As medalhas de Etiene Medeiros

Agência Indusnet Fiesp

Etiene tem tantas medalhas que não sabe de cabeça quantas são. “Não tenho a menor ideia”, diz. Aqui vai uma contagem parcial.

Etiene Medeiros com a medalha de ouro dos 100m costas. Foto: Satiro Sodré/SSPress - CBDA Divulgação

Etiene Medeiros com a medalha de ouro dos 100m costas. Foto: Satiro Sodré/SSPress - CBDA Divulgação

 

Pan-Americano – Toronto 2015

Ouro nos 100 m costas (primeiro ouro feminino brasileiro na natação do Pan)

Prata nos 50 m livre

Bronze nos 4×100 m livre

Bronze nos 4×100 m medley

Etiene Medeiros vibra com recorde mundial. Foto: Satiro Sodre/SSPress

 

Campeonato Mundial – Piscina Curta – Doha 2014

Ouro nos 50 m costas (recorde mundial)
Ouro nos 4×50 m medley misto
Bronze nos 4×50 m livre misto

Jogos Sul-Americanos – Santiago 2014

Ouro nos 4×100 m medley
Prata nos 100 m costas
Bronze nos 100 m borboleta

Campeonato Sul-Americano – Mar del Plata 2014

Ouro nos 50 m costas
Ouro nos 100 m costas
Ouro nos 4×100 m livre
Ouro nos 4×100 m medley
Ouro nos 4×100 m medley misto
Prata nos 100 m borboleta

Campeonato Mundial Júnior – Monterrey 2008

Prata nos 50 m costas

Nadadoras do Sesi-SP trazem para o Brasil cinco medalhas do Pan

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

As nadadoras do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) encerram a participação da natação nos Jogos Pan-Americanos de Toronto com mais uma medalha de bronze. Etiene Medeiros e Daynara de Paula, junto com suas companheiras de seleção brasileira, Larissa Martins e Jhennifer Conceição, nadaram na noite deste sábado o revezamento 4×100 metros medley e finalizaram a prova com o tempo de 4m02s52.

Com a medalha desta noite, as nadadoras do Sesi-SP retornam para o Brasil com cinco medalhas, sendo uma de ouro, conquistada por Etiene Medeiros nos 100m costas, duas pratas, uma com Etiene Medeiros nos 50 livre e outra com Jéssica Cavalheiro no revezamento 4x200m livre, e dois bronzes, com Etiene Medeiros e Daynara de Paula em revezamentos, nos 4x100m livre e nos 4x100m medley.

Durante os cinco dias de competições, além das provas com medalhas, tivemos Daynara de Paula nadando os 100m borboletas, terminando a prova com o quarto tempo da final (58s56), e Bruna Primatti, estreante em Jogos Pan-Americanos, que nadou pela manhã deste sábado a final 1 dos 800m livre e finalizou a prova com o primeiro tempo (8m40s75). Na final 2, a americana Sierra Schmidt fez o tempo de 8m27s54 e ficou com o ouro. Na contagem final, Bruna terminou na sétima colocação.

O Brasil encerra a participação na natação com 26 medalhas, sendo 10 de ouro, 6 de prata e 10 de bronze, atrás apenas da equipe americana, que finaliza com 32 medalhas (12-10-10). Em terceiro lugar aparece o Canadá com 8-10-9, totalizando 27 medalhas.

Atletas da luta olímpica recebem homenagem dos alunos do Sesi-SP

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Um surpresa foi preparada para a equipe de luta olímpica do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) nesta terça-feira (18/03), no Centro de Atividades de Osasco, onde os atletas da modalidade treinam. Cerca de 600 alunos que estudam na unidade recepcionaram a equipe, que fez conquistas importantes recentemente, entre elas, as cinco medalhas conquistadas no Sul-Americano do Chile.

Os atletas subiram ao palco e foram apresentados aos alunos, que vibraram e aplaudiram muito todos os lutadores. No final do evento, eles puderam tirar foto e pedir autógrafos.

As amigas Rafaela Barbosa Cabral e Esther Luiz da Silva, de nove anos, entregaram um bilhete para o atleta Leonardo Henrique. Nele, o desenho de um lutador com uma camiseta escrita “Atleta do Futuro”. Leonardo, que hoje faz parte da equipe de rendimento, passou pelo programa Atleta do Futuro do Sesi-SP.

“A gente decidiu entregar esse desenho para fazer uma homenagem para eles, para mostrar que a gente admira os atletas e para que eles fiquem felizes”, explicou Rafaela. “A gente vê eles treinando e acha muito legal”. As duas disseram que gostariam de praticar luta olímpica e participar de competições como atletas.

Alunos aproveitaram a oportunidade para tirar foto e pedir autógrafo para os atletas. Foto: Tamna Waqued/Fiesp

Mesmo sendo fã de futebol, Davi Smolii Brandão de Oliveira, também de nove anos, pediu autógrafo de vários atletas. “Gosto de ver a luta olímpica e tenho muita vontade de lutar”, diz o estudante, que costuma jogar futebol no CAT. “Praticar esporte é importante para o nosso físico e também para se divertir.”

“O que vale a medalha se não tiver esse reconhecimento?”, disse Aline Ferreira, campeã sul-americana no Chile, que ficou emocionada com a recepção. “Várias crianças me pediram autógrafo, tiraram foto. E teve uma menina que, quando chegou perto, olhei a mão dela procurando um papel ou um celular. Mas ela veio, só me deu um abraço e disse: parabéns. Linda!”

 

Atletas do Sesi-SP conquistam seis medalhas para o Brasil no Pan-Americano de Guadalajara

Rodrigo Marinheiro, Agência Indusnet Fiesp

Com apenas três anos de trabalho, o Sesi-SP demonstra em números o tamanho de sua importância para o desporto brasileiro. Seis atletas de quatro modalidades diferentes da entidade foram convocados para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara e os seis conquistaram medalhas para o Brasil.

As medalhas de ouro foram conquistadas por Reinaldo Colucci do Triathlon, Dani Lins e Wallace do Vôlei feminino e masculino, respectivamente. A medalha de prata veio por intermédio de Aline Ferreira da Luta Olímpica. As medalhas de bronze foram conquistadas pelos atletas Gustavo Grummy Guimarães e Rudá Franco, do Polo Aquático masculino.

Se o Sesi-SP fosse um país, teria ficado em 13º lugar no quadro geral de medalhas do Pan-Americano de Guadalajara, com 3 ouros, 1 prata e 2 bronzes. A instituição, vitoriosa em seu primeiro Pan-Americano, tem uma meta ambiciosa: “Nosso objetivo é ter 20 atletas da indústria de São Paulo representando o Brasil nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro”, afirmou Paulo Skaf, presidente do Sesi-SP.

Desde 2008, quando deu início ao seu trabalho da pedagogia do exemplo através do esporte, o Sesi-SP tem alcançado números significantes para o esporte mundial. A missão da área é resgatar os valores do esporte para os alunos da rede e cooperar com o desenvolvimento de novos atletas.

A iniciativa de estreia do projeto ocorreu com a formação da Equipe de Polo Aquático, com jovens entre 12 e 15 anos, selecionados nas escolas da rede em todo o estado e entre praticantes de clubes com tradição nesse esporte. Hoje em dia, a instituição leva esse conceito de formação de rendimento para as seguintes modalidades: vôlei, futsal, polo aquático, natação, basquete, judô, triatlo, atletismo, ginástica artística, luta olímpica, vôlei paraolímpico e bocha paraolímpica.

Leia mais:

Acompanhe as notícias do Sesi-SP esporte

Senai-SP conquista ouro no maior torneio de formação profissional do mundo

Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Senai-SP (ao centro), comemora com alunos do Senai-SP as vitórias em Londres

 

 

O Senai de São Paulo conquistou quatro medalhas no WorldSkills 2011, ajudando o Brasil a ficar na segunda colocação no maior torneio de formação profissional do mundo, encerrado neste domingo (9), na capital inglesa.

Guilherme Augusto Franco de Souza, estudante do Senai do bairro paulistano da Mooca, ganhou a medalha de ouro na modalidade Desenho Mecânico em CAD. Já os demais vencedores do Senai de São Paulo levaram medalhas de prata em suas respectivas categorias, são eles: Guilherme de Souza Vieira, em Design Gráfico; Paolo Haji de Carvalho Bueno, em Tecnologia da Informação; Rodrigo da Silva Panifer, em Polimecânica.

O aproveitamento do Senai-SP foi considerado surpreendente: quatro dos sete representantes da instituição subiram ao pódio.

O presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, participou da premiação em Londres e destacou o esforço de cada um do time vencedor. “Essa conquista, que coloca o Brasil entre os melhores do mundo, é resultado de um trabalho de equipe e do investimento do Senai-SP para transformar nossas escolas em verdadeiros centros de excelência em tecnologia”, disse.

Brasil foi o segundo melhor

Guilherme Augusto Franco de Souza (à dir.), ouro em Desenho Mecânico em CAD, comemora vitória

No geral, a delegação brasileira faturou seis medalhas de ouro, três de prata, duas de bronze e dez certificados de excelência, batendo grandes potencias educacionais como Japão, Suíça, Alemanha e Singapura. A pontuação brasileira só foi superada pela Coréia do Sul, primeira colocada na competição.

Neste ano, o Brasil foi representado no WorldSkills por 28 estudantes, que competiram em 25 ocupações, sendo 23 do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e cinco do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Realizadas de 5 a 8 de outubro no Centro de Convenções e Exposições Excel, em Londres, a 41º edição do WorldSkills reuniu 944 competidores de cursos profissionalizantes de 51 países. O evento recebeu mais 150 mil visitantes. A próxima edição do evento será em Liepzig, na Alemanha, em 2013.

Confira os ganhadores paulistas e suas respectivas escolas:

Ouro

  • Guilherme Augusto Franco de Souza – Desenho Mecânico em CAD
    Escola Senai Morvan Figueiredo – Mooca – Capital

 

Prata

  • Rodrigo da Silva Panifer – Polimecânica
    Escola Senai João Martins Coube – Bauru
  • Paolo Haji de Carvalho Bueno – Tecnologia da Informação
    Escola Senai Suíço-Brasileira Paulo E. Tolle – Santo Amaro – Capital
  • Guilherme de Souza Vieira – Design Gráfico
    Escola Senai Fundação Zerrener – Cambuci – Capital

 

Leia mais:

Acompanhe a cobertura completa da Olimpíada do Conhecimento 2011 do Senai-SP

Judô do Sesi-SP conquista sete medalhas na Copa São Paulo

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp 

A delegação de judô da categoria de base do Sesi-SP conquistou três medalhas de outro e quatro de bronze durante a disputa da Copa São Paulo de Judô, que ocorreu nos dias 27 e 28 de março, na cidade de Praia Grande, em São Paulo.

O evento contou a participação de 1.800 atletas, divididos em quinze delegações de cidades paulistas.

Os vencedores de cada modalidade garantiram uma vaga no Campeonato Sul Brasileiro, que acontecerá entre os dias 16 e 17 de abril, na cidade Camboriú, Santa Catarina.

Destaque da equipe do Sesi-SP, o judoca Diego Rocha ganhou a medalha de ouro na categoria 50 kg. O atleta venceu todas as disputas por ippon (golpe perfeito).

Exemplo de superação, Hiago Pirolo foi o melhor da categoria 73 kg. Ele ficou afastado dos tatames por 2 meses, após uma lesão.

Entre as mulheres, Laís Shinorar levou a medalha de ouro na categoria 48 kg. Os atletas Vagner Félix (60 kg), Wedja Pereira (58 kg), Andrey Pirolo (73 kg) e Laís Helena (48 kg), ganharam a medalha de bronze.

Leia mais:

Confira outras notícias do Sesi-SP esporte

Alunos do Sesi-SP conquistam medalhas na 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil

Fabricia Morais, Agência Indusnet Fiesp

Alunos do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) da cidade de Bauru foram laureados na 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil, promovida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

As equipes que representaram a instituição receberam duas medalhas – uma prata e outra de bronze. A cerimônia de premiação foi realizada no último dia 24, no Museu Exploratório de Ciências, em Campinas.

O objetivo da competição é avaliar o conhecimento dos estudantes sobre a história do Brasil, por meio de tarefas que envolvem análise de documentos históricos, mapas e imagens.

Voltada a alunos do 8º e 9º ano do Ensino Fundamental e as três séries do Ensino Médio, a olimpíada recebeu 43 mil estudantes de escolas públicas e particulares de todas as regiões do país.

Cinco provas

As equipes, compostas por três alunos e um professor orientador, mostraram todo seu conhecimento no tema durante as cinco provas eliminatórias. Ao final, apenas 300 grupos, totalizando 1,2 mil competidores, foram classificados.

Dentre as escolas finalistas, 75 receberam medalhas (35 bronzes, 25 pratas e 15 ouros). As outras 225 instituições foram contempladas com menção honrosa e certificado de participação.

Além da medalha, os colégios com melhor classificação ganharam livros para seu acervo e a assinatura anual da Revista de História da Biblioteca Nacional.

A primeira edição da Olimpíada, realizada no ano passado, recebeu mais de 15 mil inscrições e reuniu cerca de dois mil estudantes na fase final.