínuas do Dempi, o projeto de lei foi aprovado nesta semana pela Câmara dos Deputados e segue agora para o Senado. A proposta é a constituição de um banco de dados do histórico dos pagamentos de pessoas físicas, inclusive dos bons pagadores.


  • Considerar o Sacado

    – Os bancos em sinergia com grandes empresas considerarem as mesmas como garantidoras para antecipação dos seus recebíveis.

    Além destas medidas, o Fórum propiciou a discussão sobre a utilização e a estruturação da Nossa Caixa Desenvolvimento. A ideia é que ela funcione como uma agência de financiamento de investimentos e de capital de giro de projetos produtivos no estado de São Paulo.

    “Nós propusemos e enfatizamos a necessidade de fundos garantidores em todas as esferas. O Fórum também colaborou para que esses fundos começassem a ser operacionalizados. Isto demonstra que a atuação da Fiesp em defesa das pequenas e médias está trazendo resultados concretos”, concluiu o diretor do Dempi, Milton Bógus.