Ao lado do ministro da Pesca, coordenador do Compesca na Fiesp participa de lançamento de edital e pede mais ações no setor

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Nesta sexta-feira (02/08), em São Paulo, foi realizado o lançamento do edital de concorrência para concessão de áreas para o cultivo de pescado em águas da união no estado. O evento foi realizado pelo Ministério da Pesca e Aquicultura, com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O objetivo do edital é dar impulso à produção de pescados e mariscos em lagos, reservatórios e nas águas do litoral paulista.

O encontro contou com a presença do Ministro da Pesca e Aquicultura, senador Marcelo Crivella, e Roberto Imai, coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva da Pesca (Compesca) da Fiesp.

Imai, à esquerda, e Crivella: mais ações para incrementar a pesca no Brasil. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Imai, à esquerda, e Crivella: mais ações para incrementar a produção de pescados. Foto: Julia Moraes/Fiesp


“A questão do licenciamento ambiental e regularização dos empreendimentos aquícolas no estado é antiga”, disse Imai.  “Precisamos reconhecer as dificuldades. Existem entraves que estão sendo trabalhados e vão ser melhorados com o edital”, acrescentou.

Durante o lançamento, o coordenador do Compesca cobrou ações concretas para a melhoria da cadeia produtiva da pesca. “Precisamos buscar soluções sempre para que as questões como o licenciamento sejam resolvidas”, disse. “Com o lançamento, a responsabilidade aumenta. As cadeias produtivas precisam ser trabalhadas. A cooperação é o atalho para o desenvolvimento saudável da cadeia, das empresas”.

“É um momento histórico”, classificou Crivella.  “A aquicultura, impulsionada pelo edital, suprirá as faltas que temos no pescado de água doce. É um passo importante para que São Paulo volte a ter uma produção à sua altura”.

Segundo o ministro, com o edital será alcançada uma produção de mais de 23 milhões de quilos. “Era preciso simplificar os processos para os produtores. Estamos destravando o processo produtivo e desburocratizando o licenciamento ambiental”, destacou o ministro. “A aquicultura é o caminho para que o Brasil se transforme em um grande produtor de pescados”, analisou.

Alberto José Macedo, secretário adjunto da secretaria de Agricultura de São Paulo, também participou do evento.