Índice de doping positivo é mais elevado em esportes não olímpicos, diz diretor do COB

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539617959

Eduardo De Rose, diretor do Depto. Antidoping do COB

Em 2010 foram realizados mais de 250 mil testes de controle antidoping em todo o mundo, com 1,5% de resultados positivos. Somente no Brasil são feitos seis mil testes de controle por ano, e a categoria que mais apresenta casos de doping é a de esportes não olímpicos, com 17,72% de resultados positivos.

Os dados foram apresentados pelo diretor do Departamento Antidoping do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Eduardo De Rose, com base em informações da Agência Mundial Antidoping (Wada).

No caso dos esportes olímpicos, a taxa de doping é bem mais inferior, de 0,57%. “Isso indica que o atleta brasileiro não tem essa tendência”, disse De Rose, durante palestra realizada nesta terça-feira (30), segundo e último dia do Fórum Internacional de Esporte e Lazer do Sesi-SP, na sede da Fiesp.

Somente em São Paulo, o número de consumidores de esteroide anabólico – hormônio natural ou sintético muito usado para o crescimento muscular – aumentou de 540 mil para 1,2 milhão entre 2001 e 2005, segundo o doutor Marco Michelucci, médico oficial da Fifa e oficial de controle de dopagem da Wada. “E a maior parte desse número vem das academias.”

Às vésperas da Copa em 2012 e, dois anos mais tarde, dos Jogos Olímpicos no Brasil, o assunto doping tem ganhado força entre profissionais das áreas de saúde e educação. No primeiro dia do Fórum, De Rose palestrou sobre as consequências da nutrição esportiva e do doping.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539617959

Marco Michelucci, médico da Fifa e oficial de controle de dopagem da Wada

Na manhã desta terça-feira, o assunto voltou à cena na abertura dos debates com uma mesa sobre as verdades e os mitos do doping.

Ranking

Conforme De Rose, as modalidades que mais realizam controle de doping são: o futebol, atletismo, ciclismo e natação. “E relativamente não são os esportes que mais apresentam resultados positivos. Acontece que quando sai um resultado de doping a mídia explora mais do que em outros esportes.”

Ele acrescentou, no entanto, que os esportes com maior índice de doping positivo são: levantamento de peso com 2,10%, boxe com 1,94%, equestre com 1,66% , tiro com arco com 1,47% e basquete com 1,45%.

O analgésico e o anti-inflamatório não são proibidos pela Wada, mas “certas formulações com analgésico e estimulante são proibidas”, informou De Rose.

No mundo, 70% dos resultados positivos de doping indicam presença de  anabólicos. Já no Brasil, quase 50% dos casos de doping se referem a estimulantes.