Sesi-SP perde nos detalhes e fica com o vice da Copa Brasil

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de Maringá

Foi a disputa que todos esperavam entre os dois melhores times do Brasil. Em jogo na cidade de Maringá, no Paraná, Sesi-SP e Sada Cruzeiro fizeram um confronto imprevisível, no qual qualquer um dos times poderia ter saído com a vitória e a taça. Melhor para os mineiros, que souberam aproveitar as oportunidades no quinto set e venceram por 3 x 2 (21/17, 15/21, 16/21, 21/15 e 23/21). Para o técnico Marcos Pacheco, do Sesi-SP, a partida foi decidida nas oportunidades, que não podem ser desperdiçadas numa final.

“Sempre digo que jogo é questão de oportunidade. Não pode perder as que aparecerem. Tivemos as chances para fechar, mas eles também tiveram e aproveitaram melhor”, disse o treinador. Líder na Superliga, o time volta à quadra no dia 01 de fevereiro, contra o Brasil Kirin, em Campinas.

O jogo

Desfalcado de Serginho, o Sesi-SP começou com Sandro, Murilo, Lucão, Sidão, Lucarelli e Evandro, além do líbero Lucianinho. Entraram Renan, Mão, Manius e Thiaguinho.

Quando se trata de um jogo muito equilibrado e com times tão parelhos, não se espera que uma equipe abra vantagem em algum momento. E não foi o que aconteceu em boa parte do primeiro set, quando Sesi-SP e Sada Cruzeiro disputaram ponto a ponto a liderança.

Pelo Sesi-SP, Sandro alternava com Lucarelli, Lucão e Sidão com sucesso. Mas o bloqueio do Cruzeiro funcionou bem. Sem a conhecida eficência nos saques, os mineiros utilizaram a defesa na rede para obter pontos cruciais e fechar os dois tempos técnicos em vantagem, além do set, em 21 x 17.

Para o segundo set, Marcos Pacheco promoveu a troca de Evandro por Renan e o time mudou. Passou a ganhar na rede, nos bloqueios e no ataque. O gigante de 2m17 sobrou e o time não deu chances ao Cruzeiro. O saque também entrou, especialmente o de Lucão, com ace espetacular que garantiu o primeiro tempo técnico. Com a equipe acertando tudo, o Sesi-SP fechou em 21 x 15, deixando tudo igual.

Lucão ensaiou no segundo set e no terceiro soltou seu arsenal. Foram nada menos que nove pontos seguidos de saque, sendo cinco aces, e a defesa do Cruzeiro não aguentou. Renan continuava insuperável na rede, enquanto Murilo e Lucianinho quase não deixavam a bola cair na quadra paulista. Uma grande atuação no terceiro set e a vitória chegou com ataque para fora de Wallace, em 21 x 16.

Lucão: quatro aces seguidos na defesa do Cruzeiro. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Lucão: quatro aces seguidos na defesa do Cruzeiro em jogo em Maringá. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

No quarto set, porém, o Cruzeiro voltou a se organizar e equilibrou o confronto. O Sesi-SP começou bem, com Sidão no saque abrindo 3×0, mas o rival se recuperou e fechou em 21×15 após saque perdido por Sidão.

No tie-break, o Sesi-SP chegou a abrir 12 x 9 e teve tudo para fechar, mas o Cruzeiro correu atrás, empatou e, em bloqueio de Leal em cima de Renan, fechou em 23 x 21 e ficou com a taça.