Escolas do Sesi-SP recebem a visita de Paulo Skaf neste sábado

Agência Indusnet Fiesp

O sábado (14/04) foi de festa em duas unidades da rede Sesi-SP, a de São Bernardo do Campo e a de Jaú. E com a participação do presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

Pela manhã, em São Bernardo, na Grande São Paulo, Skaf inaugurou o novo prédio da Escola Sesi e assinou o convênio Atleta do Futuro. A escola funciona dentro do Centro de Atividades Sesi Albano Franco, na Rua Suécia, 900.

Participaram da cerimônia autoridades como o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, e o prefeito da cidade, Orlando Morando, entre outros nomes.

O novo prédio faz parte de uma série de investimentos que estão sendo feitos no Centro de Atividades e na escola, que somados ultrapassarão R$ 66 milhões. Atualmente, o Sesi-SP tem 1.600 alunos em sua escola de São Bernardo do Campo, sendo 1.088 nas novas instalações, compostas por 11 novas salas de aula, uma biblioteca escolar com acervo atualizado, um auditório com 98 lugares e salas multiuso, para atender o Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano).

“Quero, de coração, agradecer a vocês todos por esse carinho”, disse Skaf. “Ser recebido assim num sábado, não tem preço que pague isso”.

Skaf parabenizou pais, alunos e professores, pedindo palmas para os educadores. “O justo seria aplaudir os professores todos os dias”, disse.”Não adiantaria de nada a nossa vontade se não fossem os professores do Sesi-SP”.

Na ocasião também foi assinado o convênio para formação esportiva do Programa Sesi Atleta do Futuro, que beneficiará 2.000 alunos do município em diversas modalidades.

Em todo o estado de São Paulo são mais de 100 mil alunos beneficiados pelo programa, que envolve 187 prefeituras conveniadas. Desde 2008, o Atleta do Futuro tem estimulado a prática esportiva e a cidadania de crianças e adolescentes.

Além de introduzir a prática esportiva aos participantes, os alunos recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações, e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Tarde em Jaú

Depois da atividades em São Bernardo do Campo, a Escola Sesi de Jaú foi renomeada à tarde, passando a se chamar Escola Sesi Sueli Algueiro. Para comemorar, a unidade recebeu alunos e familiares para participar de diversas atividades recreativas. Tudo isso com a presença de Skaf.

Houve salas com apresentações de robótica educacional, contação de histórias, oficina de cupcake, ofícina artística, brinquedos infláveis, pintura de rosto, atividades esportivas, jogos recreativos e apresentações musicais.

Sobre a homenageada

Sueli Algueiro nasceu em 10 de abril de 1952 no município de Ibaté. E desde muito cedo se mostrou hábil na arte de ensinar. Neta de imigrantes espanhóis, ainda criança mudou-se com seus pais para Bocaina, onde cresceu.

Em 1968 matriculou-se no Curso Colegial de Formação de Professores Primários do Instituto de Educação Estadual Caetano Lourenço de Camargo, na cidade de Jaú. Logo após a conclusão, em 1970, começou a exercer a atividade docente. Sueli foi professora dedicada à alfabetização e formação básica de filhos de pequenos agricultores e de famílias simples de áreas rurais.

Graças à empatia que demonstrava e inovação na tarefa de alfabetizar, utilizando a ludicidade como ferramenta de ensino, a jovem professora começou a se destacar. Quem a conheceu afirma que era pessoa altruísta e com o dom de cativar as pessoas.

Com o passar do tempo, novas oportunidades vieram e Sueli deixou o interior do Estado. Mas continuou educando pessoas, desde crianças e jovens até altos executivos e funcionários de grandes empresas. Não importava o público, sempre fazia seu trabalho com a mesma maestria. A educadora faleceu em 23 de junho de 2015 e agora recebe justa homenagem de uma vida dedicada à docência.



Sesi-SP Editora expõe na Semana do Livro e da Biblioteca da Escola do Sesi de Jaú

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540058231Agência Indusnet Fiesp

A escola do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), unidade Jaú, e o Centro de Atividades (CAT) Ruy Martins Altenfeler Silva, promovem, na última semana de outubro, a Semana do Livro e da Biblioteca.

O evento contará com um catálogo de mais de 100 livros da Sesi-SP editora, que estarão com 40% de desconto para os alunos e funcionário do Sesi-SP e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

Os exemplares estarão expostos para venda do dia 28 de outubro ao dia 1º de novembro, na Escola do Sesi de Jaú, que fica na Avenida João Lourenço Pires de Campos, 600.

Serviço:

Data e Horário:
28/10 das 7h30 às 20h
29/10 das 8h às 20h
30/10 das 7h às 11h
31/10 das 9h às 17h
1º/11 das 9h às 14h

Local: Escola do Sesi  de Jaú, Avenida João Lourenço Pires de Campos, 600. Jáu – SP


Bossaball agita final de semana nas unidades do Sesi em Jaú e Bauru

Rodrigo Marinheiro, Agência Indusnet Fiesp

O Sesi-SP levará neste sábado e domingo à população das cidades de Jaú e Bauru, respectivamente, a modalidade esportiva chamada Bossaball. Praticado em alguns países da Europa, o esporte foi criado em 2004 pelo produtor musical belga Filip Eyckmans.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540058231

Bossaball, esporte que combina elementos do futebol, ginástica, vôlei e música

O nome Bossaball é uma homenagem à Bossa Nova, ritmo do qual Filip se tornou fã durante uma viagem que fez ao Brasil.

Quem quiser arriscar umas jogadas no Bossaball ou somente assistir à prática deste esporte inusitado deve aproveitar a quadra inflável que estará no Sesi Jaú no sábado (25) e no Sesi Bauru no domingo (26).

“Este é um daqueles programas de esporte, lazer e recreação que toda a família deve participar. Ações como esta unem a família e a comunidade e fazem bem para toda a sociedade”, ressalta o presidente do Sesi-SP e da Fiesp, Paulo Skaf. “O Sesi continuará estimulando a prática de atividades desportivas para toda a população porque sabemos que o esporte é um composto de educação e saúde. Espero que o Estado dê continuidade ao nosso trabalho e atenda às expectativas e necessidades da população”, completa.

O Sesi-SP levará o Bossaball para 53 de suas unidades, totalizando 49 cidades no Estado de São Paulo. Depois deste final de semana, a novidade viaja para Birigui e Araçatuba, respectivamente, nos dias 10 e 11 de março.

O jogo

Somente participantes com idade superior a 12 anos podem praticar deste novo esporte que combina elementos do futebol, ginástica, vôlei e música. No máximo cinco jogadores disputam de cada lado, em uma quadra formada por um grande colchão inflável e duas camas elásticas, separadas por uma rede de vôlei. Tudo ao som de muita música. Cada time pode tocar na bola até oito vezes consecutivas. A bola pode ser tocada por qualquer parte do corpo do jogador, mas apenas uma vez com a mão ou duas vezes seguidas com os pés ou com a cabeça.


Diferente do que acontece em outros esportes, os juízes não são hostilizados. No Bossaball, eles são parte admirável da disputa, uma vez que, além do clássico apito, os árbitros utilizam instrumentos de percussão e uma mesa de DJ.O objetivo do Bossaball é fazer com que cada equipe faça a bola cair no lado adversário. O time conquista um ponto quando a bola cai no campo inflável da equipe adversária. Se a bola cair na cama elástica no do outro lado da rede, o time que jogou a bola marca três pontos.

Como não poderia deixar de ser, a segurança dos jogadores é prioridade. Por isso, toda a quadra é feita com material inflável. Nas laterais da cama elástica, o material protetor tem três metros de largura, evitando que os jogadores caiam para fora do campo. A altura da rede que separa os dois lados da quadra é ajustada em diferentes níveis como, por exemplo, para homens, mulheres e crianças.

Serviço

Sesi Jaú
Sábado, 25 de fevereiro, das 9h às 16h.
Centro de Atividade (CAT) Ruy Martins Altenfelder Silva.
Av. João Lourenço Pires dos Campos, 600, Bairro Jardim Pedro Ometto, Jaú, SP

Sesi Bauru
Domingo, 26 de feveiro, das 8h às 15h
Centro de Atividade (CAT) Raphael Noschese
Rua Rubens Arruda, 08-50, Bairros Altos da Cidade, Bauru, SP

Leia mais

Crise ficou para trás, diz Paulo Skaf durante encontro com empresários em Jaú

Agência Indusnet Fiesp,

O presidente da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), Paulo Skaf, participou nesta sexta-feira (23) de encontros com lideranças empresariais, em Jaú, e visitou obras do Sesi, na cidade vizinha de Pederneiras.

Pela manhã, Skaf reuniu-se com empresários e prefeitos da região de Jaú, no Ciesp local. Durante o encontro, o presidente do Sistema Fiesp ouviu considerações e dúvidas da plateia formada por mais de 150 empresários e traçou um panorama da atividade econômica no Brasil pós-crise.

“As palavras de ordem agora são educação e inovação, seguidas de infraestrutura. A crise ficou para trás para a maioria dos setores, com exceção daqueles que dependem mais do mercado externo”, afirmou Skaf.

De acordo com o presidente da instituição que reúne por volta de 150 mil empresas, a perspectiva para 2010 é muito boa, quando a economia do Brasil deve crescer de 5% a 6%.

Custo do crédito
Para Skaf, a taxa básica de juros, Selic, mantida nesta semana pelo Copom em 8,75%, poderia cair mais, porém há outros problemas mais graves, neste momento, a serem combatidos: a falta de crédito e o alto spread bancário.

“Devemos reconhecer que a batalha do setor produtivo começou a surtir efeito: os juros caíram. No entanto, se queremos garantir o desenvolvimento, temos que combater outros problemas urgentes como o alto custo do crédito. O brasileiro precisa de crédito barato e acessível”, ressaltou Skaf.

Exportações
Outros pontos debatidos entre o presidente e os gestores de Jaú e região foram as intervenções necessárias para conter a queda nas exportações e a sobrevalorização do real.

“Somos contra o aumento de impostos, mas a medida do governo federal de taxar o capital estrangeiro é importante”, afirmou referindo-se à taxação de 2% em aplicações de renda fixa ou variável, anunciada nesta semana. “Não há muito como o controlar o câmbio, mas a iniciativa ajuda pois evita as operações especulativas que só geram volatilidade e nenhuma riqueza para o País.”

Reconhecido polo calçadista, a cidade de Jaú sofreu no início da crise com o enfraquecimento do mercado externo, com queda de mais de 26% nas exportações. Mesmo assim, na avaliação de Skaf, a economia da cidade passou bem pela crise.

“Os últimos dados da nossa pesquisa de emprego Fiesp/Ciesp mostram que o setor produtivo paulista está reagindo com consistência, e não é diferente em Jaú”, disse. “Os 11 municípios que compõem a região tiveram um acréscimo de 4.750 de trabalho industriais no ano, um aumento de mais de 17%. E a tendência é que este crescimento, daqui para frente, seja sustentado”, analisou.


Criança o dia todo na escola
Durante a reunião, Skaf lembrou que tem falado muito em educação porque enxerga no ensino uma forma de dar oportunidades iguais a todos, desde pequeno. “Na infância, eu tive a oportunidade de estudar o dia todo e foi assim, com a vida, que aprendi a valorizar o ensino integral”, exemplificou.

“Por isso, à frente da gestão do Sesi e Senai de São Paulo, resolvemos criar o ensino em tempo integral que atende cerca de 120 mil alunos, com fornecimento de refeições, práticas culturais e esportivas, laboratórios de informática e de ciências. E, para abrigar este novo modelo, estamos construindo cerca de 100 novas escolas”, concluiu o presidente da Fiesp/Ciesp.

Skaf lembrou, também, a criação do ensino médio e da possibilidade da integração dos alunos do Sesi com os cursos do Senai.

Em Jaú, o Sesi, que atende mais de 850 alunos, recebeu investimentos da ordem de R$ 6,5 milhões para a ampliação do Centro de Atividades (CAT) e implantação do ensino integral, piscina aquecida, quadra coberta e grama sintética.

Já o Senai, recebeu cerca de R$ 2 milhões para a modernização e compra de equipamentos nos cursos de mecânica automotiva e eletroeletrônica.

Sobre a construção de um novo Senai em Jaú, o presidente do Sistema Fiesp afirmou que aguarda opções de terrenos por parte da Prefeitura.

“A cidade de Jaú merece um novo Senai e nós estamos empenhados nisso”, disse Skaf. “Mas somente após a escolha de área adequada à obra é que poderemos apresentar um projeto que atenda as necessidades da economia local”, completou.

Em Pederneiras, o presidente visitou a obra da nova escola do Sesi, que será inaugurada em 2010 e terá condições para oferecer ensino integral e Ensino Médio aos alunos.

Os investimentos para o Sesi e o Senai na cidade giram em torno de R$ 5 milhões. No caso do Senai, as ações têm ênfase nos cursos de informática, eletricidade, manutenção predial e desenvolvimento humano.