Senai-SP dá início ao curso de formação profissional para pessoas em situação de rua

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Mais do que uma chance de ingressar no mercado de trabalho, a possibilidade de mudar de vida.  Foi com essa perspectiva que uma turma de 14 pessoas em situação de rua começou nesta segunda-feira (24/06), na unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) do Ipiranga, o curso de mecânico de motor ciclo diesel.

Resultado da parceria entre a Prefeitura de São Paulo e o Senai-SP, por meio do Pronatec, a iniciativa, que abre a possibilidade de formação em diversas atividades, tem a meta de captar cerca de 2 mil pessoas até o fim de 2013.

Aula inaugural no Senai Ipiranga: oportunidade para o mercado de trabalho. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Aula inaugural no Senai Ipiranga: oportunidade para entrar no mercado de trabalho. Foto: Julia Moraes/Fiesp


“O Pronatec é uma das possíveis saídas para as pessoas em situação de rua. Por meio dele, queremos melhorar as condições das pessoas participarem e competirem no mercado de trabalho, com cursos reconhecidos, como o do Senai-SP, uma instituição com reconhecimento nacional e competência para a formação profissional”, afirma Maria Rita Gomes de Freitas, assessora da Coordenadoria de Proteção Básica da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

Para Fabio Rocha, diretor do Senai-SP Ipiranga, a parceria é importante para os futuros profissionais e também para os empresários. “Existe uma demanda muito grande de mão de obra qualificada e também uma necessidade de inserir essas pessoas no mercado de trabalho. Por isso a união do Senai-SP e da Prefeitura é de fundamental importância.”

Alunos

Na aula inaugural, os alunos receberam informações sobre o funcionamento e o programa do curso, que tem dois meses de duração. Conheceram ainda as instalações da escola, incluindo os laboratórios e oficinas.

A estrutura do Senai-SP deu ainda mais ânimo aos novos estudantes.  “É fantástica essa escola. Não tem como descrever. É um novo caminho de vida para mim”, declarou Flávio Donisete Silva, de 35 anos, que atualmente mora em uma Tenda Social.  “Vou abraçar essa oportunidade com as duas mãos, com muita força e determinação, para dar o meu melhor. Vejo no jornal que essa área de mecânico é muito solicitada pelas empresas e estou esperançoso que não vou mais ficar desempregado. Tive poucas oportunidades na vida e não soube aproveitar. Dessa vez vou até o final”, disse ele.

Também animado para começar, Paulo Antonio Gomes de Oliveira, de 33 anos, contou que já tinha trabalhado com carros e o curso vai ser a continuação do seu aprendizado. “Vivi muito tempo dentro de oficinas e tenho bons conhecimentos de funilaria. Sempre quis aprender mecânica. Espero que eu possa ter um bom desempenho, consiga o diploma, saia daqui e possa trabalhar em uma empresa, sem deixar de continuar meu aprendizado. Essa é uma oportunidade única que eu quero aproveitar da melhor forma possível.”

Única mulher do curso de mecânico, Regina Quirino dos Santos, de 37 anos, buscou no curso uma nova opção de trabalho. “Já trabalhei na área de alimentação, cozinha e serviços gerais. Mas queria fazer algo diferente. Por isso, escolhi o curso de mecânico, que é uma área com boas possibilidades de trabalho. Quero muito poder trabalhar e conseguir um lugar para morar, afirmou Regina, que atualmente mora em um albergue da Prefeitura.