Ana Marcela é eleita ‘Melhor do Ano’ pela Fina e escreve o nome na história

Agência Indusnet Fiesp

Tricampeã mundial de Maratonas Aquáticas, a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela Cunha, coroou nesta segunda-feira (01/12) o melhor ano de sua jovem carreira. Com apenas 22 anos, a baiana recebeu da Federação Internacional de Natação (Fina) o prêmio de Melhor Nadadora do Mundo em Maratonas Aquáticas, pela segunda vez, (a primeira foi em 2010), sendo a única a receber a honraria duas vezes na categoria.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539834520

Ana Marcela Cunha e Fernando Possenti. Foto: Arquivo pessoal

Ana também detém o recorde de estar no pódio em todas as provas da Copa do Mundo de Maratonas no ano de 2014, feito jamais alcançado por algum campeão antes. Vale mencionar também o título da travessia de Capri-Napoli, em setembro, com quebra de recorde. Um ano, sem dúvidas, para ficar na história.

“O ano foi mesmo muito bom. Conseguimos muitas coisas inéditas, ser tricampeã da Copa, conquistar medalhas em todas as etapas. Fico muito feliz com a temporada, mas ser bi nessa celebração é mais um motivo para colocar o nome na história e coroar 2014. Porém, isso não é tudo. Devemos continuar treinando como todo dia e chegar ano que vem no Mundial de Kazan e arregaçar, para ser ainda melhor que 2014”.

Em 2014, Ana Marcela conquistou a Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas (tricampeã), onde esteve em todos os pódios, foi octacampeã Brasileira, medalha de ouro nos Jogos Sul-Americanos no Chile, campeã e recordista da travessia de Capri-Napoli, entre outros resultados.

Ana Marcela Cunha vence a 4ª etapa consecutiva do brasileiro de Maratonas Aquáticas

Agência Indusnet Fiesp

Tricampeã na Copa do Mundo e vencedora da travessia de Capri-Napoli, com direito a recorde mundial, Ana Marcela provou mais uma vez que está numa fase sem igual na carreira. Neste domingo (21/09), a maratonista aquática do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) conquistou a quarta temporada do Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticas, em Brasília. Foi a quarta vitória da baiana, em quatro provas disputadas. Ela lidera com folga o ranking nacional, com 148 pontos.

Em Brasília, Ana terminou a prova com o tempo de 2h04m36s, se sagrando campeã com larga vantagem sobre Betina Lorscheitter (2h11m06s) e Gabriela Ferreira (2h11m08s), nadadoras do Grêmio Náutico União que completaram o pódio. Com duas provas a cumprir pela Copa do Mundo, Ana falou da preparação e elogiou a estrutura do Sesi-SP, onde treina sob o comando de Fernando Possenti.

“Esse ano como não tinha o Campeonato Mundial, que é a competição que a gente foca, conseguimos fazer um planejamento e treinar em altitude numa época boa. Conseguimos cumprir as fases de treinamento para todas as competições. A gente resolveu fazer essa prova porque era um desafio diferente e pensando no Mundial do ano que vem, já foi um bom treino.”

A nadadora agora vai se concentrar nas provas que faltam da Copa, onde só precisa cair na água na última etapa, em Hong Kong, para sacramentar o título.

“Apesar de estar um pouco cansada, consegui cumprir os objetivos e agora é descansar para viajar pra China daqui a 15 dias. Estou indo bem passo-a-passo. A meta agora é terminar bem o ano, com a Copa do Mundo e depois pensar no Mundial de Kazan e buscar a medalha e a classificação para as Olimpíadas”, finalizou a nadadora, que elogiou a estrutura do Sesi-SP.

“No Sesi-SP encontramos uma equipe multidisciplinar completa, um staff por trás com psicólogo, nutricionista e tudo mais.”

Pelo Campeonato Brasileiro, ainda restam duas etapas para concluir o ano, que serão disputadas em Inema, Bahia, nos dias 13 e 15 de novembro. Ana poderá comemorar o título em sua terra natal.

Ana Marcela Cunha ganha ouro e bronze nos Jogos Sul-Americanos

Agência Indusnet Fiesp

Nos dois últimos dias de competições dos Jogos Sul-Americanos do Chile, a nadadora Ana Marcela Cunha, atleta do Serviço Social da Indústria de São Paulo, Ana Marcela Cunha, ganhou duas medalhas na Lagoa Curauma, em Valparaíso.

Na prova por equipes, disputada na segunda-feira (17/03), Ana Marcela ficou com a medalha de ouro na prova por equipes da maratona aquática dos Jogos Sul-Americanos, ao lado de Allan do Carmo e Diogo Villarinho, cumprindo a prova de revezamento 3kms em 34m05s29. Equatorianos e chilenos ficaram com prata e bronze, respectivamente.

Na disputa individual, realizada na véspera (16/03), a nadadora do Sesi-SP chegou em terceiro lugar na prova dos 10 kms de natação em águas abertas e conquistou a medalha de bronze.

Na prova, bastante disputada, Ana Marcela completou o percurso em 2h00min’15s. A vencedora foi a chilena Kristel Arianne Öbrich, com 1h58min06s. A argentina Cecilia Biagioli ficou em segundo, com 1h59min35s.

“Eu queria mais, queria sair com duas medalhas de ouro. Mas é uma fase de treinos e a Copa do Mundo é o nosso maior objetivo. Então saio do Chile com o dever cumprido e vou feliz para casa”, comentou Ana, que falou sobre a prova de 10km do Sul-Americano, onde conquistou o bronze, e sua principal diferença para o Mundial.

“É muito diferente. Na Copa, são 15 ou 20 no pelotão. Aqui foram só três. É muito mais difícil para mim, mas serviu para ver o que preciso melhorar. Vou treinar muito e me preparar para a Copa, pois lá o bicho pega”.

Para o técnico Fernando Possenti, Ana Marcela poderia ter conquistado o ouro, mas as diferenças de estratégia e condições climáticas influenciaram no desempenho. O treinador, porém, acredita que tudo serviu para um grande aprendizado e a nadadora está em ótimas condições para disputar a Copa do Mundo no México.

“Realmente a prova foi bem diferente do que temos na Copa do Mundo. Tinha uma parte da prova com vento a favor de 23km/h, que provocava uma corrente a favor e as adversárias aproveitaram para abrir vantagem nessa parte. Quando a Ana percebeu que poderia alcança-las na volta seguinte, o vento parou, aí não deu”, finalizou Possenti

Ana Marcela volta aos treinos no CAT do Sesi-SP na Vila Leopoldina visando a 2ª etapa da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas que será realizada em Cancun (México), em 5 de abril. No dia 27 do mesmo mês, Ana representará o Sesi-SP na prova de 5km do troféu Maria Lenk, na piscina do Ibirapuera, em São Paulo.

Depois de duas medalhas no Mundial de Natação, Ana Marcela treina para novos desafios

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Com duas medalhas na bagagem, a maratonista aquática do Sesi-SP, Ana Marcela Cunha, voltou do Mundial de Barcelona com mais energia para novas conquistas.

Nas três provas que disputou, a atleta conquistou pontos para a seleção brasileira, que terminou o Mundial em primeiro lugar nas provas em águas abertas. Ana Marcela conquistou a medalha de bronze na prova de 5km, a prata nos 10km e ficou em 5º lugar nos 25km.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539834520

Ana Marcela Cunha: prata e bronze em Barcelona. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Assim que desembarcou no Brasil, a nadadora já recomeçou os treinamentos, com foco nas suas próximas competições: Copa do Mundo, Troféu José Finkel e campeonato brasileiro.

Em entrevista coletiva, Ana Marcela falou sobre a emoção de conquistar medalhas e pelo amor pela natação:

Como você avalia o desempenho da maratona aquática brasileira em Barcelona?

Ana Marcela Cunha – Antes desse Mundial, o Brasil tinha conquistado, na história, duas medalhas em campeonatos mundiais. Saímos dessa competição com cinco medalhas, o que mostra que estamos em uma evolução muito grande. Nas duas provas mais tradicionais tivemos duas brasileiras nas primeiras colocações. Além das dobradinhas femininas, teve o crescimento do masculino. Os meninos conseguiram a medalha de bronze, com a Poliana, no revezamento, o Alan foi 5º nos 25km e o Samuel foi 6º nos 5km. No próximo Mundial, esperamos que o masculino também esteja na briga pelas vagas para a Olimpíada de 2016.

Qual foi a sensação de conseguir uma medalha na prova dos 10km?

Ana Marcela Cunha – Foi minha volta por cima! Há dois anos eu havia ficado em 11º colocação nessa prova e fora dos Jogos Olímpicos. Voltar no Mundial seguinte, ganhar a medalha de prata, ser a segunda melhor nadadora do mundo, na prova olímpica em que estavam as três medalhistas de Londres-2012, é um saldo muito positivo.

E a medalha nos 5km foi uma surpresa?

Ana Marcela Cunha – Não esperava a medalha porque o 5km é uma prova um pouco mais difícil para mim. Virei a primeira volta em 12º e fui tentando crescer. No final, era eu e mais quatro meninas alinhadas em 3º lugar. Mas o treino de perna, que eu fiz bastante, funcionou e eu consegui abrir na frente. Aproveitei a oportunidade que elas saíram para os lados, dei um tiro e veio uma medalhinha. Fiquei muito feliz, por não esperar uma medalha e pela confiança que me deu para as próximas provas. Se na prova de 5km eu já ganhei a medalha, na de 10km, da distância olímpica, sabia que estaria bem.

Depois da medalha de ouro nos 25 km que você conquistou no Mundial de Xangai, ficou decepcionada por não chegar ao pódio nessa prova em Barcelona?

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539834520

Ana Marcela Cunha: 'Essas medalhas não são só minhas, mas de todos que nos ajudaram também.' Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Ana Marcela Cunha – A prova foi uma consequência de eu ter nadado um pouquinho mais à frente na última volta dos 10km. Se eu tivesse guardado um pouquinho…  Mas, não estou frustrada, estou muito feliz por ter conseguido uma medalha na prova olímpica. Esse Mundial foi muito mais rápido, com provas muito mais fortes que o passado. Nadamos a prova de 5km em 57 minutos, o que fazíamos em 1h02. A prova de 10km baixou de 2h06 para 1h58. A de 25km, no último Mundial, nadamos 5h29 e nesse foi para 5h07, ou seja, 22 minutos mais rápida. Como todas as provas foram mais fortes, foi isso que me fez sentir um pouco no final da prova dos 25km.

Já deu tempo de analisar o que você precisa melhorar?

Ana Marcela Cunha – Faz só uma semana que fiz a prova de 10km. Só agora vamos sentar para conversar, rever as provas e ver o que podemos melhorar para os próximos dois anos. Se a medalha de prata já veio com os erros, vamos tentar corrigir os erros para que venha a medalha de ouro.

As conquistas da maratona aquática já são reflexos dos investimentos recentes, como o ‘Plano Brasil Medalhas’ e o projeto do Sesi-SP na natação feminina?

Ana Marcela Cunha – A gente conquista as coisas, mas pouca gente sabe quantas pessoas estão por trás, nos ajudando. O Projeto Medalhas tem feito a diferença para gente, que agora tem psicólogo, nutricionista, preparador físico, técnico, assistente. Também foi muito importante o que o Paulo Skaf fez com a natação feminina, que ainda está atrás da masculina no Brasil. Essas medalhas não são só minhas, mas de todos que nos ajudaram também.

Quais são seus próximos desafios?

Ana Marcela Cunha – Na próxima terça-feira [06/08], embarco para o Canadá, onde nado os 10km no dia 10 de agosto, em mais uma etapa da Copa do Mundo. Dia 12, embarcamos de volta e dia 14, nado os 800m livre no Troféu José Finkel. Dia 17, vou para Brasília, onde nado novamente os 10km, no dia 18. Dia 19, volto para casa e fico de folga até o dia 23. Vou aproveitar a folga para descansar, dormir o máximo que eu puder para repor as energias e voltar treinando com tudo para a China.

Diferente da natação, a maratona aquática tem atletas mais velhos. Você planeja até quando vai nadar e competir?

Ana Marcela Cunha – Eu amo o que eu faço! Se depender de mim, quero ser como a Angela Maurer, que tem quase 40 anos e chegou ao pódio. E mesmo quando não estiver mais competindo, pretendo nadar sempre, até o quanto eu aguentar.

Ana Marcela, nadadora do Sesi-SP, ganha mais uma medalha para o Brasil no Mundial de Barcelona

Agência Indusnet Fiesp

Mais um resultado histórico para a maratona aquática do Brasil no Mundial de Desportos Aquáticos de Barcelona, nesta terça-feira (23/07).  As atletas brasileiras Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha fizeram a segunda dobradinha no pódio, na prova dos 10km, conquistando as medalhas de ouro e prata, respectivamente.  A prova aconteceu no porto de Barcelona, Espanha. Angela Maurer, da Alemanha, completou o pódio.

No sábado (20/07), as nadadoras já haviam subido juntas ao pódio, na prova dos 5 km, em que Poliana ganhou a prata e Ana Marcela o bronze.

As maratonistas aquáticas do Brasil, Ana Marcela Cunha (à esquerda) e Poliana Okimoto. Foto: Divulgação/CBDA

As maratonistas aquáticas do Brasil, Ana Marcela Cunha (à esquerda) e Poliana Okimoto. Foto: Divulgação/CBDA

“Na prova dos 5km eu não sabia como ia ser e sai com o bronze. Hoje confiei muito mais em mim. Quando passou dos 7,5, vi que viramos junto… Nem tem o que falar, hoje o Brasil está na ponta”, afirmou a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela, em entrevista ao portal UOL.

Ana Marcela disputa ainda a prova dos 25km neste sábado (27/07). A competição mais longa da maratona aquática é a especialidade da atleta. No Mundial de Xangai, no ano passado, ela ganhou a medalha de ouro nos 25 km.

Ana Marcela Cunha ganha medalha de bronze no Mundial de Barcelona

Agência Indusnet Fiesp

Começou com um pódio a participação do Sesi-SP no Mundial de Barcelona. A atleta de maratona aquática, Ana Marcela Cunha, ficou em 3º lugar na prova de 5 km em águas abertas, disputada neste sábado (20/07). A nadadora subiu ao pódio ao lado de outra brasileira, Poliana Okimoto, que ficou com a prata. Foi a primeira vez na modalidade que duas atletas do Brasil ganham medalha na mesma prova. O ouro ficou com a americana Haley Anderson.

Na prova, Ana Marcela se posicionou bem atrás do primeiro pelotão e terminou a primeira metade em 12º lugar. Com um poder de reação impressionante, surpreendeu a todos e arrancou o bronze.

“Era a prova mais difícil que eu tinha na competição. Imaginava que seria a minha pior colocação porque não consigo imprimir um ritmo bom desde o início. Estou muito surpresa com a medalha. Quando vi a grega (Mariana Lymperta) crescendo do meu lado, aí é que bateu uma aflição maior, mas consegui e começar com uma medalhinha já foi muito bom”, disse a nadadora.

“Em 2011 a primeira prova foi a de 10 quilômetros, onde fiquei longe da vaga olímpica por uma posição, depois fui crescendo na competição e terminei com o ouro nos 25 (quilômetros). Se agora comecei com o bronze, espero que até a última prova venham outros resultados melhores.”

Ana Marcela disputa mais duas provas no Mundial: 10km, no dia 23/7, e 25km, prova na qual é a atual campeã mundial, no dia 27/07. Há a possibilidade também que a atleta participe da prova de revezamento.