Ministro Mauro Borges participa de reunião de conselho da Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

A reunião do Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na manhã desta segunda-feira (16/06), contou com a participação de Mauro Borges, ministro de Estado de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Governo Federal.

O encontro, realizado na sede da federação, reuniu empresários e representantes do setor para a discussão das melhorias necessárias para alavancar o setor produtivo da construção. Na visão do ministro, o setor é um “vetor decisivo do desenvolvimento brasileiro”, e precisa de um tratamento condizente com sua capacidade de geração de empregos e ganhos econômicos.

Para Borges, o índice habitacional brasileiro ainda é baixo, e crescerá “muito” no futuro. “O déficit habitacional é uma fronteira de oportunidade, com ambiente favorável para investimentos e financiamentos”.

Borges: construção é vetor decisivo do desenvolvimento brasileiro. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Borges: construção é vetor decisivo do desenvolvimento brasileiro. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Segundo o ministro, o setor brasileiro da construção é competente e competitivo em todo o mundo, triplicando o número de empregos diretos nos últimos anos, mas precisa ter mais participação em exportações.

Apesar das qualificações internas, o setor produtivo precisa de um ambiente mais saudável para crescer e atender às demandas que não param de crescer no país. Entre as ações necessárias, em sua visão, está “desamarrar imbróglios tributários e legislativos que tornam o país ingovernável”.

Na visita, o ministro concedeu total e irrestrito apoio ao Programa Compete Brasil desenvolvido pelo Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Fiesp, que está alinhado ao Plano Brasil Maior do Governo Federal.

Nos trilhos 

O setor ficou, em 2013, segundo o ministro, abaixo do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país. Enquanto o PIB atingiu 2,5%, o setor de construção habitacional não cresceu mais que 1,8%.  “Crescer abaixo da média do produto agregado é preocupante”, analisou.

Para Borges, o momento para o setor produtivo da construção é “de colocar as coisas nos trilhos e crescer”.

José Carlos de Oliveira Lima, presidente do Consic, presidiu a reunião. Carlos Eduardo Pedrosa Auricchio, diretor-titular do Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) e Manuel Carlos de Lima Rossitto, diretor titular adjunto do departamento também participaram do encontro.

A reunião do Consic: pelo crescimento do setor. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A reunião do Consic nesta segunda-feira (16/06): pelo crescimento do setor. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp