Meta de 10% da PDP será superada com participação expressiva das micro e pequenas

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

As micro e pequenas empresas estão nas macrometas da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), ressaltou nesta terça-feira (2) o secretário nacional de Comércio e Serviços do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Edson Lupatini Júnior, no painel “Dinamização das MPEs”, em Seminário da Fiesp sobre as metas da PDP.

Entusiasmado, o secretário afirmou que a meta prevista, de 10%, poderá ser superada devido à participação das micro e pequenas exportadoras. “Vamos colocar o comércio exterior de serviços na pauta do dia”, confirmou. Para Lupatini, nessa meta não estão incluídas as prestadoras de serviço, cuja previsão é de exportações em torno de US$ 40 bilhões.

Outra notícia dada pelo secretário é que, no início de janeiro, há previsão de implantação da segunda geração do “empreendedor individual”. O interessado preencherá, no computador, uma tela com, no máximo, 15 informações.

O processo será extremamente simplificado e impessoal, sem a necessidade de remessa de documentos. A previsão é ter um milhão de inscritos até julho de 2010.

É possível exportar mais.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), Merheg Cachum, revelou que o consumo per capita de plástico no Brasil (27,7 kg/hab, em 2008) é pequeno em relação a outros países. Ele reforçou que há espaço para o crescimento do setor.

Milton Cardoso dos Santos Filho, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), frisou que apesar de o calçado ser um item importante na pauta, este ano houve queda de um terço das exportações, em função da crise. E alertou: “É preciso diversificar os mercados para enfrentar problemas de competitividade devido aos calçados vindos da China”.

A mediação do debate ficou a cargo de Milton Bogus, diretor do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi).

Perfil

Segundo dados de 2005, 99% das empresas formais em operação no Brasil estão na categoria de micro e pequenas empresas. Elas respondem por mais de 50% dos empregos formais e quase 50% delas são exportadoras (11.120), tendo movimentado, no ano passado, mais de US$ 7 milhões. Há participação expressiva das áreas de comércio, serviços, construção e indústria, entre outros. As informações são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.