Empresários reforçam necessidade de aprimorar relações Brasil-Chile

Agência Indusnet Fiesp

No que depender dos empresários que participam do Encontro Empresarial Brasil-Chile, que acontece na sede da Fiesp, nesta quinta-feira (30/07), as relações entre os países deve manter o nível de negociações que fizeram a corrente comercial avançar de US$ 2,7 bilhões, em 2003, para US$ 8,9 bilhões no ano passado.

Na avaliação de Roberto Giannetti da Fonseca, diretor-titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, o crescimento da pauta bilateral é sinal de que a aproximação entre os países é promissora.

“Empresários brasileiros e chilenos têm de trabalhar mais para aprimorar nossa relação comercial e melhorar o acesso ao mercado de nossos produtos, em harmonia para que essa relação se consolide cada vez mais”, sugeriu Giannetti.

O dirigente classificou o Chile “exemplo de competência em negociações internacionais”, e indicou a Fiesp como espaço diplomático para o fomento comercial aos empreendedores do vizinho sul-americano. “Nossa área de relações internacionais e comércio exterior está integralmente à disposição dos empresários chilenos, para apoiar e esclarecer qualquer iniciativa de melhoria da corrente de comércio e investimentos entre nossos países”, afirmou.

De acordo com Hermann von Muhlenbrock, representante da Sociedade de Fomento Industrial chilena (Sofofa), a troca de produtos será ampliada pelo corredor biocêanico. O Atlântico e o Pacífico serão aproximados por dois mil quilômetros de estrada, partindo do Mato Grosso do Sul, passando por Santa Cruz de La Sierra e Oruro – território boliviano –, até os portos chilenos de Arica (exportação de grãos) e Iquique, zona franca de escoamento de produtos industriais.

Muhlenbrock ressaltou o “compromisso” dos países em manter seus mercados abertos mesmo ante a crise financeira que balança a economia global. “Nossas relações passam por um momento excelente. E nossa responsabilidade, como empresários chilenos e brasileiros, é aproveitar todas as ações dos nossos governos para seguirmos trabalhando em conjunto pelo desenvolvimento do Chile e do Brasil”, declarou.